Lawyer to Lawyer, da Freelaw

#40: Compliance Trabalhista: conceito, oportunidades e aquisição de clientes - c/ Thassya Prado

February 26, 2020 Freelaw Season 2 Episode 20
Lawyer to Lawyer, da Freelaw
#40: Compliance Trabalhista: conceito, oportunidades e aquisição de clientes - c/ Thassya Prado
Chapters
Lawyer to Lawyer, da Freelaw
#40: Compliance Trabalhista: conceito, oportunidades e aquisição de clientes - c/ Thassya Prado
Feb 26, 2020 Season 2 Episode 20
Freelaw

O que é o Compliance Trabalhista? 

Quais as oportunidades surgem para os advogados que querem atuar na área? 

Como você pode ofertar esse tipo de serviço para os seus clientes? 
Como você pode produzir conteúdo no Instagram para conseguir mais clientes? 

Como conseguir tempo para executar essa estratégia?

E, quais habilidades você precisa desenvolver para se tornar um especialista na área?

No episódio #40 do #lawyertolawyer, da Freelaw, Gabriel Magalhães entrevista Thassya Prado (@entendaseudireito e www.compliancedozero.com.br). 

Ela é advogada, professora e especialista em Compliance Trabalhista.

Escute o episódio e compartilhe com seus colegas! Aproveite!

Comunidade da Freelaw no Telegram: https://t.me/comunidadefreelaw

Conheça o Blog da Freelaw: https://blog.freelaw.work/

Conheça o site da Freelaw: https://freelaw.work/

Acompanhe a Freelaw nas Redes Sociais

Linkedin: https://www.linkedin.com/company/freelaw-work/

Facebook: https://www.facebook.com/Freelaw.work/

Instagram: https://www.instagram.com/freelaw.work/

Youtube: https://www.youtube.com/channel/UCT6_26wyQV7GXriS0kogw1g

Música utilizada no Podcast: www.bensound.com

Show Notes Transcript

O que é o Compliance Trabalhista? 

Quais as oportunidades surgem para os advogados que querem atuar na área? 

Como você pode ofertar esse tipo de serviço para os seus clientes? 
Como você pode produzir conteúdo no Instagram para conseguir mais clientes? 

Como conseguir tempo para executar essa estratégia?

E, quais habilidades você precisa desenvolver para se tornar um especialista na área?

No episódio #40 do #lawyertolawyer, da Freelaw, Gabriel Magalhães entrevista Thassya Prado (@entendaseudireito e www.compliancedozero.com.br). 

Ela é advogada, professora e especialista em Compliance Trabalhista.

Escute o episódio e compartilhe com seus colegas! Aproveite!

Comunidade da Freelaw no Telegram: https://t.me/comunidadefreelaw

Conheça o Blog da Freelaw: https://blog.freelaw.work/

Conheça o site da Freelaw: https://freelaw.work/

Acompanhe a Freelaw nas Redes Sociais

Linkedin: https://www.linkedin.com/company/freelaw-work/

Facebook: https://www.facebook.com/Freelaw.work/

Instagram: https://www.instagram.com/freelaw.work/

Youtube: https://www.youtube.com/channel/UCT6_26wyQV7GXriS0kogw1g

Música utilizada no Podcast: www.bensound.com

Gabriel:   0:16
as melhores pr��ticas de gest��o, inova����o e tecnologia no Direito. Meu nome Gabriel Magalh��es Bem vindo ao Loyalty Esse pode querer foi oferecido pela Frilot a forma mais segura para aqui no seu escrit��rio de advocacia contrata advogados online e sob demanda. Eu sei que talvez voc�� nunca pensou nessa possibilidade, mas agora voc�� pode realizar parcerias com advogados especializados em qualquer ��rea do direito, de acordo com a sua necessidade. �� s�� entrar no site da vida do Ponto frio ponto ou enviar a descri����o do servi��o que precisa ser deputado, as orienta����es, o prazo. E a�� s�� aguarda mais acontecer e voc�� visualizar as propostas dos profissionais. Fa��a parte agora da nossa comunidade realmente o portif��lio de servi��os jur��dicos que seu escrit��rio oferece aos seus clientes. Ol�� advogadas! Ol��! Advogados. Sejam bem vindas. Sejam bem vindos ao Oeste! Lote de n��mero quarenta e nove Gabriel Magalh��es E hoje eu tive o prazer de entrevistar a T��ssia Prado e j�� queria agradecer o Leandro Pacheco, nosso ouvinte que foi que indicou o trabalho da ta��a para a gente e a ta��a. Realmente ela �� incr��vel. Voc��s v��o gostar bastante do epis��dio de hoje, ent��o se voc�� quer saber o que �� o complexo trabalhista. Quais s��o as oportunidades que est��o surgindo a�� no direito do trabalho? Apesar da reforma trabalhista, apesar de tudo o que falam por a�� e tamb��m que voc�� pode fazer para ofertar esse tipo de civis para os seus clientes, tem certeza que vai valer a pena que voc�� invista seu tempo para executar esse epis��dio at�� o final. Ela produz muito conte��do. Ela �� uma das fundadoras e do site www com O plano tem sido zero com br e do instagram arroba. Entenda seu direito no epis��dio de hoje Ela conta mesmo de uma forma muito transparente, aberta, como que ela faz para produzir os conte��dos no Instagram para conseguir mais clientes, que ela faz com que ela oferta o complexo e para os clientes delas e tamb��m o que ela faz para conseguir tempo para executar esse tipo de estrat��gia. Por fim, ela ainda compartilha quais s��o as habilidades que ela acredita que s��o necess��rias para que voc�� desenvolva para se tornar um especialista incompletos? Trabalhista, a not��cia de que voc��s v��o gostar bastante do epis��dio de hoje e antes da gente come��ar isso. Epis��dios de n��mero quarenta e um vig��simo epis��dio desta segunda temporada? Em teoria, seria o ��ltimo. Mas com a vis��o de voc��s esta grande noite olha, n��s vamos seguir ainda nesta segunda tempor��ria por um prazo indeterminado. Espero que voc��s gostem dessa. Essa not��cia, tamb��m vou, Eu j�� vou sair daqui. Vou deixar voc��s com a ta��a porque est�� bem legal, porque a gente se v�� novamente. At�� logo Oi, T��ssia! �� um prazer estar conosco. Para falar sobre um dos temas aqui. Temos um novo complexo trabalhista, de uma ��rea do Direito, e vem sendo alvo de muitas discuss��es. Muitas pessoas est��o falando que o direito de trabalho vai acabar, que n��o existe mais oportunidades. Ao mesmo tempo, a gente v�� o surgimento de novas ��reas de atua����o, novas possibilidades. Tenho certeza que voc�� vai agregar bastante com os colegas advogados que est��o nos escutando.

