Lawyer to Lawyer, da Freelaw

#38: Direito Digital: passado, presente e futuro - c/ Alexandre Atheniense

February 12, 2020 Freelaw Season 2 Episode 18
Lawyer to Lawyer, da Freelaw
#38: Direito Digital: passado, presente e futuro - c/ Alexandre Atheniense
Chapters
Lawyer to Lawyer, da Freelaw
#38: Direito Digital: passado, presente e futuro - c/ Alexandre Atheniense
Feb 12, 2020 Season 2 Episode 18
Freelaw

O que é o Direito Digital?

Qual é a história do direito brasileiro?

Quais oportunidades jurídicas existem nessa área? E quais são os desafios?

Como se tornar um especialista em Direito Digital?

No episódio de hoje, Gabriel Magalhães entrevista Alexandre Atheniense, uma das maiores referências em Direito Digital do Brasil.

A história do Alexandre se confunde com a história do Direito Digital brasileiro e, ao longo do episódio, ele compartilha bastidores dessa jornada.

Alexandre Atheniense é advogado formado pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), especializado em Internet Law na Berkman Center na Harvard Law School e sócio fundador do Alexandre Atheniense Advogados.

Um dos precursores do Direito da Tecnologia da Informação no Brasil, conta com vasta experiência acadêmica e institucional, tendo exercido por oito anos (2002-2010) a presidência da Comissão de Tecnologia da Informação da OAB Federal, representando a entidade na discussão de projetos de lei no Congresso Nacional sobre os temas relacionados a Tecnologia da Informação, na interlocução sobre as práticas processuais por meio eletrônico no Conselho Nacional de Justiça e nos diversos tribunais brasileiros.

  • Coordenador da Comissão de Direito Digital do CESA - Centro de Estudos das Sociedades de Advogados. 
  • Membro da Comissão de Direito Digital do IAB - Instituto dos Advogados do Brasil
  • Árbitro em questões relacionadas à Propriedade Intelectual e Tecnologia da Informação na Camarb, CAMINAS e ABPI
  • Perito judicial na área de Tecnologia da Informação e propriedade intelectual
  • Autor de diversos livros sobre Direito Digital

Escute o episódio e compartilhe com seus colegas! Aproveite!

Comunidade da Freelaw no Telegram: https://t.me/comunidadefreelaw

Conheça o Blog da Freelaw: https://blog.freelaw.work/

Conheça o site da Freelaw: https://freelaw.work/

Acompanhe a Freelaw nas Redes Sociais

Linkedin: https://www.linkedin.com/company/freelaw-work/

Facebook: https://www.facebook.com/Freelaw.work/

Instagram: https://www.instagram.com/freelaw.work/

Youtube: https://www.youtube.com/channel/UCT6_26wyQV7GXriS0kogw1g

Música utilizada no Podcast: www.bensound.com

Show Notes Transcript

O que é o Direito Digital?

Qual é a história do direito brasileiro?

Quais oportunidades jurídicas existem nessa área? E quais são os desafios?

Como se tornar um especialista em Direito Digital?

No episódio de hoje, Gabriel Magalhães entrevista Alexandre Atheniense, uma das maiores referências em Direito Digital do Brasil.

A história do Alexandre se confunde com a história do Direito Digital brasileiro e, ao longo do episódio, ele compartilha bastidores dessa jornada.

Alexandre Atheniense é advogado formado pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), especializado em Internet Law na Berkman Center na Harvard Law School e sócio fundador do Alexandre Atheniense Advogados.

Um dos precursores do Direito da Tecnologia da Informação no Brasil, conta com vasta experiência acadêmica e institucional, tendo exercido por oito anos (2002-2010) a presidência da Comissão de Tecnologia da Informação da OAB Federal, representando a entidade na discussão de projetos de lei no Congresso Nacional sobre os temas relacionados a Tecnologia da Informação, na interlocução sobre as práticas processuais por meio eletrônico no Conselho Nacional de Justiça e nos diversos tribunais brasileiros.

  • Coordenador da Comissão de Direito Digital do CESA - Centro de Estudos das Sociedades de Advogados. 
  • Membro da Comissão de Direito Digital do IAB - Instituto dos Advogados do Brasil
  • Árbitro em questões relacionadas à Propriedade Intelectual e Tecnologia da Informação na Camarb, CAMINAS e ABPI
  • Perito judicial na área de Tecnologia da Informação e propriedade intelectual
  • Autor de diversos livros sobre Direito Digital

Escute o episódio e compartilhe com seus colegas! Aproveite!

Comunidade da Freelaw no Telegram: https://t.me/comunidadefreelaw

Conheça o Blog da Freelaw: https://blog.freelaw.work/

Conheça o site da Freelaw: https://freelaw.work/

Acompanhe a Freelaw nas Redes Sociais

Linkedin: https://www.linkedin.com/company/freelaw-work/

Facebook: https://www.facebook.com/Freelaw.work/

Instagram: https://www.instagram.com/freelaw.work/

Youtube: https://www.youtube.com/channel/UCT6_26wyQV7GXriS0kogw1g

Música utilizada no Podcast: www.bensound.com

Gabriel:   0:13
R��pido r��pido Voc�� EST�� Ouvindo Como Melhores Pr��ticas de Gest��o, Inova����o e Tecnologia Nenhum Direito Meu Nome Gabriel Magalh��es Bem vindo ao advogado para advogado. ISSO PODE that E oferecido Pela Freelaw. Uma forma mais segura para o seu escrit��rio de advocacia contrata advogados on-line e sob demanda. Eu sei Que TALVEZ R��pido r��pido Voc�� Nunca pensou nessa possibilidade, mas ��gora R��pido r��pido Voc�� PODE Realizar Parcerias com advogados Especializados em QUALQU��R ��rea fazer Direito da Acordo com a SUA necessidade. �� s�� entrar no site da vida a habilidade do ponto frio ponto ou enviar uma descri����o doservi��o que precisa ser deputado, como orienta����es, ou prazo. E a�� est�� t��o aguardar mais acontecer e voc�� pode visualizar como propostas dos profissionais. Fa��a parte agora da nossa comunidade realmente ou portif��lio de servi��os jur��dicos que seu escrit��rio oferece aos seus clientes.

Gabriel:   1:23


Gabriel:   1:23


Gabriel:   1:23
Para a advogada ol�� divulgados, VOC��S pediram e uma frilot atendeu. NOS trouxemos O Alexandre Atheniense, um dos MAIORES Icones a�� brasileiros n��o Que se Trata fazer Direito digitais para se juntar a seleta Lista de Convidados, o Royalty Joia, o Alexandre. Ele �� advogadoFormado Pela UFRJ e ELE TEM Especializa����o Internet Lona Berkman Centre na Bosco e ELE E s��cio Fundador fazer Alexandre Atheniense, advogado Alexandre. ELE FOI UM DOS Precursores fazer Direito da Tecnologia da Informa����o no Brasil. Ele conta com uma experi��ncia acad��mica e institucionalMuito grande e autor de V��rios Livros, ELE cita Alguns dos Livros Deles Aqui n��o Ao Longo fazer Epis��dio, e POR Oito ano ELE exerceu a Presidencia da Comissao de Tecnologia da Informa����o da OAB Federal. E, nessa Fun����o Que ELE Fazia, ELE representava um OAB,um DISCUSS��O de Projetos de lei nenhuma Congresso Nacional Sobre todos OS Temas Relacionados �� Tecnologia da Informa����o e also na interlocu����o Sobre como Pr��ticas processuais POR Meios Eletr��nicos n��o CNJ e N��s Diversos Tribunais brasileiros. Em resumo, Alexandre foi um dos respons��veis porFazer com Que OS NOSSOS Nosso Processo se tornasse Eletr��nico Hoje. E ELE Conta Que Durante o Epis��dio Os Bastidores a�� na parte final, Do Epis��dio, ELE fala UM POUCO dos bastidores a�� Dessa fase da vida DELE, Dessa fase hist��rica e fazer Direito digitaisbrasileiro. Voc��, ent��o, deseja saber mais sobre o direito digital e conhecer a hist��ria do Direito digital do Brasil. E TAMB��M conhecer Mais uma Hist��ria fazer Alexandre, C��o de MAIORES icones na ��rea. Recomendo Fortemente that r��pido Voc�� escute Esse Epis��dio At�� o finais e Algunsrecados Antes deixar e logotipo pra Epis��dio Primeiro N��o sei se r��pido Voc�� SABE, mas ��gora a gente EST�� transcrevendo todos OS epis��dios ELES estao todos epis��dios estao Sendo TRANSFORMADOS em Artigos estao Sendo publicados no Blog da Frilot. O link da transcri����o nesse epis��dioEST�� here nn nn Coment��rios here Desse Epis��dio, na Descri����o here Nesse Epis��dio. Al��m Disso, se r��pido Voc�� achar Que a gente J�� foi ��til para Voc��, de Alguma forma Que o lote sal��o Atingidos de Alguma forma e Pede para that r��pido Voc�� FA��A UM Al��vio para agente na ��poca, o N��mero PODE variar nenhum pa��s that r��pido Voc�� estiver escutando E Muito Relevante para a gente para that a gente consiga Aumentar o Nosso alcance. Segue a gente a�� n��o Seu prato favorito para that r��pido Voc�� garanta that r��pido Voc�� vai Receber como Pr��ximas.Os Pr��ximos epis��dios also Deixa de Sor horrivel. Se r��pido Voc�� acha Que contribuiu com r��pido Voc�� de Alguma forma, E ISSO Pessoal, aproveita o Epis��dio, torce, EUA e Pelos Coment��rios that vai Receber de VOC��S TEM Certeza? Precisam gostar at��

Gabriel:   4:11
OLa��Alexandre seja bem vindo. Ao Lawyer to law��yer �� um prazer est�� te recebendo��aqui. N��o �� todo o dia em que recebemos ou o maior especialista em Direito digital do Brasil assinou uma sede. �� uma obra e estamos conseguindo aqui na hora de americanos bastante o seu��trabalho. E eu Tenho Certeza Que ESSE Epis��dio that vai contribuir bastante para OS NOSSOS ouvintes vai Ser hum Epis��dio hist��rico, Porque vamos analisar a Hist��ria fazer Direito digital. Uma a����o foi mais interessante e certamente no mundo jur��dico. Atualmente,

Alexandre:   4:49
ol�� Gabriel, Antes de Mais nada, gostaria de Dizer Que ����um prazer estar aqui����com os��ouvintes do Podcast Lawyer to lawyer, do qual eu����sigo desde OS Primeiros epis��dios. Para MIM foi Muito legal Receber Esse Convite, Sobretudo Falar a Respeito Dessa ��rea Que eu sempre��me empolguei sempre amei,��em TERMOS de exercicio da advocacia. Queria S�� Dizer o Seguinte, Que embora voc����tenha me��elogiado, agrade��o muito . Eu Acho Que no��dia que eu me��achar o Melhor,�� o��Cara, vou dar meu��Primeiro Sinal de Decad��ncia, Porque vou Ficar numa zona de��conforto.��e a inquietude��dessa ��rea de direito digital n��o permite isso. Por Esse Motivo eu agrade��o o Reconhecimento, mas estou sempre Aprendendo n'uma curva de Aprendizado. Acho que esse momento da minha profiss��o, depois de trinta e quatro anos formado, nunca tive tanta ��nsia��de Aprender, e Gra��as a Deus Estamos se Dando bem com ISSO, Porque ESSE E o Ponto Que diferencia ESSA Nossa ��rea. Costumo Dizer Que o advogado militante ELE ESTUDA Direito TODO dia nessa ��rea Direito digitais vai hum POUCO Mais alem.��Porque Voc����tem que estudar todo o dia o��direito,����s repercuss��es jur��dicas do que acontece nas plataformas digitais. Mas TAMB��M TEM de acompanhar Todas como evolu����es, OS Padr��es, como Tend��ncias de Tecnologia. Se n��o����Voc�� N��o consegue interfacear����bem com com todos OS SEUS Clientes. ��ISSO para Mim soa��como um grande desafio bom domingo. Isso me empolga,��e eu tento Passar ESSA MESMA empolga����o para Toda a Equipe do��Nosso escrit��rio, Porque VOC��S ��S��o de Uma ��poca em que��J�� na Faculdade de Direito��TEM grupos de��estudos que debru��am��sobre esse tema. Na minha ��poca, nada disso existia. Eu comecei nessa Hist��ria, eu era��tratado como o��menino do computador. Ninguem entendia bem o Que eu queria��em rela��ao um ESSES assuntos. Mas, passados trinta e quatro��anos,��chegamos no momento em que eu tive muita paci��ncia e��perseveran��a para poder chegar no��momento em que��a ��rea EST�� SE Consolidando .a Partir fazer momento Que N��S J�� TEMOS marcos legislativos Recentes. Mas �� interessante porque, ao mesmo tempo que isso��vai avan��ando, se voc�� for olhar no��LinkedIn ,de Dois ano para c��. O N��s tivemos ASSIM, hum alargamento de milhares de Especialistas em Direito digital. Embora OS cursos Especializa����o fazer Brasil SEJA Muito poucos. Ent��o, eu acho que tem muita gente a�� que est�� pegando uma��varinha de cond��o batendo na cabe��a e falando, sou especialista em direito digital��na tela do Computador, Como nenhum papel tudo cabe, MAS eu Acho Que o desafio E Muito grande, Sobretudo em Rela����o a Temas Novos Que N��o foram��Vistos na Gradua����o e Que exigem , sim,Muita Dedica����o, Muito Interesse, Muito Estudo e, Sobretudo, em cima de Alguns Temas Que S��o pauta mundial Hoje. Entao Hoje a gente acompanha a Evolu����o da Legisla����o de forma global, ISSO N��o acontecia,��nessa Nossa ��rea Direito digital. Entao N��S ESTAMOS Hoje com o tema do��momento,��Que ����a lei geral de prote����o de dados. ENTAO ��TEM Clientes Hoje, Que S��o de capitais estrangeiras, do��Jap��o, da Uni��o europ��ia, do Canad��, etc. E��a gente TEM Que estar��POR Dentro Dessa Legisla����o Toda de Prote����o de Dados,��Que essas leis S��o��extraterritoriais. ISSO para MIM E hum grande desafio, ����um grande Interesse .��Chego a����AFIRMAR, com Toda Certeza, que estou��acompanhando��Tend��ncias da Evolu����o do��Mercado, as��decis��es e das repercuss��es Jur��dicas envolvidas.��Hoje, Dois Durante o dia,��leio Muito Mais Conte��do inglesa que em��portugu��s,.Porque a gente tem��que anteceder as��situa����es, cujas��refer��ncias��est��o l�� fora, Conta ASSIM, imagine, POR Exemplo, ESSA parte, a Prote����o de Dados Pessoais, o nosso Aprendizado �� com��benchmarks do que��EST�� acontecendo na Europa. Ent��o, n��s temosAOS NOSSOS Rob��s Que ficam TODO dia trazendo INFORMA����ES Sobre QUALQU��R tipo de incidente, envolvendo Multas Aplicadas EM Rela����o �� Prote����o de Dados, Porque a gente para Fazer Disso hum grande Aprendizado, ISSO N��o TEM Livro, ISSO Cont��m aula, curso NEM nada, mas TEM uma internet. Eu, em dois mil, escrevi um livro chamado Internet, o Direito. Esse livro ensinava o estudante ao jovem advogado a pesquisar conte��do jur��dico na internet dois mil e eu lembro de uma frase eu coloquei no livro logo no Cara, que �� o seguinte tudo que voc�� procura est�� na internet. Talvez voc�� n��o saiba como encontrar, e em sua grande verdade. Eu me considero uma pessoa talentosa, esfor��ada, sobretudo em pesquisar conte��dos, os riscos da internet. E sempre gostei de eu vejo que esse �� um talento que pode diferenciar muito jovem advogado. Sobretudo uma caracter��stica bem t��pica do direito digital,���� a necessidade da gente contextualizar o assunto��r��pido e tomar decis��es r��pidas. Ent��o n��s temos as caracter��sticas diferentes, tanto no aspecto intelectual, com um aspecto operacional. Ningu��m vem trabalhar conosco pronto porque n��o tem preenchido��essas lacunas��quanto a��esses dois pontos que eu falei.�� O intelectual��justamente por causa dessa necessidade de atualiza����o constante, pela car��ncia total ��dos cursos de Direito n��o tratarem isso com a profundidade que deveria.