Thassya:   4:00
Gabriel Para mim, �� uma honra meu agradecimento, juntamente com vinte e cinco, muito honrada, principalmente para falar de um tema que eu tenho falado. Muito vivenciado na pr��tica que eu acho que ele vem, justamente como uma nova forma para a advocacia olhar, enxergar o direito do trabalho,

Gabriel:   4:19
liga altas. E assim, para que ainda n��o sabe se pode explicar um pouquinho que que �� o complexo trabalhista e coco. Contexto assim que ele surgiu,

Thassya:   4:29
ent��o acompanhe. No geral ele �� justamente voc�� estar em conformidade, em conformidade com o que com as leis em conformidade com regimentos inconformidades, como normas. E a��, quando a gente traz isso para o direito do trabalho, �� para que a empresa esteja em conformidade com a com a Constitui����o Federal, com as conven����es coletivas, acordo com coletivos, com as normas e regras internacionais do direito do trabalho, para que uma empresa ela fica aos leis, ela esteja em conformidade. Ela j�� surgiu internacionalmente, tanto na Inglaterra como s�� que a legisla����o inglesa e tamb��m americana, com a legisla����o, a participe. E essa lei �� incipiente. Ela determina que toda empresa que trabalhe com os Estados Unidos tenham complexos, e �� por isso que vem Ent��o, a necessidade da Petrobras ter um contrato em si dentro da empresa. O que aconteceu? A Petrobras, como a gente sabe, ela n��o seguiu todas as normas, todas as leis, e a�� n��s tivemos ent��o a Lava Jato. A gente esteve antes da Lava Jato, at�� alguns casos do mensal��o, muitas manifesta����es. Isso tudo fez com que o legislador aqui no Brasil, o vice, a necessidade de implementa����o de um programa de integridade. E a�� veio ent��o a Lei anticorrup����o com essa lei anticorrup����o a gente tem um controle em si, vindo para o cen��rio brasileiro como uma obrigatoriedade. E a�� porque falar ent��o de comp��e se trabalhista como direito? Ele �� um s��, o controle se tamb��m a um s��, mas n��o tem como um advogado. Ele atua em todos os ramos do direito, assim como n��o tem como ser o ��nico profissional, um plano para o complexo em todas as ��reas. Ent��o, por uma quest��o de metodologia, a gente dividiu com pa��s. Ent��o n��s temos o como plano anticorrup����o, o que �� mais para a ��rea criminal, O complexo tribut��rio, o complexo m��dico aqui, que �� o que eu trabalho �� o comp��e, se trabalhista. Ent��o a gente vai voltar toda essa energia da empresa todo esse cumprimento de lei, de regras para a gest��o de pessoas, que �� uma das ��reas empresariais em que faz, com que o empres��rio fecha as portas, porque o tributo, sem precisar deixar de pagar um tributo, vai ser ruim para ele. Vai ser muito ruim, Gabriel. Mas quando o empres��rio ele deixa de pagar sal��rios e benef��cios trabalhistas. Ele fecha as portas. A Receita espera h�� anos para receber mais tarde ferramente ainda sete cem. Ent��o oitenta vezes mais um trabalhador e n��o hist��ria, tanto tempo para receber. Ent��o justamente para evitar que empres��rios fechem as portas, n��s temos aqui um programa de integridade para que ele, como estrat��gia consiga seguir as leis, as regras e pelo lucro. Com isso,

Gabriel:   7:45
liga alta. Assim assim, eu tenho uma d��vida em pr��tica sobre o complexo em geral, inclusive no complexo trabalhista, porque assim surgiu como uma necessidade legislativa. Ent��o, o legislador ele come��ou a impor essa medida e, para as empresas como a nova necessidade do mercado. S�� que por tr��s o complexo tamb��m. Existem v��rios benef��cios a�� que as empresas podem auferir, porque se elas atuarem dessa forma mais transparente, naturalmente a gest��o vai ser mais mais mais segura. At�� os colaboradores v��o ficar mais satisfeitos. S�� que como que voc�� oferece esse tipo de servi��o por seus clientes, considerando que talvez v��rios deles ainda n��o enxergam esses benef��cios imediatos.

Thassya:   8:34
Estrat��gia Em primeiro lugar, a gente sempre fala da redu����o da judicializa����o. Ent��o sempre falo que com um complexo que vai ter muito menos processos, ent��o vai diminuir o passivo trabalhista dele. Mas aqui �� importante a gente lembrar que nem todo o cliente vai ser convencido dessa forma, porque vai chegar a um cliente que vai falar. Mas eu nunca tive a����o ou ele vai falar, mas essa tive uma. Ent��o a gente vem aqui, por outro lado, falando da redu����o de multas, do aumento de produtividade, da redu����o ali do Par��, n��o houver ent��o de toda hora, ter uma rotatividade muito grande na empresa. Redu����o de acidentes de trabalho, melhoria na imagem, na reputa����o, Uma vantagem competitiva muito menor. Estava assim ta��a. Mas isso, na pr��tica, o cliente entender, pode trazer aqui alguns exemplos que eu chego nas reuni��es para o meu primeiro exemplo eu sempre leva o exemplo do Carrefour. Essa jovem exemplo do Carrefour, Sim, o cachorrinho do Carrefour �� um exemplo fant��stico para a gente levar �� empresa. Porque se a gente pergunta aqui para todas as pessoas que est��o vindo a se pode querer se quem j�� foi no supermercado noventa e nove v��rgula nove por cento j�� foi muito mais uma vez quem j�� foi um supermercado e um cachorro na frente do supermercado o ��ndice �� muito grande. Ent��o, como que o Carrefour e que elaborou ali as normas, os procedimentos do Carrefour N��o pensou que poderia ter um cachorro na frente do Carrefour? As reclama����es ser�� que os funcion��rios do carreira, cuja fizeram falando da quantidade de cachorros? Ent��o, se um ponto para se pensar, tudo isso tem a ver com a imagem da empresa? O Carrefour perdeu muito dinheiro com aquele caso do cargo de Jorginho. O Carrefour teve que fazer parcerias com ONGs. O Carrefour tem a imagem manchada. Ainda assim, foi o dinheiro que ele n��o precisava perder. Mas isso poderia ter sido evitado com companhias e sim, sim, porque n��o c��digo de conduta do Carrefour poderia colocar sobre quando tiver cachorro? O Carrefour j�� tem uma parceria com a ONG que a�� o funcion��rio j�� liga direto para essa ONG. Essa ONG busca o cachorro mas nessa jogada de marketing para o Carrefour, que coisa incr��vel? Eu tenho clientes que �� um hotel, e com o problema que ele tinha, um morador de rua na porta do hotel. �� uma cidade muito pequena, um at�� o que tem doze quartos, ent��o at�� o pequeno. E a�� tinha muito cachorro, eu fiz uma parceria com a prefeitura, com cachorro, perd��o com moradores de rua para a gente est�� com muito problema com o morador de rua, a gente pode fazer uma parceria com a briga, Acho que isso vai ser bom, a Prefeitura prontamente falou que seria por ser e ser�� bom at�� para a imagem da prefeitura. Ent��o, o nosso c��digo de conduta com este hotel tem quando tiver um morador de rua, basta que o hotel ligue no telefone que o abrigo da prefeitura busca esse moradora de rua para dar condi����es humanas para ele viver O hotel apareceu em todos os jornais da regi��o. O primeiro hotel a fazer isso. A produtividade do hotel aumentou porque os funcion��rios se com fam��lias de trabalhar no hotel, que apareceu no jornal e olha em seis meses, ou at�� aumentou a quantidade de h��spedes em cento e trinta e oito por cento. Ent��o, �� algo. Porque foi uma estrat��gia do complexo. Quando a gente estava fazendo a pesquisa de clima para elaborar o c��digo de conduta, que �� uma ferramenta do complexo, est�� falando quintal. Voc�� tem outra exemplo para me dar? Eu pe��o aqui para todo mundo que estiver assistindo a se pode querer, se escreve no mundo presente, em deixar t��rio. Se voc�� escrever dos do presidente, deixa vit��ria as quatro, cinco principais not��cias v��o ser um caso com o caso do banco Ita��, Porque a imagem do Ita�� se tivesse treinamento corporativo, se ele tivesse um canal de den��ncia, ele poderia ter evitado esse caso de ass��dio moral. E, caso n��o seria not��cia no blog como a gente est�� aqui por causa do complexo, melhorando a imagem reputa����o da empresa em uma outra vantagem. Outro benef��cio �� a vantagem competitiva. Muitas imprensas est��o perdendo lugar no mercado porque n��o tem como um complemento implementado, por exemplo, investidores internacionais. Para eles �� muito normal, completou. Se a empresa que no Brasil n��o tem, ele j�� n��o querem investir. Empresas que terceirizam servi��os s�� querem terceirizar, mesmo num ambiente privado. Viu? N��o estou falando nem da ��rea p��blica aqui. Mas, mesmo no ambiente privado, eles s�� querem terceirizar a empresa terceirizadora tiver um programa de contar. Ent��o, se voc�� n��o tem, ou seja perde mercado, voc�� perde uma vantagem. Voc�� perde investidores. Isso tudo s��o levantar agentes para aqui. E eu, como advogado el��trico, meu poss��vel cliente sobre a produtividade. Quando um cliente ele tem funcion��rios que trabalham felizes, ele produz muito mais. E o funcion��rio que produz mais ele nunca para a empresa pode trazer um exemplo Gabriel Restaurante quando as vezes n��o seja, foi num restaurante que a comida era muito boa. O ambiente era bonito, tinha visto a boa, s�� que o gar��om que atendeu bem quando Larsson n��o atende bem. Quando algu��m pergunta deste restaurante voc�� fala olha restaurante. Muito bom. A comida doada por ch�� na cidade s��o, me atendeu bem e, em contrapartida, voc�� tem um restaurante que a comida nem �� t��o boa. Mas o gar��om ele j�� tem de consumismo no rosto. Se voc�� tem filho, ele j�� leva ali um dias de ser era para o seu filho. Se voc�� j�� tinha lembra que voc�� gosta da coca? Congele im��, ele te dar boa noite feliz. Ele traz a comida, faz at�� uma gracinha com voc��. Ent��o, voc�� volta a ser, Falar da comida n��o �� t��o boa, mas os gar��ons s��o sensacionais! Voc�� volta nesse restaurante? Isso tudo tem a ver com produtividade, com o funcion��rio trabalhar num lugar que ele se sente feliz que ele se sente importante que ele v�� que ele tem prop��sito. Esse �� o xis da quest��o com companhias nos treinamentos corporativos, que �� uma ferramenta do contrato. A gente faz justamente isso e a ��ltima dica que eu trago para convencer tamb��m o cliente para apresentar para o cliente �� justamente nem sempre a gente apresentar complexos e trabalhista. Mas ��s vezes eu posso chegar ao meu cliente e oferecer as ferramentas do complexo, porque muitas vai falar. N��o preciso de um companheiro, mas ele que �� um c��digo de conduta no regulamento interno, um canal de den��ncia, um treinamento corporativo, uma matriz de risco, uma auditoria, isso tudo s��o ferramentas de um programa de compra de trabalhista

Gabriel:   15:51
muito legal. Est�� se eu acho que durante a sua fala, lembrando muito de um relat��rio da Deloitte que eu j�� citei, como outros epis��dios do Laerte Loya. Mas esse relat��rio ele basicamente ele diz que o advogado ele est�� mudando, por muito tempo, advogado. Era s�� aquela pessoa que faz as peti����es que cuidava das atividades propriamente jur��dicas. S�� que hoje muito mais do que as atividades jur��dicas. Os advogados est��o come��ando a servi��os como parceiros do neg��cio, ent��o a gente fala e de produtividade. Como voc�� trouxe agora de aumento da performance da equipe, de diminui����o do risco da opera����o. Eu acho que isso tem tudo a ver com a atua����o do complexo, e eu fiquei muito curioso para entender o que voc�� precisou de estudar para se tornar refer��ncia nessa ��rea. Porque eu imagino que �� ��bvio que teve toda a parte jur��dica, mas provavelmente tamb��m tiveram outras habilidades.

Thassya:   16:51
Eu acho que a principal coisa que eu come��o a estudar isto voc�� vai rir. Gabriel foi orat��ria. Eu s�� consegui instale nesse meio, vira uma autoridade ser contratada por grandes empresas, pequenas empresas. Porque o jeito de voc�� falava eu te explico o motivo por

Gabriel:   17:16
que passa o contato desse professor de orat��ria para os colegas advogados porque ele �� bom mesmo.