Alexandre:   11:14
Operacional��porque n��s n��o��trabalhamos��com��folha de papel.��Isso requer um talento de lidar com a informa����o e��desapegar do��o papel. que as pessoas n��o t��m,. pessoas ainda pensam como cabe��a de papel. Ent��o s��o grandes desafios que��impulsionam a��nova advocacia e que o jovem advogado, o estudante,�� tem estar preparado para esse cen��rio.����

Gabriel:   11:37
muito bacana. Alexandre.�� A gente v����que voc�� est�� come��ando a contar��um pouquinho da sua hist��ria.��J�� mencionou o livro que escreveu em 2000.

Gabriel:   11:45
E pude perceber que��a sua hist��ria se confunde um pouco com a do direito digital no Brasil, n��?����

Gabriel:   11:50
Eu queria que voc�� contasse��sua��hist��ria,��mas talvez��antes��falasse um��pouco��mais sobre����a teoria��do��direito digital.����

Gabriel:   12:00
que �� o direito digital e tamb��m como que foi��essa hist��ria��do direito digital no Brasil.����

Alexandre:   12:05
Bom o direito digital hoje,���� um ramo do direito��que �� multidisciplinar essencialmente.��N��o tem um assunto t��pico de direito digital. Isso �� uma pr��pria caracter��stica da��tecnologia da informa����o. Muitos sabem que a tecnologia da informa����o, ��atrav��s dos sistemas, existe o interfaceamento entre pessoas e m��quinas.����

Alexandre:   12:35
A mesma coisa acontece com direito digital. N��s estamos interfaceando��situa����es em que o grande jurista de uma determinada ��rea, est�� com uma defasagem de conhecimento de tudo que ele aprendeu em rela����o a reproduzir os fatos jur��dicos ocorridos no mundo presidencial��e no mundo digital.����

Alexandre:   12:59
Ent��o, ��esse ato��, essa lacuna que existe n��o��est�� sendo preenchida pelos��cursos jur��dicos devidamente e isso abre uma oportunidade para que pessoas j�� de uma gera����o diferente j�� pensem justamente buscar isso como uma oportunidade como a chance de se diferenciar no mercado.����

Alexandre:   13:20
Ent��o��se eu for��pegar��exemplo do nosso escrit��rio, a��gente��atua em��v��rias frentes, consumo eletr��nico, propriedade intelectual, fraudes eletr��nicas, n��meros de��dom��nio, contratos, crimes cibern��ticos.����

Alexandre:   13:41
Tudo isso tem a ver��um pouco com��de algum ramo tradicional��do direito, s�� que com a leitura diferente. e����

Alexandre:   13:48
At�� chegar nesse momento que��voc�� tem esse ramo do direito t��o multifacetado como �� o direito digital.��Com o surgimento��de um tema que antes n��o fazia parte��se quer da legisla����o brasileira, que �� a prote����o de dados pessoais.����

Alexandre:   14:02
esse sim ���� um tema novo, os demais��s��o basicamente��adapta����es��dos ramos tradicionais do��direito.��Por��m, contextualizados com os fatos que��acontecem no mundo digital.����

Gabriel:   14:15
A gente poderia dizer ent��o que todos os direitos se tornar��o��digitais?

Alexandre:   14:20
Eu acho que sim. Coordenei uma p��s gradua����o��em S��o Paulo��que a gente fazia��essa provoca����o.��O conte��do program��tico do curso era pensar quais s��o os ramos do direito que a gente j�� consegue fazer interfaceamento com com o direito digital.

Alexandre:   14:40
Surgiram aulas interessant��ssimas, como��por exemplo��sobre heran��a digital. Falando sobre direito ambiental e o mundo digital.����

Alexandre:   14:51
S��o coisas que as pessoas n��o ligam os pontos inicialmente, mas��na hora que come��a��a estudar��enxerga que tem��tudo��a ver.����

Alexandre:   14:58
Voltando��a��sua pergunta, o��direito��digital nasce no Brasil��ligado exclusivamente a propriedade intelectual.����

Alexandre:   15:14
O primeiro curso que eu fiz,��se chamava��leis de inform��tica no Brasil.����

Alexandre:   15:24
Um advogado��do qual��eu me tornei muito amigo,��chamado Tarc��sio, que se tornou��professor do curso posteriormente,��fazia��um��check list��de todo��o grupo normativo.

Alexandre:   15:41
Ele��trabalhava na��IDM��na ��poca, ent��o, j�� sabia��mais ou menos quais s��o as regulamenta����es que envolvem.��

Alexandre:   15:47
Mas��eram��coisas muito burocr��ticas. O��m��ximo que a gente aprendia naquela ��poca eram�� quest��es muito relacionados a contratos de licenciamento software e��contrafa����o.��Essa situa����o perdurou durante muito tempo.����

Alexandre:   16:02
Nesse livro que eu escrevi no ano 2000,��friso isso bem��em uma passagem,��que dizia��o seguinte: ��"��o direito digital teve uma grande mudan��a no momento em que ocorreu a virada do s��culo, porque a internet n��o entrou nos lares brasileiros em��1996.

Alexandre:   16:23
Ent��o,��1996��at����2000.�� N��s tivemos��um perfil da internet cujo conte��do era essencialmente institucional. P��ginas para poder produzir o que a empresa faz.����Mas ainda n��o tinha servi��os.����

Gabriel:   16:36
T��m muito escrit��rio que ainda est�� nesse per��odo.����

Alexandre:   16:38
Com certeza.������um contrassenso, porque o advogado��investe tanto na apar��ncia e��quer mostrar uma boa postura. Mas��porque n��o investe na roupagem��e��no mundo digital, na presen��a desse��online��que a gente v��?

Alexandre:   16:57
Por exemplo, advogados brilhantes, que ainda tem um site��em constru����o.��S��o amigos meus, inclusive, eu n��o vou falar nome para��n��o constranger ningu��m.��

Alexandre:   17:08
Enfim, �� um relaxamento totalmente inexplic��vel. Acho que hoje��o mundo digital ����a extens��o do mundo presencial.����

Alexandre:   17:18
costumo dizer aqui, o mundo digital ����a reprodu����o do mundo presencial. S�� que com uma diferen��a tudo o que ocorre l�� �� potencialmente maior, seja para o bem, ou seja, para o mal. Ent��o, se por acaso a gente encontra um advogado hoje, que no momento que a gente vai fazer a busca do nome dele na ferramenta de busca do Google e n��o tem uma rever��ncia interessantes a falar, ou para ter uma coisa que est�� estreando, tem que chegar refer��ncia por outro meio, porque depois o m��nimo que o advogado poderia ter, a preocupa����o de ter uma primeira parte da firma de busca do Google, s�� com refer��ncias, nem outras ou positivas. E aqueles que esquecem e deixa uma refer��ncia negativa falsa, ofensiva, pior ainda. Agora, com essas estrelinhas que existe ranqueamento, ent��o as pessoas n��o percebem que s��o situa����es cujas solu����es merecem a m��xima aten����o di��ria para que qualquer excesso de liberdade de express��o possa ser enfrentada imediatamente ao longo desses trinta e quatro anos. Formado, eu posso dizer para voc�� que aprendia que quanto mais r��pido a gente reais, menos risco A gente vai ter. Ent��o, nosso escrit��rio a gente trabalha muito para n��o deixar que um fato se transforme numa crise e porque a gente sabe que a maioria dos enfrentamentos incidentes que acontece na internet tem um enfrentamento tardio e desordenado. Isso mostra que as pessoas n��o est��o preparadas para esse tipo de situa����o, mas s�� complementando ali aquela quest��o quando teve a virada do s��culo, ent��o a houve a mudan��a. A mudan��a se deu porque porque fugiram no mercado naquela ��poca. Em dois mil, final do ano, segundo semestre provedores com acesso gratuito �� internet. Ent��o come��ou a forma mercado e no que come��ou a formar o mercado n��o �� o n��mero. Vou que vai crescer mais gente. A sess��o ainda que seja uma internet discada como tinha naquela ��poca, mas vai interessando em cima desse mercado criar servi��os e obviamente os servi��os geram problemas. Os problemas s��o jur��dicos e interface com v��rios ramos. Rela����o de consumo criminal, direitos de imagem que seja, e da�� nesse momento �� que �� um divisor de ��guas do direito digital. Ele passa come��a a formar essa caracter��stica multifacetada multidisciplinar que o que prepondera hoje cada vez mais. E hoje, assim como que um escrit��rio pode, ele pode come��ar a atuar nessa ��rea. E como que o escrit��rio pode adquirir mais clientes? Na ��rea de direito digital, atuar na ��rea tem muitos escrit��rios que vem direto de tal. Como a situa����o muito simpl��ria acha que a bom voltou aqui Rousseff se v��rios ��reas h�� muito momento em direito digital tem oportunidade agora de mercado e tal. Quem sabe isso pode trazer uma receita para escrit��rio e muitas vezes, at�� porque tem uma carteira de clientes boa. Ele at�� costuma ter o resultado inicial, mas chega um momento que as crian��as t��m que sair da sala, mas n��o consegue entrar no n��vel de profundidade de assunto, de medidas sugestivas de uma consultoria para poder explicar solu����es jur��dicas barra tecnol��gicas. Ent��o, respondendo �� pergunta �� necess��rio que o escrit��rio busca de talentos no mercado que j�� vem com Denny focado tanto o direito quanto �� tecnologia. N��o h�� como voc�� enfrentar situa����es, seja nos tribunais, mas sobretudo em consultoria. Se voc�� n��o tem o interesse disputar diariamente para poder aprofundar nessas duas frentes jur��dica e tecnol��gica, e uma outra quest��o que me chama aten����o aqui Assim, pelo que voc�� trouxe ele anteriormente e me corrija se eu tiver cumprindo, liderado, mas eu estou inferior at�� ent��o o direito digital como se fosse um bra��o ali de todas as outras ��reas. Delito do direito �� revis��o vai ser um bra��o do direito societ��rio, por��m estiver tratando de rela����es societ��rias na internet. Rela����es contratuais na internet Voc�� considera que �� essencial que o profissional especialista em direito digital, ele tamb��m aprender essas outras ��reas. Ele tamb��m se espera nessas outras ��reas, porque se n��o caso contr��rio, o que foi uma pessoa que sabe muito ali sobre a internet, mas ela n��o tenha ele, o conhecimento jur��dico, os advogados, ele geralmente especialista naquela hora tem, tem toda raz��o.

Alexandre:   0:00
Engana-se quem pensa o contr��rio. �� necess��rio que a pessoa que tem um talento de gostar de estudar os problemas jur��dicos que acontecem no meio digital tem tirar proveito disso contextualizando os problemas dentro da legisla����o pr�� existente.

Alexandre:   0:00
O que o bom advogado direito digital faz muito bem?�� Ele analisa o fato e o contextualiza diretamente��na lei j�� pr�� existentes, muitas vezes antes da internet.

Alexandre:   0:00
e detecta uma ambiguidade que pode ser aplic��vel.��

Alexandre:   0:00
N��o s�� ao mundo presidencial, como foi previsto na ��poca em que foi sancionada, mas tamb��m ao mundo digital.

Alexandre:   0:00
Ent��o, ele precisa sim. N��o existe essa quest��o de sou totalmente 100 % do Direito digital. N��o �� assim que funciona.

Alexandre:   0:00
O que funciona �� : eu atuo na ��rea de direito digital porque eu sei como contextualizar os problemas societ��rios a partir das empresas que atuam na internet.

Alexandre:   0:00
Mas eu tenho que ter a base de conhecimento de societ��rio, de contratos, de rela����o de consumo online de crimes cibern��ticos.

Alexandre:   0:00
Eu coordenei durante dez anos, uma p��s gradua����o em S��o Paulo. O objetivo que eu queria era justamente criar um conte��do program��tico selecionando temas desses ramos tradicionais de direitos que n��o s��o tratadas na faculdade.