Thassya:   17:23
Olha, �� uma advogada que ela e orat��ria, em uma luta muito bom, mas sabe que o que aprendi com a orat��ria, primeira coisa o poder de convencimento do cliente em dois gatilhos. Isso tudo �� essencial para toda a ferramenta. Acompanhe. Eu preciso melhorar a hist��ria, porque eu preciso afinar os colaboradores sobre essa ferramenta. Ent��o �� uma ferramenta important��ssima que a gente tem aqui, como a gente est�� falando s�� para advogado eu posso falar abertamente �� a ferramenta de complexos. Que o mais bem dinheiro, Gabriel e a gente sabe que o dinheiro ningu��m aqui quer trabalhar sem ganhar dinheiro. E por que? Porque a ferramenta do treinamento corporativo e hoje a Justi��a, inclusive j�� tem condenado empresas a realizar treinamentos corporativos durante cinco, seis anos. As condena����es tem condena����o que diz obrigado a realizar treinamento corporativo de ass��dio moral a cada seis meses, durante cinco anos aqui, ent��o, advogado. Isso eu tenho orat��ria, eu consigo muita, um treinamento eficaz. Eu consegui montar um treinamento em que ser�� eficaz, em que a empresa vai entender o meu valor e cada vez mais, vai precisar de mim. Para Pintado, n��o existe essa orat��ria, estudei s�� orat��ria, mas o primeiro passo, e mudou muito a minha advocacia. Eu te fala se de olhos fechados, todo mundo que me, qual, a primeira coisa que precisa estudar orat��ria e orat��ria, Ele n��o �� um dom. A gente sempre acha que falar em p��blico �� um dom, fala em p��blico, �� uma habilidade, orat��ria, treinava da depois o que voc�� estudou. Depois eu comecei a estudar sobre gest��o de pessoas numa vis��o de lideran��a. Ent��o o que vai pagar para ter sucesso? Quais s��o as maiores d��vidas? Eu j�� tinha essa bagagem do direito, do trabalho, da conven����o coletiva, mas eu comecei a olhar, n��o se posiciona muito sobre ass��dio moral que precisa estudar. Ent��o, comecei a ler livros tamb��m de psicologia, ent��o comecei a estudar sobre ele, l��deres de sucesso. Ent��o leio muito livro de principalmente, biografia de pessoas que tiverem empresas de sucesso. Estudo muito sobre os tiros de obus Estudo muito sobre Esqueci o nome dele agora, mas o dono da polishop porque empres��rios de sucesso. Ent��o a gente tem que saber que pensaram que eles conseguiram ter tanto sucesso. E depois comecei a estudar, claro, muito sobre com p��es. E a�� voc�� come��a a ter uma vis��o diferente. Ent��o fiz diversos cursos de complexos. Eu tenho um curso de companhias, inclusive para a gente come��ar a analisar. Os outros profissionais est��o pensando, come��a a lei muito livre. Eu acho que assim o que mudou completamente a minha vis��o de ver o complexo. E foi no momento que todo mundo estava desesperado com a reforma trabalhista, a cada livro que eu iria falar. Mas a empresa muito mais do que a a����o trabalhista. Ent��o, quando eu chego numa empresa, eu chego falando sobre o neg��cio dela. Se alguma ali para uma empresa que �� uma cl��nica m��dica, come��am a olhar artigos na internet sobre os m��dicos. O que �� uma cl��nica m��dica precisa ter? E quais s��o as maiores reclama����es de um cliente de uma cl��nica m��dica? Cl��nica m��dica sem sucesso? Eu chego nessa cl��nica m��dica para onde a linguagem dela, como que ela pode parar de ter essas reclama����es? Eu tenho um cliente que �� uma academia e quando eles foram me contratar eles falaram assim tentar. Se a gente s�� fez a reuni��o com voc�� porque voc�� foi muito indicada, mas a gente acha que n��o tinha nada para acrescentar. Na semana que foi atender, era como poss��vel cliente. Eu estudei muito, muito duas academias de sucesso para passar uma academia que, claro, claro, eu estudei muito sobre Marte feitos e sobre s��o duas academias, que s��o os valores muito baixos e academias que lucra muita gente tenha em todas as cidades, quando foi, parece meu cliente. A primeira coisa que ele falou assim, olha, Argentina, tem um problema assim. Assim come��a a falar e ao falar a primeira coisa que est��o com o modelo de neg��cio errado, porque se a gente for ver bem, estou falando assim exatamente como fazem na reuni��o eu vou, estrada que o exemplo das smart fit uma empresa com smart fit, uma academia smartfit, ela tem um pre��o muito baixo porque ela lucra porque ela s�� precisa ter uma estrutura tanto na estrutura f��sica como uma estrutura de funcion��rias para trinta por cento das pessoas que est��o matriculadas, Porque setenta por cem para vai ter um lucro porque as pessoas n��o v��o para academia, n��o est��o na academia porque o valor �� muito barato. Agora, conforme isso, ainda como se fosse hoje, a dona da academia fechou a agenda que ela estava l��, quando o que a gente comece. Porque isso porque eu fui falar com ela, a linguagem dela, Preciso conhecer o neg��cio do meu cliente. �� preciso conhecer sobre l��deres de sucesso. Esque��am que voc��s v��o atuar em complexo apenas estudando sem lei anticorrup����o, Constitui����o Federal, normas da CGU, N��o. Isso tudo voc�� vai precisar. J�� entre no site da CGU, baixa todos os e-books que voc�� tem, gratuito e estuda. Isso �� obriga����o. Agora para voc�� poder de convencimento do cliente para voc�� conhecer o neg��cio do seu cliente. Come��a a ver que tipo de cliente eu quero para a academia? Eu quero com��rcio, eu quero ind��stria, Eu quero pequenos empres��rios, come��a a ver o que eles precisam ter para ter um diferencial E vai para a internet. Vai estudar sobre l��deres de sucesso naquelas ��reas. Estuda muito sobre gest��o de pessoas, sobre o poder de convencimento sobre orat��ria. Tamb��m olhe todos os dias. No site do PSDB, saiba que o Tribunal Superior do Trabalho est�� decidindo se chegar numa empresa, fala Olha, eu n��o quero que c�� in��cio, precisam compensa����o. Ent��o, como que a gente faz para voc�� cumprir essa determina����o legal e ao mesmo tempo pelo lucro e ter benef��cios? E a�� sim, voc�� convence o cliente? Porque isso vai estar conhecendo o neg��cio dele,

Gabriel:   24:03
n��o muito legal ta��a. E assim eu queria destacar algumas v��rias coisas. Haver�� de pessoa, fala primeiro o dom��nio que voc�� tem do seu p��blico alvo, que eu acho que mais. E o que voc�� falou ali no in��cio, que n��s advogados querendo ganhar dinheiro no final das contas �� ��bvio que queremos, mas tamb��m tem que entender que o nosso cliente que ele quer ganhar mais dinheiro tamb��m. Ent��o, n��o �� justamente essa. E quando a gente consegue ter uma abordagem como a que a ta��a acabou de trazer para a gente, que a gente deixe de ser ele redatores de peti����es, redatores de contratos. E come��amos a ser realmente um suporte de estrat��gico do neg��cio do nosso cliente. E para que a gente consiga fazer isso, �� preciso que a gente consiga ter uma vis��o mais ampla. E a�� �� o Tchan e pede que os diz que o que est�� bem na moda e fala sempre que precisa de ter os conhecimentos em forma em ter. Ent��o, o que a gente tinha de uma ��rea mais profunda que enche domina mais, ��s vezes vai ser o conhecimento sobre Hewitt sobre o pr��prio complexo ou sobre a outra ��rea de sua especialidade. Mas, al��m disso, se a gente conhecer um pouco mais sobre o modelo de neg��cios, sobre orat��ria, sobre outras habilidades, ele que podem ser interessantes para aquele p��blico alvo que eu estou buscando, Certamente voc�� vai ser um profissional muito mais diferenciado e vai conseguir realmente endere��ar as dores, ele daqueles daquele cliente E a�� vai conseguir adquirir mais clientes e fidelizar os clientes. E vai conseguir o que todo advogado gosta. Um boca a boca, cada vez mais forte. Porque se voc�� est�� fazendo uma atua����o t��o diferenciada assim t��o personalizada as necessidades daquele cliente, ele vai certamente indicar para o outro ele poss��veis clientes. Eu tenho uma pergunta se qualquer tipo de cliente sim, que geralmente busca o complexo, porque voc�� falou de colo de academia. Voc�� falou Ele falou diferentes setores na ver��s. Eu tinha a impress��o antes desse epis��dio que o complexo geralmente era para empresas maiores. Estou errado.

Thassya:   26:13
A gente tem essa falsa impress��o, porque porque pela lei, a obrigatoriedade de ter um programa de completo, somente para quem participa de licita����o e a gente sabe que geralmente quem participa de licita����o s��o empresas grandes. Mas esse cen��rio tem mudado muito, porque que as empresas pequenas, elas querem ter uma vantagem competitiva para se inserir no mercado. N��s j�� est��o querendo muito n��o o programa de complexo, mas elas chegam at�� o meu escrit��rio, querem das ferramentas do programa, ent��o hoje tem muito cliente, eu te falo muito cliente pequeno. Eu tenho uma empresa que eu tenho. Mais quatro empresas que s��o meus clientes. Nem sais eles t��m. N��o tem dez funcion��rios, S��o empresas pequenas, porque porque eles primeiro me contrataram para elaborar o c��digo de conduta, porque ele estavam elabora no site isso que um site tivesse uma vis��o de uma empresa grande, ent��o colocar um c��digo de conduta depois eles quiseram regulamento interno que eles viram a necessidade, depois eles queriam um treinamento, a empresa pequena. Ela j�� est�� vendo a necessidade de um programa de companhia, mas ela chama de programa de complexo. Ela vai chamar das ferramentas, ent��o fala que o que �� um c��digo, porque tem um primeiramente que um regulamento, e aqui �� importante que o advogado que saiba se posicionar est�� ainda quando o que ele pode falar com p��es e quando o que vai ser enviado ao falar acompanha? Talvez, eu falo outro nome importante eu convencer o cliente cliente entender que precisa disso. Como voc�� falou aqui no come��o de gatilhos mentais? �� justamente isso a gente saber como chegar no cliente. Ent��o eu te falo com toda a certeza. N��o �� papo de vendedor de verdade mesmo. Hoje, toda e qualquer empresa que, principalmente as empresas pequenas, porque elas enxergam que eu s�� vou chegar ser grande. Se eu tive isso aqui, ent��o elas querem ter uma vantagem, um lugar ali no mercado, no mercado do profissional, no mercado, no mercado de neg��cios. Ent��o, hoje todas as empresas que t��m dado mais certo para mim, esta programa de complexo completo eu sou contratada de dois bancos. Ent��o fa��o parte da equipe de complexa, de dois bancos e de uma multinacional. Aqui s��o tr��s casos que est��o empresas grandes, mas n��o fa��o parte da equipe de complexo B, diz. Eu n��o implementa e sozinho o programa de complexos. Tenho tamb��m outras quatro empresas que a�� eu que implementei todo complexo, ent��o foi meu escrit��rio aqui que a gente implementou. Dessas quatro empresas, somente uma empresa tinha falou assim. Olha, uma grande empresa, Guilherme, as outras quatro uma tem trinta funcion��rios. Das outras duas, tem quinze funcion��rios e eu tenho muito cliente. Mas assim eu te falo muito mesmo que me contratam para as ferramentas, ent��o eu fa��o muito c��digo de conduta. Eu fa��o muito regulamento interno, auditoria, treinamento corporativo, implementa����o do canal, para voc�� ter ideia eu fiz o no final do ano passado, no ��ltimo dia ��til, contabiliza c��digos de conduta eu fiz no total, fiz oitenta e quatro c��digos de conduta em dois mil dezanove. Veja n��o foram empresas que me contrataram para fazer todo o procedimento de controle, mas eu s�� pode elaborar o c��digo de conduta porque eu tinha experi��ncia do complexo, entendeu?

Gabriel:   29:56
Achei muito legal que cita traseiro est�� se teve um epis��dio que, recentemente no leite longa, recebeu Leandro Renan Gente valor sobre media����o de conflitos. E nessa oportunidade a gente discutiu justamente isso. Na media����o, muitas pessoas t��m dificuldade de oferecer seu servi��o de realmente ganhar dinheiro com isso, porque ��s vezes, com colocando a media����o �� uma caixinha, tentam vender aquele procedimento padr��o ali para os clientes. Isso que �� sem ele, ��s vezes dos benef��cios e que nem sempre precisa de ser. Some de a����o que vem dia dez voc�� vai vender s�� algumas das ferramentas que �� esse m��todo de ajuda. E, naturalmente, os clientes n��o v��o achar isso. Mas mais interessante do que voc�� falar que est�� ali, facilitando a comunica����o entre duas pessoas. Eu acho que da mesma forma, com complac��ncia a gente. Se voc�� vai valar, vou vender um complexo para algu��m. ��s vezes, a pessoa vai ter assustar principalmente uma empresa pequena. Agora, se voc�� souber ele vender os benef��cios e, as vezes n��o necessariamente vender um metro completo, mas as ferramentas certamente voc�� tamb��m pode conseguir mais clientes. Com isso voc�� j�� contou algumas coisas est��o dando certo para voc�� ta��a Eu queria saber se voc�� tamb��m podia compartilhar assim, que se fa��a de marketing. Se voc�� tem algum tipo de processo de vem das obras, o que voc�� puder compartilhar, a gente sente que pode compartilhar com colegas.