Alexandre:   0:00


Alexandre:   0:00
A parte no hiper com essas coisas que eu quero dizer para os ouvintes que est��o, nos escutamos, �� que voc�� n��o pode achar que s�� o seu brilhante conhecimento tecnol��gico resolver�� os problemas. Se voc�� n��o entender de processo civil e tendo que defender uma a����o relacionado a licenciamento de software Amanda Ent��o engana se quem fica meio que inebriado s�� com essas quest��es tecnol��gicas �� um diferencial. Mas �� um diferencial que s�� se revelar�� quando for contextualizado com o ramo tradicional direito. Isso que faz a diferen��a e qual a velocidade com quais s��o as tend��ncias assim, nesse mercado para o futuro. Assim pegando toda evolu����o, diz que voc�� come��ou a atuar e a trinta e quatro anos, at�� hoje tem de diferente o que voc�� acha partida que a cinco do que h�� dez anos? Muitas coisas mudaram. Como eu disse durante muito tempo a gente praticamente dedicava quest��es de licenciamento de software, come��ando por a��. O uso n��o autorizado de imagem e som era muito chato, at�� porque era muito restrito. Eu achava que tem tamb��m na faculdade, foi oitenta e dois, tempo, trinta e oito anos. Eu achava que um dia um de todos os ramos do direito que se entrela��a com essa ��rea j�� vinha, inclusive as acusa����es de prote����o de dados acontecer l�� atr��s. Mas o Brasil foi muito lento nessa mudan��a. Voc�� ter ideia, n��s somos senten��a. Tem ser pa��ses do mundo que est��o a lei de prote����o de dados pessoais, sendo que hoje n��s j�� temos cento e vinte pa��ses. Ent��o assim a mudan��a come��ou a ocorrer, sobretudo desse divisor de ��guas que eu falei E a�� a situa����o na medida que o p��blico da internet vai aumentando, os problemas v��o aumentando e as ofertas de servi��os para os advogados tamb��m. Ent��o, veja, n��s vimos numa crescente, mas prescindindo de alguns marcos legais, esses marcos aconteceram. A gente sabe lidando diariamente com v��rios problemas jur��dicos que a grande lacuna que existia at�� ent��o era ter uma lei de prote����o de dados pessoais. O dado no Brasil n��o tinha nenhuma prote����o, embora algumas leis poderiam ser aplicadas e s��o, N��s estamos s�� dependendo dessa lei de prote����o de dados pessoais para poder resolver problemas. Existe a Constitui����o quando se viu, quando o consumidor, al��m da crian��a e do adolescente, que isso tudo �� aplicado. Por��m n��s estamos passando por impulsionamento que jamais que jamais existiu E a tend��ncia futura, no meu ponto de vista, �� enxergar o mundo como sendo um local onde o processamento de dados s�� vai crescer. O tratamento de dados s�� vai crescer porque n��s estamos passando por diversos exemplos de corrup����o. E a�� voc�� tem algumas for��as tecnol��gicas que est��o vindo por a��. N��s estamos hoje j�� prestando consultoria para algumas empresas estrangeiras de ponta, l��der de mercado em cinco, que eu acho que vai ser uma revolu����o absurda em termos de uso da internet, pela velocidade, pelo fato de a gente ter uma lat��ncia m��nima em termos de acesso de dados e, por outro lado, isso tamb��m vai impulsionar o que a internet das coisas al��m da intelig��ncia artificial. Ent��o pega esses tr��s itens para poder dizer como �� que vai potencializar, gra��as a Deus, a demanda de servi��os nessa ��rea de direito digital, As pessoas realmente investir nisso, ter talento para poder criar talento para poder lidar nessa ��rea. Ent��o as oportunidades s��o boas. Agora eu quero deixar aqui bem registrado. Uma coisa eu sou da ��poca em que digitava, j��ris, procedimento de jurisprud��ncia no computador, o meu pai chegada �� tribuna e falar para o desembargador que j�� tinha julgado assim assado em determinado assunto e pulava da cadeira Sou da ��poca que um desembargador ligava a gente um banco Primeira pelo escrit��rio do Brasil, que tem um banco de dados, jurisprud��ncia ligar para mim para o ch��o, tirando seu computador. A�� todos os meus votos de responsabilidade civil, ela imprimia neurol��gica setecentos e vinte matricial. Entregava ele pelo poder estudar, porque o pr��prio tribunal n��o tinha isso. Ent��o, a lei para caramba, em termos de pesquisa, de estudo, tudo mais. Hoje eu vejo o pessoal em regra, est�� ��bvio que tem exce����es numa zona de conforto absurda, entendeu? Hoje existe uma certa o travamento assim de achar o seguinte para a�� meu vade mexer com minha forma de pesquisar a ferramenta de busca do google ponto Entendeu pelo amor de Deus? Deu assim. Isso a�� jamais pode ser o limite de uma pesquisa, de um estudo por um advogado que queira realmente desponta na sua ��rea. Eu continuo comprando o livro todo dia. Gra��as a Deus, a gente tem uma biblioteca do escrit��rio por volta de mil livros na ��rea de edital brasileira estrangeiro e tentam motivar a minha aqui para poder tamb��m unifica����o na base operacional, para poder aprender. Ent��o essa sede de saber ela sempre que acompanhar um jovem advogado que era se interessar a pol��cia porque eu acho que tem muita coisa boa para mim por a��. Mas o sucesso tem que ver com muita paci��ncia. Existe uma falsa a compreens��o de que essas coisas, todas r��pidas, que acontece na internet, tamb��m v��o acontecer r��pido, sucesso, r��pido, ganho, dinheiro em rela����o �� carreira de advogado n��o caiam nessa armadilha. Tudo �� constru��do, tijolo por tijolo. Passo a passo �� um exerc��cio da paci��ncia. Quem n��o for paciente, n��o pode ser revogada. Ent��o pensar que as coisas v��o acontecer para o bem. Mas como, com muita perseveran��a com muita dedica����o,

Alexandre:   0:00
Esse �� o papel do advogado. N��o pode achar que �� s�� apertar um bot��o, colocar informa����es sobre o seu trabalho no perfil na internet que est�� tudo resolvido.

Alexandre:   0:00
��At�� porque o curr��culo das pessoas n��o �� formado apenas por aquilo que elas falam de si mesmo, mas sobretudo, a respeito dos coment��rios de terceiros a respeito delas. Muitas vezes a internet guarda surpresas.

Gabriel:   0:00
Eu acho que mais do que falar, hoje, tamb��m �� muito o que se faz.�� Est�� tudo muito exposto.

Gabriel:   0:00
Uma quest��o que a gente defende muito aqui na Freelaw. Aqui, na fila noite gosta muito de produ����o conte��do at�� por isso que ele se pode, que a gente tem um blog��

Alexandre:   0:00
eu valorizo muito isso., Eu acho que eu tamb��m me considero um conteudista, eu sei o�� trabalho que da. para voc�� ter ideia eu fui o cara que em dois mil e quatro, criou o primeiro bloco jur��dico no Brasil chamado Direito ��s novas tecnologias.

Alexandre:   0:00
Ent��o s��o essencialmente um gerador de conte��do de v��rias formas e valoriza muito como voc��s fazem esse trabalho, porque n��o �� f��cil nem um pouco f��cil.

Gabriel:   0:00
Obrigado pelas palavras e voc�� �� um dos blocos que eu pessoalmente, sempre acompanhei E o que eu vejo ���� que quando�� realmente criam blogs, cria podcast que a gente cria as iniciativas que a gente faz aqui. N��o falou, por exemplo, os resultados. Eles s��o de longo prazo e eu vejo muita gente querendo capital mais clientes, sempre no curto prazo. Ent��o vou investir um milh��o de reais. Ele mim an��ncio no Instagram no Facebook fazer completa tudo assim, autom��tico,

Alexandre:   0:00
Tudo assim apertou. O bot��o resolve de certa, mas o fator humano �� fundamental.

Gabriel:   0:00
�� dif��cil a gente conseguir assim. �� importante a gente pensar, obviamente, em solu����es a curto prazo e tem escrit��rios que v��o conseguir fazer com que isso d�� certo tamb��m.

Gabriel:   0:00
Mas �� muito importante a gente pensar no longo prazo.�� pelo que o escuto de voc��, Alexandre. vez que voc�� tem uma vis��o ao mesmo tempo pragm��tica desse lado, de que vamos com calma, as coisas demoram demandam um tempo, s�� que ao mesmo tempo de vez com uma vis��o assim otimista para o direito. Assim, nos pr��ximos dos pr��ximos anos, social, vamos ter v��rias oportunidades.

Alexandre:   0:00
Sou otimista porque �� porque eu trabalho muito. Quem fica reclamando tempo tempo na vida �� porque n��o se dedica tanto quanto a gente que est�� pegando pesado. Isso �� que faz. A gente v�� que as oportunidades est��o surgindo, ent��o em portas abertas, mas que voc�� tem que ser perseverante, tem que acreditar que os resultados ser��o alcan��ados, mas nada t��o instant��neo como as mudan��as tecnol��gicas da Internet.

Gabriel:   0:00
Estou pensando no seguinte que eu tamb��m sou otimista. S�� que como �� que vai ser otimista com esse tanto de Faculdade de Direito no pa��s com essa concorr��ncia gigante e tamb��m ao mesmo tempo com pessoas falando que os advogados v��o ser substitu��dos por rob��s que se ver sobre essas coisas que �� comum, que as pessoas dizem

Alexandre:   0:00
Olha falando primeiramente do�� n��mero de advogados e faculdades de direito que existem no Brasil.