Thassya:   31:24
Daniel Eu gosto falar tudo que eu fa��o, porque eu acho que se est�� dando certo para mim pode ajudar outras pessoas. Eu acredito que quanto mais gente falando de companhia n��o permitir�� ao cliente, ao contr��rio vai lhe trazer mais, porque cada vez mais os clientes v��o ver a necessidade de ter isso. Ent��o, a primeira coisa que eu fa��o e que tem dado muito certo para mim falar do assunto, claro. Mas como eu gosto muito de utilizar o Instagram, ent��o hoje, instagran ele me trouxe e continua me trazendo oitenta e cinco por cento dos meus clientes. Eu te falo isso. Eu anoto exatamente de onde vem. Eu tenho um gr��fico aqui no meu computador que mostra exatamente da onde os nossos clientes e

Gabriel:   32:09
isso tem uma import��ncia. Mas assim a gente sempre gosta de soltar aqui no Oeste, falou da import��ncia de voc��s analisarem as m��tricas do seu neg��cio. Regi��o como a ta��a, pintura e de uma forma precisa. Ali antes, ela nos falou exatamente quantos c��digo de conduta que ela fez com isso �� certo e errado. E agora tamb��m ela j�� falou assim exatamente quanto por cento dos clientes vindo esta grande, voc�� sabe de onde vem seus clientes, fica E j�� h�� uma pergunta que talvez voc�� pode trabalhar em cima?

Thassya:   32:44
Eu acho isso muito importante, sabe porque ��s vezes a gente fica um cliente, a gente come��a a tirar para todo lado, Mas na verdade eu tenho aqui. Eu j�� sei que meus trinta, oitenta e cinco por cento v��m do Instagram. Ent��o eu vou focar as minhas energias, porque tem dado certo para mim, a gente quer tirar para tanto l��, a gente n��o faz nada bem feito. Ent��o, o que eu fa��o no Instagram? Eu tenho cinco linhagens de posse, esta s��o os postos que imita. O primeiro que eu fiz. Eu fiz uma lista de cem fazer ent��o, no meu caso, �� um ato muito com sustenta����o oral no Esse �� um produto que eu tenho. E o complexo e a�� todos os produtos que eu tenho dentro do complexo, n��o para que eu possa oferecer isso para o cliente empresa cliente, advogado que ele pode ser meu parceiro. Ent��o, j�� sei quais s��o os meus produtos e eu j�� sei para quem eu quero oferecer. Agora precisam fazer poste que eu consiga alcan��ar essas pessoas. Ent��o, por exemplo, eu voltou como esta grande aberto e eu vou trazer aqui para voc��s. Primeiro poste que tem aqui, que �� um poste, que me trouxe muito cliente, eu fiz, A gente est�� na ��poca de Big Brother Brasil, eu gravei um v��deo da TV falando do caso do t��cnico. Estava falar, sentasse, mas n��o tem nada a ver com o direito do trabalho que eu fiz. Eu usei uma analogia, eu falei se lembrar dele fosse uma empresa e o t��cnico de um funcion��rio, voc�� sabe o que voc�� teria que fazer? Olha o que eu tive divis��ria, tive tr��s, mil e trinta e oito visualiza����es! Noventa E cinco coment��rios aqui foi muito bom, porque o cliente come��a a ver gente, estou com um caso parecido com isso na minha empresa. Outro caso que �� um po��o que me trouxe, mostra aqui para voc��s o poste que me trouxe mais experiente. At�� hoje, inclusive eu foi contratada por uma por causa desse post. E para dar treinamento corporativo �� um posto que eu tenho, que fala o caso do Carrefour. O posto de super simples �� uma fofoca minha. Ent��o, n��o tem nada demais. Est�� escrito assim, Carrefour, condenado por castigar funcion��rios. Eu fa��o uma legenda onde explica o que aconteceu, da import��ncia de ter um treinamento, est��o a cuidado com o meio ambiente do trabalho desse porte. Teve mil cento e oitenta curtidas. Falta em ta��as e posso te trouxe, al��m do banco, que me contratou para treinamento de ass��dio moral. Duas outras empresas que contrataram para fazer um c��digo de conduta, ou seja, um ��nico post, me trouxe isso. A gente tem mais. Eu tenho planos de aqui, uma not��cia. N��o tem outro que est��. Todo mundo falando traz essa not��cia para o seu Instagram gente Instagram, As pessoas olham para cozinhar. O empres��rio n��o est�� olhando Instagram, pode ser at�� que o empres��rio n��o esteja o que eu sou contra, eu tenho certeza que ele est��, mas o filho dele t�� a esposa ou o esposo de algu��m que �� dono, que cuida de uma empresa, pode estar e ��s vezes meu marido conta para a mulher. A mulher conta para o marido, a diretora de uma empresa. Pode estar um funcion��rio de uma empresa, deve pagar, pode estar, viu algo que aconteceu, vai falar para o dono da empresa. Olha todo mundo que se pode alcan��ar, e sempre assim na linguagem para alcan��ar o seu cliente. Em nenhum momento eu falo me contratos, eu posso, por exemplo, minha rotina. Hoje estava que elaborando o c��digo de conduta para uma empresa, eu j�� deixa novamente dessa pessoa decis��o poss��vel cliente que eu fa��o o c��digo de conduta por isso que �� importante. A gente est�� para quem a gente quer, quem a gente quer ou quem sabe. E que tipo de servi��o que a gente tem. E aposto que se vai fazer mais relacionada aos produtos que voc�� tem indica����o de livro tamb��m �� muito bom. Est�� tamb��m algo que �� muito bom, sempre falando do assunto assim que a pessoa entenda. Ent��o, a gente hoje nenhum treinamento numa empresa foi assim, assim, assim, o treinamento �� importante por causa disso, hoje elaborem um c��digo de conduta �� muito bom, porque a empresa sempre falam dos beneficios, o passo a passo para fazer, sempre dando dicas pensando que quanto mais voc�� d�� dica quanto mais controle de conte��do gratuito voc�� tem, o empres��rio ou o advogado parceiro que possa contratar ele vai pensar fim de gra��a. Esse advogado �� advogada Mudar esse tanto de conte��do imagina quando eu pagar assim que a gente vira refer��ncia, porque hoje s�� referentes em complexo, porque eu s�� falo disso que �� importante que no seu Instagram ou onde a plataforma que voc�� quiser divulgar. Falar que voc�� escolha exatamente quem voc�� quer alcan��ar, n��o deixa o cliente confuso. Se voc�� quer alcan��ar cliente para comprar esse trabalhista, ser��o Vai falar do direito de fam��lia, de direito penal, Direito tribut��rio, direito digital. N��o vai falar de como falar esse trabalho porque vai ficar na mente do seu poss��vel cliente, que �� isso que se faz e ele vai te contratar para isso. Outra coisa que me traz muito cliente, que �� muito bom, s��o palestras em desempenho, sempre est��o palestrando. Eu vou no evento participam muito de networking Eu vou em palestra de colegas sempre para o que aquele ditado quem n��o �� visto n��o �� lembrado pelo sempre fa��o quest��o de participar de um dos meus clientes est��o, porque a�� eu possam do assunto.

Gabriel:   38:24
Achei muito muito interessantes, uma fala est�� se que voc�� tem primeiro com muitos. J�� trouxe ele anteriormente com bem voc�� conhece seu cliente, sabe onde ele est��? Sabe quem s��o os influenciadores? Elina No processo de tomada de decis��o, nem sempre vai ser s��cio da empresa que vai tomar decis��o. S�� o presidente, s�� o diretor, o estagi��rio que italiano. Esta grande tamb��m tem voz, a esposa do diretor, eles existem voz ou a empresa ��rea? Ele tamb��m vai ter voz. E �� muito legal voc�� entender tudo esse processo de compra do seu cliente. E a��? Hoje mesmo, no dia que est�� gravando esse epis��dio, que com a ta��a a gente vai, vai ao ar nenhuma aula sobre cria����o de persona, a defini����o do cliente ideal para o Par��, escrit��rio, advocacia e muitos advogados t��m medo. E essa defini����o que a ta��a fez hoje, ela se posiciona somente como especialista em comprar esse trabalhista tem muito advogados que ainda est��o tentando advogar em v��rias ��reas ao mesmo tempo, sendo que talvez a estrat��gia n��o vai ser t��o eficiente assim. Porque se voc�� possa o conte��do de direito, de fam��lia, direito civil, direito tribut��rio, direito, consumidor, seu potencial cliente, ele n��o vai saber para que ele vai ocorrer. Agora, se voc�� s�� possa de uma ��rea espec��fica, naturalmente, voc�� vai come��ar a servi��o como especialidade na ��rea.

Thassya:   39:45
�� exatamente �� muito interessante isso. Uma vez uma empresa chegou at�� mim porque a empresa ela tinha uma, cinco ou uma mulher assim competente. Eu admiro muito ela. Kate �� a grande, mas o marido dela tinha. E a minha postagem chegou ao marido dela, porque ele atua com aplicativos. Quem eu fiz um post sobre canal de den��ncia que algu��m mandou para ele para falar sobre aplicativos, idealizar um aplicativo. Ele tamb��m est�� grande. Come��ou a ver, mandou para a esposa dele, que associou da empresa. J�� fiz dois treinamentos na empresa. Sabiam? N��o foi ela quem achou. N��o foi o dono da empresa que me achou seu esposo Darci, ou da empresa. Ent��o, como o Instagram? Eles est��o a fazer o nosso conte��do chegar at�� o nosso cliente

Gabriel:   40:43
muito legal, est�� h�� sete dias para quem ainda n��o. N��o come��ou a produzir conte��do, para que ainda n��o sabe como fazer um marketing para quem? Muitas vezes n��o tem tempo para fazer isso. N��o tem dinheiro para contratar mais pessoas para ajudar ao conselho que se daria.

Thassya:   41:01
Meu conselho �� simplifique. A gente acha que �� muito dif��cil simplifique. Separe um dia na semana pela o domingo pede uma hora do seu domingo e monte ali. Tr��s. Quatro postes j�� deixa reservada para ser que assunto que eu falo ainda no site do G um, o tribunal da sua sociedade, o assunto que eles est��o falando quatro postos em primeiro posto que vai colocar algo da rotina, uma fonte que voc�� tenha um computador aberto, de um livro, da sua agenda. Ou seja, um dia muito atarefado, cheio de trabalho. Ou ent��o segunda feira que vem na semana maravilhosa, algo simples da sua rotina para mostrar o que se fez, um outro conte��do. Uma not��cia importante, ent��o se pega ali. Faz par��grafo dessa not��cia e posta essa not��cia, encontra uma foto, sua no seu escrit��rio ou se voc�� faz uma of My Office, uma foto sua no computador ou pessoa no fundo. Branco. Qualquer coisa, mas fala de algo que se faz. Sabe o livro que voc�� leu, conta, algo que se faz com a sua miss��o na advocacia. E a�� um outro poste que voc�� pode colocar falando sobre uma decis��o recente que saiu, olha, decis��o recente do tribunal, tal s��o coisas que voc�� consegue separar um dia por semana para voc��. N��o est�� ali s o planejamento da semana no Instagram, Porque a�� conforme meio dia voc�� j�� est�� com tudo pronto, n��o fica t��o penoso e assim gente de verdade, esta grande como uma das prioridades. Olha, voc�� parar uma hora por semana para montar o planejamento da semana. Por qu��? A gente s�� vai ter retorno do Instagram, quando a gente come��ar a lidar com ele como uma prioridade. Enquanto a gente n��o v�� como prioridade nossa. Instagram, nunca vai dar certo. Eu tenho, Instagram um ano e meio nossa a minha vida profissional adotando. Hoje eu falo que n��o posso instagran estaria tamb��m como eu estou assim, mas muitos. Nem s�� de dinheiro, mas de reconhecimento, sabe? Eu sou uma jovem advogada, tem vinte e seis anos. J�� foi lugares, J�� alcancei coisas que mais seria s�� com dez anos de formada. E tudo foi porque por causa desta grande, porque as pessoas podem conhecer. ��s vezes voc�� �� um advogado, uma advogada que tem tanto a oferecer para a sociedade. Mas ningu��m te conhece porque voc�� n��o aparece. E ��s vezes, um v��deo seu, uma postagem, sua Jap��o, al��m de conhecer, j�� v��o saber de voc��. Isso pode mudar a vida de algu��m que voc�� fa��a. A gente quer ter retorno financeiro, com certeza. Mas acima de tudo bem a nossa fun����o social, a nossa fun����o como advogado tamb��m de falar da justi��a, de ajudar a sociedade e pensam teceu, pode mudar a vida de algu��m, pode mudar a vida de um empres��rio, pensa em fechar as portas, pode mudar a vida de um funcion��rio que n��o se sente capaz dentro da empresa. Pode mudar a vida de um advogado que est�� querendo, desistir da profiss��o, mas n��o todos de seu contando. Algo que ser fez contando uma estrat��gia que tem dado certo para voc��, contando de um livro que mudou sua vida contando uma rotina sua, dizer foi uma audi��ncia ou foi numa empresa tudo isso seguindo os padr��es da ��tica, tudo direitinho, conforme o C��digo de ��tica da OAB, mas d�� para fazer, separa. E um dia muito o seu planejamento da semana para as postagens por semana eu tenho certeza de ser, consegue, a gente l�� tanto, mas uma peti����o que a gente fa��a j�� �� conte��do a�� para tr��s, quatro, cinco postos fala daquilo que se sabe. E assim esquece artigo n��o esquece isso fala de uma forma f��cil, para que eu falo que um poste ele �� bom quando at�� uma crian��a de dez anos consegue entender. Ent��o fa��am que vai dar certo. Eu tenho feito e mudou muito a minha vida