Alexandre:   0:00
de um ano. �� bom que estejam falando sobre isso. De outro, fala se muito sobre tecnologia, mais pr��tica, se pouco nossa. Se for pegar, Ent��o, em rela����o a esses assuntos e a intelig��ncia artificial, eu acho que tem muita fuma��a para pouco fogo. At�� porque n��o existe tecnologia suficiente para fazer tudo o que as pessoas dizem. N��o tem a felicidade a um ��ndice advogado, talvez de uma empresa que tem uma banda cuidado jur��dico, do Brasil, que sabe o mundo que �� o jogo Brasil e conven����o no campo pessoal de l��. Um dia depois de mais seis n��o investem em intelig��ncia artificial. A resposta foi simples aqui o pessoal acha que a intelig��ncia artificial �� editor, de ter. Se chega jogo texto l�� e pronto computador vai ter um sistema cognitivo. Vai, aprendi tal. Est�� tudo resolvido n��o s�� no Brasil, mas outros amigos que tamb��m tiveram oportunidade de fazer sistemas de intelig��ncia artificial no Supremo. Ent��o, revelaram que n��s temos hoje o dado no no sentido bruto. Mas �� necess��rio fazer diversas marca����es numa linguagem figurada. Eu diria para voc��s que n��s temos hoje o pr�� sal. Entendeu? Ent��o, o dado �� o pr�� sal. E n��s precisamos fazer o tratamento das diversas camadas, marca����es e tal para poder virar do dado a informa����o da somat��ria da informa����o, conhecimento e da somat��ria do conhecimento. A sabedoria, ent��o do pr�� sal, at�� virar petr��leo, tem um longo caminho que as pessoas est��o abreviando achando que �� interessante. O Brasil tem o maior de gdapa juridico do mundo. N��o existe nenhum pa��s do mundo que os noventa e tr��s tribunais produzem todas as suas decis��es j�� um tempo na pele, formato digital, por uma mat��ria prima. Agora a intelig��ncia artificial vai chegar em dois tempos, vai resolver tudo. Cad�� o estado? Porque o dado n��o �� estruturado de forma adequada e se tiver isso, leva tempo e exige bra��o, por isso que os resultados ainda n��o apareceram. Mas v��o parecer que voc�� teve uma parte grande para fazer com que os tribunais tivessem tudo isso, informa a entidade. O rapaz foi uma experi��ncia profissional fant��stica, porque eu tive desde a primeira reuni��o de discuss��o representando a OAB federal na na lei do processo eletr��nico do projeto de lei. Ainda �� interessante falar um aspecto hist��rico aqui que talvez poucas pessoas saibam que, inclusive est�� muito bem narrado num outro livro, que eu fiz em dois mil e dez, que �� coment��rios al��m do processo eletr��nico. Quando eu conto toda a hist��ria, como surgiu o processo judicial eletr��nico? Eu tenho um relato ali de forma pormenorizada, que eu participei de tudo como negociador�� da OAB definindo as prerrogativas do advogado em diversas rodadas de negocia����o e tamb��m depois ocupando uma cadeira no CNJ perante a Comiss��o de Regulamenta����o do Processo de Sa��de, o processo judicial eletr��nico nasceu apenas com poucas funcionalidades. A primeira vers��o era protocolo, distribui����o e publica����o de atos. Apenas isso a�� na uma vers��o seguinte, resolveu, n��o v��o encarar que v��o fazer um projeto diferente. V��o fazer um sistema que permita fazer automa����o de todas as etapas processuais. A distribui����o at�� o tr��nsito em julgado. E a��, brasileira �� ousado em termos de tecnologia da informa����o. Sempre foi e lan��amos, depois de renda, uma s��rie de exemplos assim e a�� levantamos voo numa nave que se d�� que sem nenhuma refer��ncia a ela, que eu viajei na ��poca pela OAB Federal, era o presidente da Comiss��o de Direito Tecnologia durante dez anos. Ent��o, tive a oportunidade, a Espanha, a autoria ao Canad��. Tudo fazendo pesquisa para um livro, inclusive, teve que Portugal e vi que nenhum desses tinham um projeto t��o usado quando o Brasil de querer enfrentar uma situa����o sem refer��ncia internacional, de criar um sistema que pudesse fazer com que as pr��ticas processuais por meio eletr��nico foi assim o novo padr��o. N��o pagamos um pre��o alto por isso, mas o resultado �� positivo, mas ainda tem muita coisa para mim. Eu estou muito cr��tico, em v��rios aspectos relacionados �� implanta����o do processo de sa��de, entrou no Brasil. Isso se deve muito ao fato de que o Judici��rio poderia dialogar muito melhor com todos os roedores do mercado. Mas ele n��o dialoga ainda o Judici��rio. Muitas vezes ele entendeu que houve uma mudan��a de a informatiza����o do Judici��rio para a informatiza����o da justi��a. Faz muita diferen��a antes essa informa����o de informatiza����o do Judici��rio, porque �� isso. O departamento tem preocupado em resolver os problemas do tribunal, usando a inform��tica. Depois da lei, a informatiza����o da Justi��a tem que informar as pr��ticas processuais n��o s�� do tribunal, mas o advogado do Minist��rio P��blico da Advocacia P��blica de certa. S�� que eles n��o estavam acostumados a ouvir as pessoas e, por esse motivo, sistemas n��o saiam ou ainda n��o est��o totalmente com interface adequada para os advogados, como que v��rios advogados reclamem do sistema. Raz��o s�� que assim, por outro lado, o papel assim de organiza����o dos dados. Mas n��o se fosse tudo f��sico ainda perdido, tanto de informa����o. Eu falo que o papel j�� fez o seu papel. Ent��o a simples fato. Assim, ainda que seja ruim, est�� pelo menos tudo finalizado, ela olha, n��s vivemos num pa��s e vinte e sete estados j�� rodei praticamente tudo. Some falta Amap�� e Tocantins, um grande a grande, sacada. O que realmente aconteceu? Que foi bacana demais? Foi um fato tem jogado essa sementinha a�� de implanta����o de processo judicial eletr��nico em todos os tribunais. Hoje, todos iguais s��o processo judicial eletr��nico, ent��o o Brasil n��o �� a Su����a entendeu. S��o vinte e sete pa��ses, dentre um pa��s s��, com realidades completamente diferentes. Posso dizer porque fiz interlocu����o e ainda faz com diretores de tem de todos os tribunais conhecendo, explode perto, participa de evento do ano com eles a gente acompanhar essa evolu����o do mercado. Eu sou sempre aquele advogado que chega no evento, poder criticar que sempre redu����o positiva construtiva, mas n��o pode dizer do outro lado do balc��o que est�� errado e eu gosto. E eu acho que essa hist��ria poderia ser escrita de outra forma. Para sintetizar a minha maior cr��tica em rela����o ao processo judicial eletr��nico, a Simples foi criado um sistema para poder fazer todo o tr��mite do processo digital, s�� que era muito dif��cil de Nice negociar com o juiz para poder dizer penhora. S�� a rotina de trabalho vai mudar. Eu agora n��s vamos criar um sistema que que vai fazer com que voc�� tem que mudar o seu Rita de edital para n��o causar esse arrepio que poderia, de repente, impactar o projeto. O foco era como enfrentar a secretaria, Ent��o pensamos em Os tribunais foram focados em todas as rotinas processuais ou porque a ministra ela ingresse na ��poca. Assim temos que acabar com a in��rcia do papel que o papel imp��e uma in��rcia, porque era que as rotinas burocr��ticas envolvidas. S�� que o processo de petr��leo s�� focou na secretaria em grande parte moral da hist��ria. Os processos tramitam mais r��pido a secretaria chegam mais r��pida conclus��o l�� ficam, Ent��o, doze anos depois que a lei entrou em vigor. O preju��zo trabalho, da mesma forma como trabalhavam antes, est��o estressados. N��o se criou uma solu����o de apoio, suporte desses ��rg��os, magistrados e, quem sabe, pode. Vim com a intelig��ncia artificial, Ent��o, essa situa����o de muito conte��do, pouco processamento, pouco suporte para poder fazer maior celeridade ainda n��o aconteceu e isso �� que causa um certo sabor porque foi decantado. Na ��poca que n��s, nos processos ainda mais r��pido, isso vai acontecer na semana para todo mundo. O processo n��o est�� andando mais r��pido. O processo est�� andando da mesma forma e cada vez mais o Judici��rio est�� perdendo espa��o nos meios alternativos de solu����o de conflitos, isso �� fato, ent��o, por esse motivo �� que horas consertam essa situa����o e volta a entrar numa rota de ter mais performance. Ou ent��o esses meios alternativos de solu����o, de detidos, v��o estar sempre mais espa��o, muito bacana, relata o seu hist��rico como entidade, disse l��, no in��cio muito bacana, em entender os bastidores, a um momento muito interessante que empolgaram muito. Aprendi muito sobre a minha vida, com direito e tal. gra��as a Deus, foram at�� na pris��o E assim continua sendo. Voc�� come��ou dizendo no in��cio do epis��dio que voc�� est�� no momento que est��o mais aprendendo da sua vida. Agora voc�� mencionou isto de novo? Quais s��o seus desafios atuais? Assim que est��? Por que voc�� l�� atualmente? Que se aprende hoje, que est�� buscando e para os pr��ximos anos assim, um momento, o que realmente est�� empolgando, mais, estudar a����o, sistema novo? Que a prote����o de dados pessoais est��o a tutela important��ssimo, que o cidad��o tem que ter um assunto pautado mundialmente hoje, um assunto em que n��s temos duas grandes for��as do mercado internacional no grupo Estado Global, de um lado, as grandes empresas que dominam parte da arquitetura da internet. Do outro lado, os governos, cada vez mais enfraquecidos de acesso �� jurisdi����o, ou seja, dar for��a suas leis alternativa por essa experi��ncia de participar da audi��ncia p��blica do do WhatsApp representando a OAB Federal, onde os fundadores do WhatsApp gera presidente. Mike, �� claro para mim que as grandes empresas querem dizer para os governos dos estados a seguinte horas conta que aplicar suas leis, beleza aplica, mas no mundo presencial, porque esses espa��os de tal aqui eu aqui eu tenho um c��digo, ent��o fa��o as leis da minha maneira. Eu estava fazendo um curso de internet em dois mil e um. Tive como professor os caras que eu acho fant��stico. Gl��ria celeste chegou inclusive a ser candidata a presidente dos Estados Unidos nas ��ltimas elei����es, mas morreu nas primeiras prim��rias do Partido Democrata que atrav��s do seu livro cl��ssico famoso chamado Deloitte Sabeis Pa��s. Ele tem uma frase que �� matadora que ele fala assim decoud, ou seja, quem tem um c��digo na m��o tem mais efici��ncia de fazer mudan��a do que quem tem a lei a seu favor. Ent��o, por esse motivo, n��s temos que mudar esse equil��brio e for��a. Agora estou vendo uma mudan��a em rela����o a isso. Tomara que isso aconte��a de fato, impulsionada por situa����es que a gente presenciou recentemente, que s��o ou de Assange, �� mais uma cama de anal��tica ficar aqui para quem n��o assistiu ainda para esse os fant��sticos privacidade, saqueadas na ordem e ela mandaria todos eles relacionados ao assunto de dados, vazamento de dados, etc. Esse tema que por muito tempo n��o ficou sequer sendo objeto de questionamento Ent��o esse �� o momento que mais empolga a gente a estudar no aspecto mundial que os problemas s��o os mesmos como um dos pa��ses.��na nossa legisla����o, n��o chegam atrasados todos os nossos vizinhos aqui do consumo, �� exce����o do Paraguai, j�� tinha uma legisla����o sobre prote����o de dados pessoais. Tudo bem que, se pegar a legisla����o, a primeira diretiva de noventa e cinco na Uni��o Europeia, s�� trocar Madri por Buenos Aires tiveram facilidade, tem a l��ngua a seu favor. Mas isso mostra como �� que a gente, Como �� que isso essa represa, essa represa de assunto em rela����o a esse assunto? Em rela����o a esse tema? E como o tempo para poder finalizar? O europeu j�� tem uma cultura jur��dica para dar com a prote����o de dados? Desde noventa e cinco s��o quinze anos e a lei agora foi sancionada em em agosto de dois mil dezoito. N��s temos dois anos em dois anos interno, tira o atraso em rela����es, conhecimento, essa maturidade para dar como prote����o de dados. Ent��o essas mudan��as est��o acontecendo na for��as, mas a gente tem que ver com calma. Eu vejo tantas pessoas assim j�� se colocando como doutores mentem e, por esse motivo a gente tem que ter mais paci��ncia, porque essa �� uma grande oportunidade para os pr��ximos anos da Advocacia de Lad��rio de edital Tive o prazer de receber que a Viviane tamb��m, que falou sobre a Wikipedia no trabalho dela fant��stico, ela falou palavras parecidas com o que voc�� est�� falando E se voc�� ainda n��o executou epis��dio, recomendo fortemente para discutir o epis��dio vinte e um aqui logo de La Hoya. Ela disse muito isso. N��o tem muita gente querendo e prestar consultoria de energia, pede m��e, poucas pessoas sabendo. E �� uma responsabilidade muito grande e n��o de um habeas entendeu, Querem ser, mas n��o s��o, Ent��o tenham humildade eu sou humilde, eu sou humilde porque eu quero aprender todo o dia e eu acho que falta muito disso. N��o sei se �� uma caracter��stica da gera����o ou que seja, mas j�� passei por diversas situa����es. Eu fico pensando em curso, j�� vendem tr��s d��cadas de dedica����o �� ��rea que eu tenho um sujeito que est�� aqui em volta menos de um ano de formada, se achando, entendeu, entregam, bem, trabalham bem, entendeu, n��o desmerece n��o, mas mais humildade, porque n��s temos muito a aprender. Defende tamb��m a nossa gera����o a defenda defende a sua causa, conforme eu concordo, cinco brincando, mas algum c��digo, sim por cento com o que se est�� trazendo? Eu acho que ao mesmo tempo, como est�� no mar que poucas pessoas e analisaram as vezes quem tem um ano de experi��ncia perto de para as pessoas que n��o tem ningu��m? Essas pessoas est��o se considerando experiente mais. Veja bem cuidado e ��tica na forma de abordar isso. N��o sei. Eu acho que n��s temos sempre que lembrar que a profiss��o de advogado �� valorizada pelo tempo de experi��ncia que tem. Isso n��o muda o tempo de voo. Sola de sapato gasta ao longo do tempo. Entendeu isso a�� que realmente mostra a senioridade? N��o �� substitu��do assim, porque �� um ramo novo. Ningu��m estudou, ningu��m viu isso na faculdade, ent��o j�� estou lendo tr��s livre, fez um curso de nossa m��e, de S��o Paulo. No or��amento para a�� n��o �� assim, mas, muitas vezes acredita nisso Deus E pior agora para outro, apareceram quinhentos mil de pior. Um brinquedinho de pergunto algum efetivamente teve experi��ncia pr��tica de atuar para se candidata? Assim tem. Hora, rodada n��o, mas s��o fizeram certifica����o aqui acol��. Tudo bem. Ent��o, atr��s de uma oportunidade de neg��cio justo, mas a situa����o �� muito mais din��mica. �� muito mais desafiadora do que parece. Se deu porque a falta experi��ncia para acho que c�� entre n��s essa experi��ncia efetiva vai rodar apenas depois de agosto de dois mil e vinte. N��s estamos tendo v��rios problemas. Temos v��rios ��rg��os controladores que j�� est��o gerando multas etc. Mas n��s n��o temos tempo de rodagem ainda, pode-se dizer que se perde em rela����o a essas a����es, esse �� o ponto que eu quero deixar como reflex��o muito legal. Alexandre, Gostei bastante aqui da de ter tido a oportunidade de conversar com voc��. Queria saber se voc�� tem algum conselho final para os colegas, advogados e ��s vezes informado, e tamb��m um advogado com escrit��rio pr��prio vezes at�� o escrit��rio consolidado, mas atua em uma outra ��rea, ainda n��o est�� no segmento digital de que se tem de indicar para essas pessoas tamb��m era de que �� muito simples paci��ncia, nada acontece com a velocidade que ol�� na internet, tem que se dedicar a estudar todo dia e, sobretudo, se voc�� puder mudar, n��o s�� o que est�� acontecendo no Brasil, mas as tend��ncias que vem de fora, que meses depois Chegam aqui saber lidar a informa����o desapegado Papel �� um diferencial porque na minha ��rea se eu n��o trabalhasse sem papel todas as atividades, escrit��rio como j�� fa��a mais de dez anos, eu n��o tinha o tempo de rea����o r��pido de decis��o, que a caracter��stica, nossa ��rea, ent��o �� uma ��rea, suspeita falar porque estou empolgado mesmo, gosto de que eu escolhi e me sinto cada dia que passa mais realizado no momento que n��s estamos passando. Mas �� isso Eu acho que o estudo constante manter a atualiza����o, n��o s�� o direito, mas com todas as tend��ncias tecnol��gicas est��o surgindo que v��o impactar o direito e acidente de carro, dedicar, porque as coisas v��o acontecer. Mas com a paci��ncia nos esse n��s e sucesso r��pido pode subir r��pido desse r��pido. Eu acho que a grande �� muito mais dif��cil voc�� manter do que alcan��ar. Ent��o, por esse motivo aqui um corajoso todos os ouvintes do Porto, quer n��o �� a Tr��ia come��ar a se interessar mais Fran��a digital, mas observada. Essas dicas que eu acho que s��o fruto de uma experi��ncia de vida ao longo de trinta e quatro anos. Muito obrigado. Alexandre. Foi um prazer de ter recebido aqui. Disse l��, no in��cio que isso o epis��dio hist��rico. E eu n��o menti todos os ouvintes. A�� eu tenho certeza que valeu bastante a pena. O tempo que voc��s investiram aqui conosco agradece que ver�� novamente pela audi��ncia. Se voc��s gostaram do epis��dio, compartilhem tamb��m com outros colegas advogados que precisam de ter acesso a esse conte��do. Se n��o �� f��cil para a gente, produzia esses conte��dos como entrou. Sobre essa parte, estamos finalizando a grava����o. J�� estou preocupado com a edi����o que a gente vai ter que fazer com a transcri����o do epis��dio. Um trabalho que a gente gosta muito de fazer e se tiver agregando de alguma forma, voc�� fala com a gente nas redes sociais tamb��m. Fala que coincidisse com Alexandre, com certeza. Vou advogar em todos os seus canais digitais. V��o fazer mais for��a poder potencializar os ouvintes a�� do pode quest��o, acha trabalho seus mais uma vez brilhante que sigam nessa, est��o preenchendo uma lacuna de debate sobre temas super contextualizados. O que �� raro, a gente fonte de informa����o t��o qualificada com as pessoas que se tem tido a oportunidade de interagir aqui onde s��o amigos meus, muitas pessoas que eu sou f�� admiro mesmo e isso n��o tinha essas ferramentas antes, ent��o sess��o trazendo para a gente conte��do de qualidade e

Alexandre:   0:00
de um ano. �� bom que estejam falando sobre isso. De outro, fala se muito sobre tecnologia, mais pr��tica, se pouco nossa. Se for pegar, Ent��o, em rela����o a esses assuntos e a intelig��ncia artificial, eu acho que tem muita fuma��a para pouco fogo. At�� porque n��o existe tecnologia suficiente para fazer tudo o que as pessoas dizem. N��o tem a felicidade a um ��ndice advogado, talvez de uma empresa que tem uma banda cuidado jur��dico, do Brasil, que sabe o mundo que �� o jogo Brasil e conven����o no campo pessoal de l��. Um dia depois de mais seis n��o investem em intelig��ncia artificial. A resposta foi simples aqui o pessoal acha que a intelig��ncia artificial �� editor, de ter. Se chega jogo texto l�� e pronto computador vai ter um sistema cognitivo. Vai, aprendi tal. Est�� tudo resolvido n��o s�� no Brasil, mas outros amigos que tamb��m tiveram oportunidade de fazer sistemas de intelig��ncia artificial no Supremo. Ent��o, revelaram que n��s temos hoje o dado no no sentido bruto. Mas �� necess��rio fazer diversas marca����es numa linguagem figurada. Eu diria para voc��s que n��s temos hoje o pr�� sal. Entendeu? Ent��o, o dado �� o pr�� sal. E n��s precisamos fazer o tratamento das diversas camadas, marca����es e tal para poder virar do dado a informa����o da somat��ria da informa����o, conhecimento e da somat��ria do conhecimento. A sabedoria, ent��o do pr�� sal, at�� virar petr��leo, tem um longo caminho que as pessoas est��o abreviando achando que �� interessante. O Brasil tem o maior de gdapa juridico do mundo. N��o existe nenhum pa��s do mundo que os noventa e tr��s tribunais produzem todas as suas decis��es j�� um tempo na pele, formato digital, por uma mat��ria prima. Agora a intelig��ncia artificial vai chegar em dois tempos, vai resolver tudo. Cad�� o estado? Porque o dado n��o �� estruturado de forma adequada e se tiver isso, leva tempo e exige bra��o, por isso que os resultados ainda n��o apareceram. Mas v��o parecer que voc�� teve uma parte grande para fazer com que os tribunais tivessem tudo isso, informa a entidade. O rapaz foi uma experi��ncia profissional fant��stica, porque eu tive desde a primeira reuni��o de discuss��o representando a OAB federal na na lei do processo eletr��nico do projeto de lei. Ainda �� interessante falar um aspecto hist��rico aqui que talvez poucas pessoas saibam que, inclusive est�� muito bem narrado num outro livro, que eu fiz em dois mil e dez, que �� coment��rios al��m do processo eletr��nico. Quando eu conto toda a hist��ria, como surgiu o processo judicial eletr��nico? Eu tenho um relato ali de forma pormenorizada, que eu participei de tudo como negociador do da, definindo as prerrogativas do advogado em diversas rodadas de negocia����o e tamb��m depois ocupando uma cadeira no CNJ perante a Comiss��o de Regulamenta����o do Processo de Sa��de, o processo judicial eletr��nico nasceu apenas com poucas funcionalidades. A primeira vers��o era protocolo, distribui����o e publica����o de atos. Apenas isso a�� na uma vers��o seguinte, resolveu, n��o v��o encarar que v��o fazer um projeto diferente. V��o fazer um sistema que permita fazer automa����o de todas as etapas processuais. A distribui����o at�� o tr��nsito em julgado. E a��, brasileira �� usado em termos de tecnologia da informa����o. Sempre foi e lan��amos, depois de renda, uma s��rie de exemplos assim e a�� levantamos voo numa nave que se d�� que sem nenhuma refer��ncia a ela, que eu viajei na ��poca pela OAB Federal, era o presidente da Comiss��o de Direito Tecnologia durante dez anos. Ent��o, tive a oportunidade, a Espanha, a autoria ao Canad��. Tudo fazendo pesquisa para um livro, inclusive, teve que Portugal e vi que nenhum desses tinham um projeto t��o usado quando o Brasil de querer enfrentar uma situa����o sem refer��ncia internacional, de criar um sistema que pudesse fazer com que as pr��ticas processuais por meio eletr��nico foi assim o novo padr��o. N��o pagamos um pre��o alto por isso, mas o resultado �� positivo, mas ainda tem muita coisa para mim. Eu estou muito cr��tico, em v��rios aspectos relacionados �� implanta����o do processo de sa��de, entrou no Brasil. Isso se deve muito ao fato de que o Judici��rio poderia dialogar muito melhor com todos os roedores do mercado. Mas ele n��o dialoga ainda o Judici��rio. Muitas vezes ele entendeu que houve uma mudan��a de a informatiza����o do Judici��rio para a informatiza����o da justi��a. Faz muita diferen��a antes essa informa����o de informatiza����o do Judici��rio, porque �� isso. O departamento tem preocupado em resolver os problemas do tribunal, usando a inform��tica. Depois da lei, a informatiza����o da Justi��a tem que informar as pr��ticas processuais n��o s�� do tribunal, mas o advogado do Minist��rio P��blico da Advocacia P��blica de certa. S�� que eles n��o estavam acostumados a ouvir as pessoas e, por esse motivo, sistemas n��o saiam ou ainda n��o est��o totalmente com interface adequada para os advogados, como que v��rios advogados reclamem do sistema. Raz��o s�� que assim, por outro lado, o papel assim de organiza����o dos dados. Mas n��o se fosse tudo f��sico ainda perdido, tanto de informa����o. Eu falo que o papel j�� fez o seu papel. Ent��o a simples fato. Assim, ainda que seja ruim, est�� pelo menos tudo finalizado, ela olha, n��s vivemos num pa��s e vinte e sete estados j�� rodei praticamente tudo. Some falta Amap�� e Tocantins, um grande a grande, sacada. O que realmente aconteceu? Que foi bacana demais? Foi um fato tem jogado essa sementinha a�� de implanta����o de processo judicial eletr��nico em todos os tribunais. Hoje, todos iguais s��o processo judicial eletr��nico, ent��o o Brasil n��o �� a Su����a entendeu. S��o vinte e sete pa��ses, dentre um pa��s s��, com realidades completamente diferentes. Posso dizer porque fiz interlocu����o e ainda faz com diretores de tem de todos os tribunais conhecendo, explode perto, participa de evento do ano com eles a gente acompanhar essa evolu����o do mercado. Eu sou sempre aquele advogado que chega no evento, poder criticar que sempre redu����o positiva construtiva, mas n��o pode dizer do outro lado do balc��o que est�� errado e eu gosto. E eu acho que essa hist��ria poderia ser escrita de outra forma. Para sintetizar a minha maior cr��tica em rela����o ao processo judicial eletr��nico, a Simples foi criado um sistema para poder fazer todo o tr��mite do processo digital, s�� que era muito dif��cil de Nice negociar com o juiz para poder dizer penhora. S�� a rotina de trabalho vai mudar. Eu agora n��s vamos criar um sistema que que vai fazer com que voc�� tem que mudar o seu Rita de edital para n��o causar esse arrepio que poderia, de repente, impactar o projeto. O foco era como enfrentar a secretaria, Ent��o pensamos em Os tribunais foram focados em todas as rotinas processuais ou porque a ministra ela ingresse na ��poca. Assim temos que acabar com a in��rcia do papel que o papel imp��e uma in��rcia, porque era que as rotinas burocr��ticas envolvidas. S�� que o processo de petr��leo s�� focou na secretaria em grande parte moral da hist��ria. Os processos tramitam mais r��pido a secretaria chegam mais r��pida conclus��o l�� ficam, Ent��o, doze anos depois que a lei entrou em vigor. O preju��zo trabalho, da mesma forma como trabalhavam antes, est��o estressados. N��o se criou uma solu����o de apoio, suporte desses ��rg��os, magistrados e, quem sabe, pode. Vim com a intelig��ncia artificial, Ent��o, essa situa����o de muito conte��do, pouco processamento, pouco suporte para poder fazer maior celeridade ainda n��o aconteceu e isso �� que causa um certo sabor porque foi decantado. Na ��poca que n��s, nos processos ainda mais r��pido, isso vai acontecer na semana para todo mundo. O processo n��o est�� andando mais r��pido. O processo est�� andando da mesma forma e cada vez mais o Judici��rio est�� perdendo espa��o nos meios alternativos de solu����o de conflitos, isso �� fato, ent��o, por esse motivo �� que horas consertam essa situa����o e volta a entrar numa rota de ter mais performance. Ou ent��o esses meios alternativos de solu����o, de detidos, v��o estar sempre mais espa��o, muito bacana, relata o seu hist��rico como entidade, disse l��, no in��cio muito bacana, em entender os bastidores, a um momento muito interessante que empolgaram muito. Aprendi muito sobre a minha vida, com direito e tal. gra��as a Deus, foram at�� na pris��o E assim continua sendo. Voc�� come��ou dizendo no in��cio do epis��dio que voc�� est�� no momento que est��o mais aprendendo da sua vida. Agora voc�� mencionou isto de novo? Quais s��o seus desafios atuais? Assim que est��? Por que voc�� l�� atualmente? Que se aprende hoje, que est�� buscando e para os pr��ximos anos assim, um momento, o que realmente est�� empolgando, mais, estudar a����o, sistema novo? Que a prote����o de dados pessoais est��o a tutela important��ssimo, que o cidad��o tem que ter um assunto pautado mundialmente hoje, um assunto em que n��s temos duas grandes for��as do mercado internacional no grupo Estado Global, de um lado, as grandes empresas que dominam parte da arquitetura da internet. Do outro lado, os governos, cada vez mais enfraquecidos de acesso �� jurisdi����o, ou seja, dar for��a suas leis alternativa por essa experi��ncia de participar da audi��ncia p��blica do do WhatsApp representando a OAB Federal, onde os fundadores do WhatsApp gera presidente. Mike, �� claro para mim que as grandes empresas querem dizer para os governos dos estados a seguinte horas conta que aplicar suas leis, beleza aplica, mas no mundo presencial, porque esses espa��os de tal aqui eu aqui eu tenho um c��digo, ent��o fa��o as leis da minha maneira. Eu estava fazendo um curso de internet em dois mil e um. Tive como professor os caras que eu acho fant��stico. Gl��ria celeste chegou inclusive a ser candidata a presidente dos Estados Unidos nas ��ltimas elei����es, mas morreu nas primeiras prim��rias do Partido Democrata que atrav��s do seu livro cl��ssico famoso chamado Deloitte Sabeis Pa��s. Ele tem uma frase que �� matadora que ele fala assim decoud, ou seja, quem tem um c��digo na m��o tem mais efici��ncia de fazer mudan��a do que quem tem a lei a seu favor. Ent��o, por esse motivo, n��s temos que mudar esse equil��brio e for��a. Agora estou vendo uma mudan��a em rela����o a isso. Tomara que isso aconte��a de fato, impulsionada por situa����es que a gente presenciou recentemente, que s��o ou de Assange, �� mais uma cama de anal��tica ficar aqui para quem n��o assistiu ainda para esse os fant��sticos privacidade, saqueadas na ordem e ela mandaria todos eles relacionados ao assunto de dados, vazamento de dados, etc. Ent��o esse �� o momento que mais empolga a gente a estudar no aspecto mundial que os problemas s��o os mesmos como um dos pa��ses. Esse tema que por muito tempo n��o ficou sequer sendo objeto de questionamento na nossa legisla����o, n��o chegam atrasados todos os nossos vizinhos aqui do consumo, �� exce����o do Paraguai, j�� tinha uma legisla����o sobre prote����o de dados pessoais. Tudo bem que, se pegar a legisla����o, a primeira diretiva de noventa e cinco na Uni��o Europeia, s�� trocar Madri por Buenos Aires tiveram facilidade, tem a l��ngua a seu favor. Mas isso mostra como �� que a gente, Como �� que isso essa represa, essa represa de assunto em rela����o a esse assunto? Em rela����o a esse tema? E como o tempo para poder finalizar? O europeu j�� tem uma cultura jur��dica para dar com a prote����o de dados? Desde noventa e cinco s��o quinze anos e a lei agora foi sancionada em em agosto de dois mil dezoito. N��s temos dois anos em dois anos interno, tira o atraso em rela����es, conhecimento, essa maturidade para dar como prote����o de dados. Ent��o essas mudan��as est��o acontecendo na for��as, mas a gente tem que ver com calma. Eu vejo tantas pessoas assim j�� se colocando como doutores mentem e, por esse motivo a gente tem que ter mais paci��ncia, porque essa �� uma grande oportunidade para os pr��ximos anos da Advocacia de Lad��rio de edital Tive o prazer de receber que a Viviane tamb��m, que falou sobre a Wikipedia no trabalho dela fant��stico, ela falou palavras parecidas com o que voc�� est�� falando E se voc�� ainda n��o executou epis��dio, recomendo fortemente para discutir o epis��dio vinte e um aqui logo de La Hoya. Ela disse muito isso. N��o tem muita gente querendo e prestar consultoria de energia, pede m��e, poucas pessoas sabendo. E �� uma responsabilidade muito grande e n��o de um habeas entendeu, Querem ser, mas n��o s��o, Ent��o tenham humildade eu sou humilde, eu sou humilde porque eu quero aprender todo o dia e eu acho que falta muito disso. N��o sei se �� uma caracter��stica da gera����o ou que seja, mas j�� passei por diversas situa����es. Eu fico pensando em curso, j�� vendem tr��s d��cadas de dedica����o �� ��rea que eu tenho um sujeito que est�� aqui em volta menos de um ano de formada, se achando, entendeu, entregam, bem, trabalham bem, entendeu, n��o desmerece n��o, mas mais humildade, porque n��s temos muito a aprender. Defende tamb��m a nossa gera����o a defenda defende a sua causa, conforme eu concordo, cinco brincando, mas algum c��digo, sim por cento com o que se est�� trazendo? Eu acho que ao mesmo tempo, como est�� no mar que poucas pessoas e analisaram as vezes quem tem um ano de experi��ncia perto de para as pessoas que n��o tem ningu��m? Essas pessoas est��o se considerando experiente mais. Veja bem cuidado e ��tica na forma de abordar isso. N��o sei. Eu acho que n��s temos sempre que lembrar que a profiss��o de advogado �� valorizada pelo tempo de experi��ncia que tem. Isso n��o muda o tempo de voo. Sola de sapato gasta ao longo do tempo. Entendeu isso a�� que realmente mostra a senioridade? N��o �� substitu��do assim, porque �� um ramo novo. Ningu��m estudou, ningu��m viu isso na faculdade, ent��o j�� estou lendo tr��s livre, fez um curso de nossa m��e, de S��o Paulo. No or��amento para a�� n��o �� assim, mas, muitas vezes acredita nisso Deus E pior agora para outro, apareceram quinhentos mil de pior. Um brinquedinho de pergunto algum efetivamente teve experi��ncia pr��tica de atuar para se candidata? Assim tem. Hora, rodada n��o, mas s��o fizeram certifica����o aqui acol��. Tudo bem. Ent��o, atr��s de uma oportunidade de neg��cio justo, mas a situa����o �� muito mais din��mica. �� muito mais desafiadora do que parece. Se deu porque a falta experi��ncia para acho que c�� entre n��s essa experi��ncia efetiva vai rodar apenas depois de agosto de dois mil e vinte. N��s estamos tendo v��rios problemas. Temos v��rios ��rg��os controladores que j�� est��o gerando multas etc. Mas n��s n��o temos tempo de rodagem ainda, pode-se dizer que se perde em rela����o a essas a����es, esse �� o ponto que eu quero deixar como reflex��o muito legal. Alexandre, Gostei bastante aqui da de ter tido a oportunidade de conversar com voc��. Queria saber se voc�� tem algum conselho final para os colegas, advogados e ��s vezes informado, e tamb��m um advogado com escrit��rio pr��prio vezes at�� o escrit��rio consolidado, mas atua em uma outra ��rea, ainda n��o est�� no segmento digital de que se tem de indicar para essas pessoas tamb��m era de que �� muito simples paci��ncia, nada acontece com a velocidade que ol�� na internet, tem que se dedicar a estudar todo dia e, sobretudo, se voc�� puder mudar, n��o s�� o que est�� acontecendo no Brasil, mas as tend��ncias que vem de fora, que meses depois Chegam aqui saber lidar a informa����o desapegado Papel �� um diferencial porque na minha ��rea se eu n��o trabalhasse sem papel todas as atividades, escrit��rio como j�� fa��a mais de dez anos, eu n��o tinha o tempo de rea����o r��pido de decis��o, que a caracter��stica, nossa ��rea, ent��o �� uma ��rea, suspeita falar porque estou empolgado mesmo, gosto de que eu escolhi e me sinto cada dia que passa mais realizado no momento que n��s estamos passando. Mas �� isso Eu acho que o estudo constante manter a atualiza����o, n��o s�� o direito, mas com todas as tend��ncias tecnol��gicas est��o surgindo que v��o impactar o direito e acidente de carro, dedicar, porque as coisas v��o acontecer. Mas com a paci��ncia nos esse n��s e sucesso r��pido pode subir r��pido desse r��pido. Eu acho que a grande �� muito mais dif��cil voc�� manter do que alcan��ar. Ent��o, por esse motivo aqui um corajoso todos os ouvintes do Porto, quer n��o �� a Tr��ia come��ar a se interessar mais Fran��a digital, mas observada. Essas dicas que eu acho que s��o fruto de uma experi��ncia de vida ao longo de trinta e quatro anos. Muito obrigado. Alexandre. Foi um prazer de ter recebido aqui. Disse l��, no in��cio que isso o epis��dio hist��rico. E eu n��o menti todos os ouvintes. A�� eu tenho certeza que valeu bastante a pena. O tempo que voc��s investiram aqui conosco agradece que ver�� novamente pela audi��ncia. Se voc��s gostaram do epis��dio, compartilhem tamb��m com outros colegas advogados que precisam de ter acesso a esse conte��do. Se n��o �� f��cil para a gente, produzia esses conte��dos como entrou. Sobre essa parte, estamos finalizando a grava����o. J�� estou preocupado com a edi����o que a gente vai ter que fazer com a transcri����o do epis��dio. Um trabalho que a gente gosta muito de fazer e se tiver agregando de alguma forma, voc�� fala com a gente nas redes sociais tamb��m. Fala que coincidisse com Alexandre, com certeza. Vou advogar em todos os seus canais digitais. V��o fazer mais for��a poder potencializar os ouvintes a�� do pode quest��o, acha trabalho seus mais uma vez brilhante que sigam nessa, est��o preenchendo uma lacuna de debate sobre temas super contextualizados. O que �� raro, a gente fonte de informa����o t��o qualificada com as pessoas que se tem tido a oportunidade de interagir aqui onde s��o amigos meus, muitas pessoas que eu sou f�� admiro mesmo e isso n��o tinha essas ferramentas antes, ent��o sess��o trazendo para a gente conte��do de qualidade e