Gabriel:   45:08
muito legal, bem vindos �� nova advocacia. Nem agora, Al��m de cuidar da toda a rotina de advocacia que n��o �� nada f��cil. Enfim, ainda tem tempo para fazer isso. E faz parte. Eu acho que h�� vinte anos, talvez o caminho do sucesso Na verdade ele era bem diferente do que �� hoje e cada vez mais dif��cil que voc��. Se voc�� n��o seguir esse caminho e est�� produzindo conte��do de estar gerando valor que seu cliente, voc�� tamb��m consiga crescer de uma forma t��o r��pido quanto as pessoas que est��o fazendo as duas coisas ao mesmo tempo. Eu queria saber se voc�� tem algum recado final para os colegas advogados que estamos executando. Assim eu aprendi bastante, assim como voc�� epis��dio Eu acho que foi um per��odo muito rico. Quero que voc�� deixa que o contato do professor de orat��ria, que no final eu tenho certeza que o advogado n��o gosta tamb��m.

Thassya:   46:04
Eu s�� quero mesmo agradecer n��o apenas o convite, mas agradeceu o trabalho que voc��s est��o fazendo. Eu acho que quanto mais advogados se ajudarem, quanto mais a gente se une a gente, dados humanos mesmo se une. Eu acho que a gente vai ter uma classe valorizada, uma profiss��o que seja mesmo valor realizada pela sociedade. A gente pode se ajudar. Eu, eu puder deixar um recado aqui para voc��s �� n��o desistam. Eu sei quedas da vontade da gente desiste da nossa profiss��o. Mas tem caminho. Essa hist��ria de que a advocacia trabalhista vai acabar a advocacia para mudando as m��quinas, v��o entrar no lugar dele, advogado, Isso �� tudo mentira. Tudo balela esta ningu��m nunca. Nunca, nunca! A gente nunca, que uma m��quina vai conseguir fazer o que a gente faz, n��o, n��o pensa a m��quina. Ela vem para nos ajudar e at�� a gente para a m��quina vai vir para nos dar um suporte para fazer com que a gente possa escalar de uma forma muito melhor, mas n��o est�� no substituir. Ent��o estudem, se atualizem. Eu acho que nada podem tirar qualquer coisa da gente, mas ningu��m nunca vai tirar o nosso conhecimento. Ent��o estudem mesmo Lei tem muito material gratuito na internet. De verdade tem. Eu tenho um site para quem quiser entrar no zero l�� tem reboque de gra��a. Tem artigo de gra��a sobre comp��es trabalhista. Procure meu Instagram tamb��m Entenda seu direito Tenho bastante, tem outras pessoas que t��m sites incr��veis de gra��a. A gente pode entrar. Procurar Bucky estudar, leiam Leio muito que ningu��m vai tirar esse conhecimento de voc��s. Sobre orat��ria, a professora de orat��ria, que �� o pa��s que �� incr��vel. Hoje �� uma grande amiga. Giovana Piacentini no Instagram Dela �� advogada. Na coluna dela, um crime. Ela vai ensinar t��cnicas que v��o mudar a mesma, sua forma de convencer o cliente de Saulo, que at�� nos meus treinamentos eu uso a t��cnica em casa dela, n��o s�� da forma de falar, mas aquela aquela orat��ria n��o verbal N��o �� como a gente mexe as m��os, como a gente se posiciona para onde a gente anda. Tudo isso influencia e o cliente valoriza muito saber qual a saber se comunicar algo que a gente precisa ter, principalmente como advogado, muito obrigada pelo convite. E espero que voc��s tenham gostado. Contribuir um pouquinho com com a vida profissional de voc��s, com a vida de voc��s, O que voc��s precisarem? Estou �� disposi����o!

Gabriel:   48:37
Muito obrigado. T��ssia. Foi um per��odo muito rico e assim eu queria agradecer, especialmente pela sua generosidade, em compartilhar os conhecimentos. Eu acho que a gente tamb��m se identifica muito com isso, com a transpar��ncia e ench��, gosta de falar tudo o que a gente sabe mesmo que n��o gosta de esconder e percebeu que da mesma forma voc�� fez o mesmo. E eu acho que isso que a advocacia colaborativa s��o pessoas querendo contribuir genuinamente com os outros. E quando a gente faz isso, naturalmente a gente consegue receber muito em troca. Para quem gosta de persuas��o do livro do Robert Cialdini, ele fala e do gatilho mental da reciprocidade, justamente o que a gente fa��a. Ent��o, a gente faz isso n��o �� �� toa �� pensando de uma forma pessoalzinho mais ponto com o mais genu��no. Voc�� foi querendo gerar valor para os outros. Naturalmente, mais voc�� recebe em troca E eu queria muito agradecer a todos os colegas advogados presentes novamente. Eu queria s�� dar um recado final, aus��ncia Acho que vale a pena. Voc�� j�� tem escutar esse epis��dio anterior de muito mais por tr��s da fala, da taxa, muito mais do que voc�� aprende. Isso, portanto, a esse trabalho. Certamente esse epis��dio trouxe bastante tamb��m cruz, forma de posi����o diferente. O epis��dio tamb��m mostra que a ta��a criou um modelo de neg��cio de sucesso para ela, quais habilidades aprender. Como ela enxerga o mercado? Como um dos seus clientes tamb��m? Assimilar isso? Eu tenho certeza que voc�� vai conseguir aplicar no seu escrit��rio. Advocacia com sucesso, h�� muito a Gr��cia de novo, da se Agrade��o novamente colega, advogado a colega advogado, agente civil, na pr��xima quarta feira para mais um epis��dio do ano