Alexandre:   0:00
Ent��o, isso vai ter um impacto muito grande e ele me disse naquela oportunidade. Alexandre Hoje a OAB se conhece, ajudou, eu ajudei a montar o Cadastro Nacional de Advogados. Na ��poca, coordenava uma grande equipe l�� no departamento de TI. E hoje t��m um milh��o, duzentos mil advogados. S�� que e olha esse n��mero se n��o �� impressionante. Impressionante a taxa de crescimento, que na faixa de vinte e cinco a trinta por cento por ano. Ent��o est��o para um neg��cio desse. N��o existem uma classe profissional do mundo. S�� fica uma d��vida meio com ��ndia mais. Tenho minhas d��vidas que tem o n��mero de advogados, como tem se ter ideia, o mercado de certificado digital, hoje emitidos s�� pela OAB j�� est�� chegando a setecentos e cinquenta mil advogados, o juiz o Brasil, por exemplo, hoje j�� deve ter cerca de novecentos mil advogados, sete por cento. E parece da advocacia brasileira, hoje p��blico pagante do jogo Brasil e ent��o essas quest��es. Mas em compensa����o, segundo ��rea grande existem quatrocentos e cinquenta mil advogados que est��o ganhando para pagar as contas. Ent��o por que isso acontece? Porque as pessoas n��o podem ficar na vala comum, entendeu? Elas t��m buscar alguma solu����o diferenciada. N��s temos a�� a diga economia e n��s temos a�� uma s��rie de alternativas de mercado que, n��o fazendo repensar completamente o exerc��cio da advocacia. A forma de ganhar dinheiro advocacia, nos pr��ximos anos �� mudar. Como j�� mudou mais ainda. Radicalmente isso que as pessoas t��m que saber. Tem que entender para que caminho de modelos de neg��cio, que o caminho que isso vai gerar. Ent��o, a minha preocupa����o de que as pessoas n��o caiu nessa vala comum em rela����o ao segundo ponto. A sua pergunta sobre se m��quina vai substituir advogado? Eu n��o concordo com essa forma, de jeito nenhum eu estudando tem um assunto de intelig��ncia artificial. Inclusive, j�� que a arte Vital coloca muito bem minha posi����o a respeito disso. Eu acho que os sistemas de intelig��ncia artificial tem talentos que os humanos n��o t��m. Os humanos t��m talentos que os sistemas de intelig��ncia oficial n��o tem. Ent��o quem fala que n��o vai matar o outro eu n��o concordo e acho que pagaria para ver se um dia essa situa����o vai se reverter. Eu acho que o melhor dos mundos que a gente vai alcan��ar daqui para frente �� a somat��ria desses dois talentos em busca de algum resultado, mas n��o achando que uma coisa n��o substitui a outra, ningu��m vai achar que vai dar a senten��a. Automaticamente j�� pode usar a intelig��ncia artificial, por exemplo, com o suporte de apoio decis��rio do magistrado, com base na predi����o dos votos da tend��ncia com que ele j�� jogou, o que agora efetivamente isso nunca vai ser um ato isolado, automatizado, sem interven����o humana para poder fazer a valida����o final, Ent��o, h�� muito ru��do. H�� muito bases em rela����o a essas a����es, que eu acho que a gente tem que botar um pouco de term��metro a realidade de um ano. �� bom que estejam falando sobre isso. De outro, fala se muito sobre tecnologia, mais pr��tica, se pouco nossa. Se for pegar, Ent��o, em rela����o a esses assuntos e a intelig��ncia artificial, eu acho que tem muita fuma��a para pouco fogo. At�� porque n��o existe tecnologia suficiente para fazer tudo o que as pessoas dizem. N��o tem a felicidade a um ��ndice advogado, talvez de uma empresa que tem uma banda cuidado jur��dico, do Brasil, que sabe o mundo que �� o jogo Brasil e conven����o no campo pessoal de l��. Um dia depois de mais seis n��o investem em intelig��ncia artificial. A resposta foi simples aqui o pessoal acha que a intelig��ncia artificial �� editor, de ter. Se chega jogo texto l�� e pronto computador vai ter um sistema cognitivo. Vai, aprendi tal. Est�� tudo resolvido n��o s�� no Brasil, mas outros amigos que tamb��m tiveram oportunidade de fazer sistemas de intelig��ncia artificial no Supremo. Ent��o, revelaram que n��s temos hoje o dado no no sentido bruto. Mas �� necess��rio fazer diversas marca����es numa linguagem figurada. Eu diria para voc��s que n��s temos hoje o pr�� sal. Entendeu? Ent��o, o dado �� o pr�� sal. E n��s precisamos fazer o tratamento das diversas camadas, marca����es e tal para poder virar do dado a informa����o da somat��ria da informa����o, conhecimento e da somat��ria do conhecimento. A sabedoria, ent��o do pr�� sal, at�� virar petr��leo, tem um longo caminho que as pessoas est��o abreviando achando que �� interessante. O Brasil tem o maior de gdapa juridico do mundo. N��o existe nenhum pa��s do mundo que os noventa e tr��s tribunais produzem todas as suas decis��es j�� um tempo na pele, formato digital, por uma mat��ria prima. Agora a intelig��ncia artificial vai chegar em dois tempos, vai resolver tudo. Cad�� o estado? Porque o dado n��o �� estruturado de forma adequada e se tiver isso, leva tempo e exige bra��o, por isso que os resultados ainda n��o apareceram. Mas v��o parecer que voc�� teve uma parte grande para fazer com que os tribunais tivessem tudo isso, informa a entidade. O rapaz foi uma experi��ncia profissional fant��stica, porque eu tive desde a primeira reuni��o de discuss��o representando a OAB federal na na lei do processo eletr��nico do projeto de lei. Ainda �� interessante falar um aspecto hist��rico aqui que talvez poucas pessoas saibam que, inclusive est�� muito bem narrado num outro livro, que eu fiz em dois mil e dez, que �� coment��rios al��m do processo eletr��nico. Quando eu conto toda a hist��ria, como surgiu o processo judicial eletr��nico? Eu tenho um relato ali de forma pormenorizada, que eu participei de tudo como negociador do da, definindo as prerrogativas do advogado em diversas rodadas de negocia����o e tamb��m depois ocupando uma cadeira no CNJ perante a Comiss��o de Regulamenta����o do Processo de Sa��de, o processo judicial eletr��nico nasceu apenas com poucas funcionalidades. A primeira vers��o era protocolo, distribui����o e publica����o de atos. Apenas isso a�� na uma vers��o seguinte, resolveu, n��o v��o encarar que v��o fazer um projeto diferente. V��o fazer um sistema que permita fazer automa����o de todas as etapas processuais. A distribui����o at�� o tr��nsito em julgado. E a��, brasileira �� usado em termos de tecnologia da informa����o. Sempre foi e lan��amos, depois de renda, uma s��rie de exemplos assim e a�� levantamos voo numa nave que se d�� que sem nenhuma refer��ncia a ela, que eu viajei na ��poca pela OAB Federal, era o presidente da Comiss��o de Direito Tecnologia durante dez anos. Ent��o, tive a oportunidade, a Espanha, a autoria ao Canad��. Tudo fazendo pesquisa para um livro, inclusive, teve que Portugal e vi que nenhum desses tinham um projeto t��o usado quando o Brasil de querer enfrentar uma situa����o sem refer��ncia internacional, de criar um sistema que pudesse fazer com que as pr��ticas processuais por meio eletr��nico foi assim o novo padr��o. N��o pagamos um pre��o alto por isso, mas o resultado �� positivo, mas ainda tem muita coisa para mim. Eu estou muito cr��tico, em v��rios aspectos relacionados �� implanta����o do processo de sa��de, entrou no Brasil. Isso se deve muito ao fato de que o Judici��rio poderia dialogar muito melhor com todos os roedores do mercado. Mas ele n��o dialoga ainda o Judici��rio. Muitas vezes ele entendeu que houve uma mudan��a de a informatiza����o do Judici��rio para a informatiza����o da justi��a. Faz muita diferen��a antes essa informa����o de informatiza����o do Judici��rio, porque �� isso. O departamento tem preocupado em resolver os problemas do tribunal, usando a inform��tica. Depois da lei, a informatiza����o da Justi��a tem que informar as pr��ticas processuais n��o s�� do tribunal, mas o advogado do Minist��rio P��blico da Advocacia P��blica de certa. S�� que eles n��o estavam acostumados a ouvir as pessoas e, por esse motivo, sistemas n��o saiam ou ainda n��o est��o totalmente com interface adequada para os advogados, como que v��rios advogados reclamem do sistema. Raz��o s�� que assim, por outro lado, o papel assim de organiza����o dos dados. Mas n��o se fosse tudo f��sico ainda perdido, tanto de informa����o. Eu falo que o papel j�� fez o seu papel. Ent��o a simples fato. Assim, ainda que seja ruim, est�� pelo menos tudo finalizado, ela olha, n��s vivemos num pa��s e vinte e sete estados j�� rodei praticamente tudo. Some falta Amap�� e Tocantins, um grande a grande, sacada. O que realmente aconteceu? Que foi bacana demais? Foi um fato tem jogado essa sementinha a�� de implanta����o de processo judicial eletr��nico em todos os tribunais. Hoje, todos iguais s��o processo judicial eletr��nico, ent��o o Brasil n��o �� a Su����a entendeu. S��o vinte e sete pa��ses, dentre um pa��s s��, com realidades completamente diferentes. Posso dizer porque fiz interlocu����o e ainda faz com diretores de tem de todos os tribunais conhecendo, explode perto, participa de evento do ano com eles a gente acompanhar essa evolu����o do mercado. Eu sou sempre aquele advogado que chega no evento, poder criticar que sempre redu����o positiva construtiva, mas n��o pode dizer do outro lado do balc��o que est�� errado e eu gosto. E eu acho que essa hist��ria poderia ser escrita de outra forma. Para sintetizar a minha maior cr��tica em rela����o ao processo judicial eletr��nico, a Simples foi criado um sistema para poder fazer todo o tr��mite do processo digital, s�� que era muito dif��cil de Nice negociar com o juiz para poder dizer penhora. S�� a rotina de trabalho vai mudar. Eu agora n��s vamos criar um sistema que que vai fazer com que voc�� tem que mudar o seu Rita de edital para n��o causar esse arrepio que poderia, de repente, impactar o projeto. O foco era como enfrentar a secretaria, Ent��o pensamos em Os tribunais foram focados em todas as rotinas processuais ou porque a ministra ela ingresse na ��poca. Assim temos que acabar com a in��rcia do papel que o papel imp��e uma in��rcia, porque era que as rotinas burocr��ticas envolvidas. S�� que o processo de petr��leo s�� focou na secretaria em grande parte moral da hist��ria. Os processos tramitam mais r��pido a secretaria chegam mais r��pida conclus��o l�� ficam, Ent��o, doze anos depois que a lei entrou em vigor. O preju��zo trabalho, da mesma forma como trabalhavam antes, est��o estressados. N��o se criou uma solu����o de apoio, suporte desses ��rg��os, magistrados e, quem sabe, pode. Vim com a intelig��ncia artificial, Ent��o, essa situa����o de muito conte��do, pouco processamento, pouco suporte para poder fazer maior celeridade ainda n��o aconteceu e isso �� que causa um certo sabor porque foi decantado. Na ��poca que n��s, nos processos ainda mais r��pido, isso vai acontecer na semana para todo mundo. O processo n��o est�� andando mais r��pido. O processo est�� andando da mesma forma e cada vez mais o Judici��rio est�� perdendo espa��o nos meios alternativos de solu����o de conflitos, isso �� fato, ent��o, por esse motivo �� que horas consertam essa situa����o e volta a entrar numa rota de ter mais performance. Ou ent��o esses meios alternativos de solu����o, de detidos, v��o estar sempre mais espa��o, muito bacana, relata o seu hist��rico como entidade, disse l��, no in��cio muito bacana, em entender os bastidores, a um momento muito interessante que empolgaram muito. Aprendi muito sobre a minha vida, com direito e tal. gra��as a Deus, foram at�� na pris��o E assim continua sendo. Voc�� come��ou dizendo no in��cio do epis��dio que voc�� est�� no momento que est��o mais aprendendo da sua vida. Agora voc�� mencionou isto de novo? Quais s��o seus desafios atuais? Assim que est��? Por que voc�� l�� atualmente? Que se aprende hoje, que est�� buscando e para os pr��ximos anos assim, um momento, o que realmente est�� empolgando, mais, estudar a����o, sistema novo? Que a prote����o de dados pessoais est��o a tutela important��ssimo, que o cidad��o tem que ter um assunto pautado mundialmente hoje, um assunto em que n��s temos duas grandes for��as do mercado internacional no grupo Estado Global, de um lado, as grandes empresas que dominam parte da arquitetura da internet. Do outro lado, os governos, cada vez mais enfraquecidos de acesso �� jurisdi����o, ou seja, dar for��a suas leis alternativa por essa experi��ncia de participar da audi��ncia p��blica do do WhatsApp representando a OAB Federal, onde os fundadores do WhatsApp gera presidente. Mike, �� claro para mim que as grandes empresas querem dizer para os governos dos estados a seguinte horas conta que aplicar suas leis, beleza aplica, mas no mundo presencial, porque esses espa��os de tal aqui eu aqui eu tenho um c��digo, ent��o fa��o as leis da minha maneira. Eu estava fazendo um curso de internet em dois mil e um. Tive como professor os caras que eu acho fant��stico. Gl��ria celeste chegou inclusive a ser candidata a presidente dos Estados Unidos nas ��ltimas elei����es, mas morreu nas primeiras prim��rias do Partido Democrata que atrav��s do seu livro cl��ssico famoso chamado Deloitte Sabeis Pa��s. Ele tem uma frase que �� matadora que ele fala assim decoud, ou seja, quem tem um c��digo na m��o tem mais efici��ncia de fazer mudan��a do que quem tem a lei a seu favor. Ent��o, por esse motivo, n��s temos que mudar esse equil��brio e for��a. Agora estou vendo uma mudan��a em rela����o a isso. Tomara que isso aconte��a de fato, impulsionada por situa����es que a gente presenciou recentemente, que s��o ou de Assange, �� mais uma cama de anal��tica ficar aqui para quem n��o assistiu ainda para esse os fant��sticos privacidade, saqueadas na ordem e ela mandaria todos eles relacionados ao assunto de dados, vazamento de dados, etc. Ent��o esse �� o momento que mais empolga a gente a estudar no aspecto mundial que os problemas s��o os mesmos como um dos pa��ses. Esse tema que por muito tempo n��o ficou sequer sendo objeto de questionamento na nossa legisla����o, n��o chegam atrasados todos os nossos vizinhos aqui do consumo, �� exce����o do Paraguai, j�� tinha uma legisla����o sobre prote����o de dados pessoais. Tudo bem que, se pegar a legisla����o, a primeira diretiva de noventa e cinco na Uni��o Europeia, s�� trocar Madri por Buenos Aires tiveram facilidade, tem a l��ngua a seu favor. Mas isso mostra como �� que a gente, Como �� que isso essa represa, essa represa de assunto em rela����o a esse assunto? Em rela����o a esse tema? E como o tempo para poder finalizar? O europeu j�� tem uma cultura jur��dica para dar com a prote����o de dados? Desde noventa e cinco s��o quinze anos e a lei agora foi sancionada em em agosto de dois mil dezoito. N��s temos dois anos em dois anos interno, tira o atraso em rela����es, conhecimento, essa maturidade para dar como prote����o de dados. Ent��o essas mudan��as est��o acontecendo na for��as, mas a gente tem que ver com calma. Eu vejo tantas pessoas assim j�� se colocando como doutores mentem e, por esse motivo a gente tem que ter mais paci��ncia, porque essa �� uma grande oportunidade para os pr��ximos anos da Advocacia de Lad��rio de edital Tive o prazer de receber que a Viviane tamb��m, que falou sobre a Wikipedia no trabalho dela fant��stico, ela falou palavras parecidas com o que voc�� est�� falando E se voc�� ainda n��o executou epis��dio, recomendo fortemente para discutir o epis��dio vinte e um aqui logo de La Hoya. Ela disse muito isso. N��o tem muita gente querendo e prestar consultoria de energia, pede m��e, poucas pessoas sabendo. E �� uma responsabilidade muito grande e n��o de um habeas entendeu, Querem ser, mas n��o s��o, Ent��o tenham humildade eu sou humilde, eu sou humilde porque eu quero aprender todo o dia e eu acho que falta muito disso. N��o sei se �� uma caracter��stica da gera����o ou que seja, mas j�� passei por diversas situa����es. Eu fico pensando em curso, j�� vendem tr��s d��cadas de dedica����o �� ��rea que eu tenho um sujeito que est�� aqui em volta menos de um ano de formada, se achando, entendeu, entregam, bem, trabalham bem, entendeu, n��o desmerece n��o, mas mais humildade, porque n��s temos muito a aprender. Defende tamb��m a nossa gera����o a defenda defende a sua causa, conforme eu concordo, cinco brincando, mas algum c��digo, sim por cento com o que se est�� trazendo? Eu acho que ao mesmo tempo, como est�� no mar que poucas pessoas e analisaram as vezes quem tem um ano de experi��ncia perto de para as pessoas que n��o tem ningu��m? Essas pessoas est��o se considerando experiente mais. Veja bem cuidado e ��tica na forma de abordar isso. N��o sei. Eu acho que n��s temos sempre que lembrar que a profiss��o de advogado �� valorizada pelo tempo de experi��ncia que tem. Isso n��o muda o tempo de voo. Sola de sapato gasta ao longo do tempo. Entendeu isso a�� que realmente mostra a senioridade? N��o �� substitu��do assim, porque �� um ramo novo. Ningu��m estudou, ningu��m viu isso na faculdade, ent��o j�� estou lendo tr��s livre, fez um curso de nossa m��e, de S��o Paulo. No or��amento para a�� n��o �� assim, mas, muitas vezes acredita nisso Deus E pior agora para outro, apareceram quinhentos mil de pior. Um brinquedinho de pergunto algum efetivamente teve experi��ncia pr��tica de atuar para se candidata? Assim tem. Hora, rodada n��o, mas s��o fizeram certifica����o aqui acol��. Tudo bem. Ent��o, atr��s de uma oportunidade de neg��cio justo, mas a situa����o �� muito mais din��mica. �� muito mais desafiadora do que parece. Se deu porque a falta experi��ncia para acho que c�� entre n��s essa experi��ncia efetiva vai rodar apenas depois de agosto de dois mil e vinte. N��s estamos tendo v��rios problemas. Temos v��rios ��rg��os controladores que j�� est��o gerando multas etc. Mas n��s n��o temos tempo de rodagem ainda, pode-se dizer que se perde em rela����o a essas a����es, esse �� o ponto que eu quero deixar como reflex��o muito legal. Alexandre, Gostei bastante aqui da de ter tido a oportunidade de conversar com voc��. Queria saber se voc�� tem algum conselho final para os colegas, advogados e ��s vezes informado, e tamb��m um advogado com escrit��rio pr��prio vezes at�� o escrit��rio consolidado, mas atua em uma outra ��rea, ainda n��o est�� no segmento digital de que se tem de indicar para essas pessoas tamb��m era de que �� muito simples paci��ncia, nada acontece com a velocidade que ol�� na internet, tem que se dedicar a estudar todo dia e, sobretudo, se voc�� puder mudar, n��o s�� o que est�� acontecendo no Brasil, mas as tend��ncias que vem de fora, que meses depois Chegam aqui saber lidar a informa����o desapegado Papel �� um diferencial porque na minha ��rea se eu n��o trabalhasse sem papel todas as atividades, escrit��rio como j�� fa��a mais de dez anos, eu n��o tinha o tempo de rea����o r��pido de decis��o, que a caracter��stica, nossa ��rea, ent��o �� uma ��rea, suspeita falar porque estou empolgado mesmo, gosto de que eu escolhi e me sinto cada dia que passa mais realizado no momento que n��s estamos passando. Mas �� isso Eu acho que o estudo constante manter a atualiza����o, n��o s�� o direito, mas com todas as tend��ncias tecnol��gicas est��o surgindo que v��o impactar o direito e acidente de carro, dedicar, porque as coisas v��o acontecer. Mas com a paci��ncia nos esse n��s e sucesso r��pido pode subir r��pido desse r��pido. Eu acho que a grande �� muito mais dif��cil voc�� manter do que alcan��ar. Ent��o, por esse motivo aqui um corajoso todos os ouvintes do Porto, quer n��o �� a Tr��ia come��ar a se interessar mais Fran��a digital, mas observada. Essas dicas que eu acho que s��o fruto de uma experi��ncia de vida ao longo de trinta e quatro anos. Muito obrigado. Alexandre. Foi um prazer de ter recebido aqui. Disse l��, no in��cio que isso o epis��dio hist��rico. E eu n��o menti todos os ouvintes. A�� eu tenho certeza que valeu bastante a pena. O tempo que voc��s investiram aqui conosco agradece que ver�� novamente pela audi��ncia. Se voc��s gostaram do epis��dio, compartilhem tamb��m com outros colegas advogados que precisam de ter acesso a esse conte��do. Se n��o �� f��cil para a gente, produzia esses conte��dos como entrou. Sobre essa parte, estamos finalizando a grava����o. J�� estou preocupado com a edi����o que a gente vai ter que fazer com a transcri����o do epis��dio. Um trabalho que a gente gosta muito de fazer e se tiver agregando de alguma forma, voc�� fala com a gente nas redes sociais tamb��m. Fala que coincidisse com Alexandre, com certeza. Vou advogar em todos os seus canais digitais. V��o fazer mais for��a poder potencializar os ouvintes a�� do pode quest��o, acha trabalho seus mais uma vez brilhante que sigam nessa, est��o preenchendo uma lacuna de debate sobre temas super contextualizados. O que �� raro, a gente fonte de informa����o t��o qualificada com as pessoas que se tem tido a oportunidade de interagir aqui onde s��o amigos meus, muitas pessoas que eu sou f�� admiro mesmo e isso n��o tinha essas ferramentas antes, ent��o sess��o trazendo para a gente conte��do de qualidade e

Alexandre:   0:00
uma pessoa, vai ser algo muito mais potencializado o que aconteceu quando foi em mil novecentos e noventa com a entrada em vigor do colo do consumidor. Ent��o, isso vai ter um impacto muito grande e ele me disse naquela oportunidade. Alexandre Hoje a OAB se conhece, ajudou, eu ajudei a montar o Cadastro Nacional de Advogados. Na ��poca, coordenava uma grande equipe l�� no departamento de TI. E hoje t��m um milh��o, duzentos mil advogados. S�� que e olha esse n��mero se n��o �� impressionante. Impressionante a taxa de crescimento, que na faixa de vinte e cinco a trinta por cento por ano. Ent��o est��o para um neg��cio desse. N��o existem uma classe profissional do mundo. S�� fica uma d��vida meio com ��ndia mais. Tenho minhas d��vidas que tem o n��mero de advogados, como tem se ter ideia, o mercado de certificado digital, hoje emitidos s�� pela OAB j�� est�� chegando a setecentos e cinquenta mil advogados, o juiz o Brasil, por exemplo, hoje j�� deve ter cerca de novecentos mil advogados, sete por cento. E parece da advocacia brasileira, hoje p��blico pagante do jogo Brasil e ent��o essas quest��es. Mas em compensa����o, segundo ��rea grande existem quatrocentos e cinquenta mil advogados que est��o ganhando para pagar as contas. Ent��o por que isso acontece? Porque as pessoas n��o podem ficar na vala comum, entendeu? Elas t��m buscar alguma solu����o diferenciada. N��s temos a�� a diga economia e n��s temos a�� uma s��rie de alternativas de mercado que, n��o fazendo repensar completamente o exerc��cio da advocacia. A forma de ganhar dinheiro advocacia, nos pr��ximos anos �� mudar. Como j�� mudou mais ainda. Radicalmente isso que as pessoas t��m que saber. Tem que entender para que caminho de modelos de neg��cio, que o caminho que isso vai gerar. Ent��o, a minha preocupa����o de que as pessoas n��o caiu nessa vala comum em rela����o ao segundo ponto. A sua pergunta sobre se m��quina vai substituir advogado? Eu n��o concordo com essa forma, de jeito nenhum eu estudando tem um assunto de intelig��ncia artificial. Inclusive, j�� que a arte Vital coloca muito bem minha posi����o a respeito disso. Eu acho que os sistemas de intelig��ncia artificial tem talentos que os humanos n��o t��m. Os humanos t��m talentos que os sistemas de intelig��ncia oficial n��o tem. Ent��o quem fala que n��o vai matar o outro eu n��o concordo e acho que pagaria para ver se um dia essa situa����o vai se reverter. Eu acho que o melhor dos mundos que a gente vai alcan��ar daqui para frente �� a somat��ria desses dois talentos em busca de algum resultado, mas n��o achando que uma coisa n��o substitui a outra, ningu��m vai achar que vai dar a senten��a. Automaticamente j�� pode usar a intelig��ncia artificial, por exemplo, com o suporte de apoio decis��rio do magistrado, com base na predi����o dos votos da tend��ncia com que ele j�� jogou, o que agora efetivamente isso nunca vai ser um ato isolado, automatizado, sem interven����o humana para poder fazer a valida����o final, Ent��o, h�� muito ru��do. H�� muito bases em rela����o a essas a����es, que eu acho que a gente tem que botar um pouco de term��metro a realidade de um ano. �� bom que estejam falando sobre isso. De outro, fala se muito sobre tecnologia, mais pr��tica, se pouco nossa. Se for pegar, Ent��o, em rela����o a esses assuntos e a intelig��ncia artificial, eu acho que tem muita fuma��a para pouco fogo. At�� porque n��o existe tecnologia suficiente para fazer tudo o que as pessoas dizem. N��o tem a felicidade a um ��ndice advogado, talvez de uma empresa que tem uma banda cuidado jur��dico, do Brasil, que sabe o mundo que �� o jogo Brasil e conven����o no campo pessoal de l��. Um dia depois de mais seis n��o investem em intelig��ncia artificial. A resposta foi simples aqui o pessoal acha que a intelig��ncia artificial �� editor, de ter. Se chega jogo texto l�� e pronto computador vai ter um sistema cognitivo. Vai, aprendi tal. Est�� tudo resolvido n��o s�� no Brasil, mas outros amigos que tamb��m tiveram oportunidade de fazer sistemas de intelig��ncia artificial no Supremo. Ent��o, revelaram que n��s temos hoje o dado no no sentido bruto. Mas �� necess��rio fazer diversas marca����es numa linguagem figurada. Eu diria para voc��s que n��s temos hoje o pr�� sal. Entendeu? Ent��o, o dado �� o pr�� sal. E n��s precisamos fazer o tratamento das diversas camadas, marca����es e tal para poder virar do dado a informa����o da somat��ria da informa����o, conhecimento e da somat��ria do conhecimento. A sabedoria, ent��o do pr�� sal, at�� virar petr��leo, tem um longo caminho que as pessoas est��o abreviando achando que �� interessante. O Brasil tem o maior de gdapa juridico do mundo. N��o existe nenhum pa��s do mundo que os noventa e tr��s tribunais produzem todas as suas decis��es j�� um tempo na pele, formato digital, por uma mat��ria prima. Agora a intelig��ncia artificial vai chegar em dois tempos, vai resolver tudo. Cad�� o estado? Porque o dado n��o �� estruturado de forma adequada e se tiver isso, leva tempo e exige bra��o, por isso que os resultados ainda n��o apareceram. Mas v��o parecer que voc�� teve uma parte grande para fazer com que os tribunais tivessem tudo isso, informa a entidade. O rapaz foi uma experi��ncia profissional fant��stica, porque eu tive desde a primeira reuni��o de discuss��o representando a OAB federal na na lei do processo eletr��nico do projeto de lei. Ainda �� interessante falar um aspecto hist��rico aqui que talvez poucas pessoas saibam que, inclusive est�� muito bem narrado num outro livro, que eu fiz em dois mil e dez, que �� coment��rios al��m do processo eletr��nico. Quando eu conto toda a hist��ria, como surgiu o processo judicial eletr��nico? Eu tenho um relato ali de forma pormenorizada, que eu participei de tudo como negociador do da, definindo as prerrogativas do advogado em diversas rodadas de negocia����o e tamb��m depois ocupando uma cadeira no CNJ perante a Comiss��o de Regulamenta����o do Processo de Sa��de, o processo judicial eletr��nico nasceu apenas com poucas funcionalidades. A primeira vers��o era protocolo, distribui����o e publica����o de atos. Apenas isso a�� na uma vers��o seguinte, resolveu, n��o v��o encarar que v��o fazer um projeto diferente. V��o fazer um sistema que permita fazer automa����o de todas as etapas processuais. A distribui����o at�� o tr��nsito em julgado. E a��, brasileira �� usado em termos de tecnologia da informa����o. Sempre foi e lan��amos, depois de renda, uma s��rie de exemplos assim e a�� levantamos voo numa nave que se d�� que sem nenhuma refer��ncia a ela, que eu viajei na ��poca pela OAB Federal, era o presidente da Comiss��o de Direito Tecnologia durante dez anos. Ent��o, tive a oportunidade, a Espanha, a autoria ao Canad��. Tudo fazendo pesquisa para um livro, inclusive, teve que Portugal e vi que nenhum desses tinham um projeto t��o usado quando o Brasil de querer enfrentar uma situa����o sem refer��ncia internacional, de criar um sistema que pudesse fazer com que as pr��ticas processuais por meio eletr��nico foi assim o novo padr��o. N��o pagamos um pre��o alto por isso, mas o resultado �� positivo, mas ainda tem muita coisa para mim. Eu estou muito cr��tico, em v��rios aspectos relacionados �� implanta����o do processo de sa��de, entrou no Brasil. Isso se deve muito ao fato de que o Judici��rio poderia dialogar muito melhor com todos os roedores do mercado. Mas ele n��o dialoga ainda o Judici��rio. Muitas vezes ele entendeu que houve uma mudan��a de a informatiza����o do Judici��rio para a informatiza����o da justi��a. Faz muita diferen��a antes essa informa����o de informatiza����o do Judici��rio, porque �� isso. O departamento tem preocupado em resolver os problemas do tribunal, usando a inform��tica. Depois da lei, a informatiza����o da Justi��a tem que informar as pr��ticas processuais n��o s�� do tribunal, mas o advogado do Minist��rio P��blico da Advocacia P��blica de certa. S�� que eles n��o estavam acostumados a ouvir as pessoas e, por esse motivo, sistemas n��o saiam ou ainda n��o est��o totalmente com interface adequada para os advogados, como que v��rios advogados reclamem do sistema. Raz��o s�� que assim, por outro lado, o papel assim de organiza����o dos dados. Mas n��o se fosse tudo f��sico ainda perdido, tanto de informa����o. Eu falo que o papel j�� fez o seu papel. Ent��o a simples fato. Assim, ainda que seja ruim, est�� pelo menos tudo finalizado, ela olha, n��s vivemos num pa��s e vinte e sete estados j�� rodei praticamente tudo. Some falta Amap�� e Tocantins, um grande a grande, sacada. O que realmente aconteceu? Que foi bacana demais? Foi um fato tem jogado essa sementinha a�� de implanta����o de processo judicial eletr��nico em todos os tribunais. Hoje, todos iguais s��o processo judicial eletr��nico, ent��o o Brasil n��o �� a Su����a entendeu. S��o vinte e sete pa��ses, dentre um pa��s s��, com realidades completamente diferentes. Posso dizer porque fiz interlocu����o e ainda faz com diretores de tem de todos os tribunais conhecendo, explode perto, participa de evento do ano com eles a gente acompanhar essa evolu����o do mercado. Eu sou sempre aquele advogado que chega no evento, poder criticar que sempre redu����o positiva construtiva, mas n��o pode dizer do outro lado do balc��o que est�� errado e eu gosto. E eu acho que essa hist��ria poderia ser escrita de outra forma. Para sintetizar a minha maior cr��tica em rela����o ao processo judicial eletr��nico, a Simples foi criado um sistema para poder fazer todo o tr��mite do processo digital, s�� que era muito dif��cil de Nice negociar com o juiz para poder dizer penhora. S�� a rotina de trabalho vai mudar. Eu agora n��s vamos criar um sistema que que vai fazer com que voc�� tem que mudar o seu Rita de edital para n��o causar esse arrepio que poderia, de repente, impactar o projeto. O foco era como enfrentar a secretaria, Ent��o pensamos em Os tribunais foram focados em todas as rotinas processuais ou porque a ministra ela ingresse na ��poca. Assim temos que acabar com a in��rcia do papel que o papel imp��e uma in��rcia, porque era que as rotinas burocr��ticas envolvidas. S�� que o processo de petr��leo s�� focou na secretaria em grande parte moral da hist��ria. Os processos tramitam mais r��pido a secretaria chegam mais r��pida conclus��o l�� ficam, Ent��o, doze anos depois que a lei entrou em vigor. O preju��zo trabalho, da mesma forma como trabalhavam antes, est��o estressados. N��o se criou uma solu����o de apoio, suporte desses ��rg��os, magistrados e, quem sabe, pode. Vim com a intelig��ncia artificial, Ent��o, essa situa����o de muito conte��do, pouco processamento, pouco suporte para poder fazer maior celeridade ainda n��o aconteceu e isso �� que causa um certo sabor porque foi decantado. Na ��poca que n��s, nos processos ainda mais r��pido, isso vai acontecer na semana para todo mundo. O processo n��o est�� andando mais r��pido. O processo est�� andando da mesma forma e cada vez mais o Judici��rio est�� perdendo espa��o nos meios alternativos de solu����o de conflitos, isso �� fato, ent��o, por esse motivo �� que horas consertam essa situa����o e volta a entrar numa rota de ter mais performance. Ou ent��o esses meios alternativos de solu����o, de detidos, v��o estar sempre mais espa��o, muito bacana, relata o seu hist��rico como entidade, disse l��, no in��cio muito bacana, em entender os bastidores, a um momento muito interessante que empolgaram muito. Aprendi muito sobre a minha vida, com direito e tal. gra��as a Deus, foram at�� na pris��o E assim continua sendo. Voc�� come��ou dizendo no in��cio do epis��dio que voc�� est�� no momento que est��o mais aprendendo da sua vida. Agora voc�� mencionou isto de novo? Quais s��o seus desafios atuais? Assim que est��? Por que voc�� l�� atualmente? Que se aprende hoje, que est�� buscando e para os pr��ximos anos assim, um momento, o que realmente est�� empolgando, mais, estudar a����o, sistema novo? Que a prote����o de dados pessoais est��o a tutela important��ssimo, que o cidad��o tem que ter um assunto pautado mundialmente hoje, um assunto em que n��s temos duas grandes for��as do mercado internacional no grupo Estado Global, de um lado, as grandes empresas que dominam parte da arquitetura da internet. Do outro lado, os governos, cada vez mais enfraquecidos de acesso �� jurisdi����o, ou seja, dar for��a suas leis alternativa por essa experi��ncia de participar da audi��ncia p��blica do do WhatsApp representando a OAB Federal, onde os fundadores do WhatsApp gera presidente. Mike, �� claro para mim que as grandes empresas querem dizer para os governos dos estados a seguinte horas conta que aplicar suas leis, beleza aplica, mas no mundo presencial, porque esses espa��os de tal aqui eu aqui eu tenho um c��digo, ent��o fa��o as leis da minha maneira. Eu estava fazendo um curso de internet em dois mil e um. Tive como professor os caras que eu acho fant��stico. Gl��ria celeste chegou inclusive a ser candidata a presidente dos Estados Unidos nas ��ltimas elei����es, mas morreu nas primeiras prim��rias do Partido Democrata que atrav��s do seu livro cl��ssico famoso chamado Deloitte Sabeis Pa��s. Ele tem uma frase que �� matadora que ele fala assim decoud, ou seja, quem tem um c��digo na m��o tem mais efici��ncia de fazer mudan��a do que quem tem a lei a seu favor. Ent��o, por esse motivo, n��s temos que mudar esse equil��brio e for��a. Agora estou vendo uma mudan��a em rela����o a isso. Tomara que isso aconte��a de fato, impulsionada por situa����es que a gente presenciou recentemente, que s��o ou de Assange, �� mais uma cama de anal��tica ficar aqui para quem n��o assistiu ainda para esse os fant��sticos privacidade, saqueadas na ordem e ela mandaria todos eles relacionados ao assunto de dados, vazamento de dados, etc. Ent��o esse �� o momento que mais empolga a gente a estudar no aspecto mundial que os problemas s��o os mesmos como um dos pa��ses. Esse tema que por muito tempo n��o ficou sequer sendo objeto de questionamento na nossa legisla����o, n��o chegam atrasados todos os nossos vizinhos aqui do consumo, �� exce����o do Paraguai, j�� tinha uma legisla����o sobre prote����o de dados pessoais. Tudo bem que, se pegar a legisla����o, a primeira diretiva de noventa e cinco na Uni��o Europeia, s�� trocar Madri por Buenos Aires tiveram facilidade, tem a l��ngua a seu favor. Mas isso mostra como �� que a gente, Como �� que isso essa represa, essa represa de assunto em rela����o a esse assunto? Em rela����o a esse tema? E como o tempo para poder finalizar? O europeu j�� tem uma cultura jur��dica para dar com a prote����o de dados? Desde noventa e cinco s��o quinze anos e a lei agora foi sancionada em em agosto de dois mil dezoito. N��s temos dois anos em dois anos interno, tira o atraso em rela����es, conhecimento, essa maturidade para dar como prote����o de dados. Ent��o essas mudan��as est��o acontecendo na for��as, mas a gente tem que ver com calma. Eu vejo tantas pessoas assim j�� se colocando como doutores mentem e, por esse motivo a gente tem que ter mais paci��ncia, porque essa �� uma grande oportunidade para os pr��ximos anos da Advocacia de Lad��rio de edital Tive o prazer de receber que a Viviane tamb��m, que falou sobre a Wikipedia no trabalho dela fant��stico, ela falou palavras parecidas com o que voc�� est�� falando E se voc�� ainda n��o executou epis��dio, recomendo fortemente para discutir o epis��dio vinte e um aqui logo de La Hoya. Ela disse muito isso. N��o tem muita gente querendo e prestar consultoria de energia, pede m��e, poucas pessoas sabendo. E �� uma responsabilidade muito grande e n��o de um habeas entendeu, Querem ser, mas n��o s��o, Ent��o tenham humildade eu sou humilde, eu sou humilde porque eu quero aprender todo o dia e eu acho que falta muito disso. N��o sei se �� uma caracter��stica da gera����o ou que seja, mas j�� passei por diversas situa����es. Eu fico pensando em curso, j�� vendem tr��s d��cadas de dedica����o �� ��rea que eu tenho um sujeito que est�� aqui em volta menos de um ano de formada, se achando, entendeu, entregam, bem, trabalham bem, entendeu, n��o desmerece n��o, mas mais humildade, porque n��s temos muito a aprender. Defende tamb��m a nossa gera����o a defenda defende a sua causa, conforme eu concordo, cinco brincando, mas algum c��digo, sim por cento com o que se est�� trazendo? Eu acho que ao mesmo tempo, como est�� no mar que poucas pessoas e analisaram as vezes quem tem um ano de experi��ncia perto de para as pessoas que n��o tem ningu��m? Essas pessoas est��o se considerando experiente mais. Veja bem cuidado e ��tica na forma de abordar isso. N��o sei. Eu acho que n��s temos sempre que lembrar que a profiss��o de advogado �� valorizada pelo tempo de experi��ncia que tem. Isso n��o muda o tempo de voo. Sola de sapato gasta ao longo do tempo. Entendeu isso a�� que realmente mostra a senioridade? N��o �� substitu��do assim, porque �� um ramo novo. Ningu��m estudou, ningu��m viu isso na faculdade, ent��o j�� estou lendo tr��s livre, fez um curso de nossa m��e, de S��o Paulo. No or��amento para a�� n��o �� assim, mas, muitas vezes acredita nisso Deus E pior agora para outro, apareceram quinhentos mil de pior. Um brinquedinho de pergunto algum efetivamente teve experi��ncia pr��tica de atuar para se candidata? Assim tem. Hora, rodada n��o, mas s��o fizeram certifica����o aqui acol��. Tudo bem. Ent��o, atr��s de uma oportunidade de neg��cio justo, mas a situa����o �� muito mais din��mica. �� muito mais desafiadora do que parece. Se deu porque a falta experi��ncia para acho que c�� entre n��s essa experi��ncia efetiva vai rodar apenas depois de agosto de dois mil e vinte. N��s estamos tendo v��rios problemas. Temos v��rios ��rg��os controladores que j�� est��o gerando multas etc. Mas n��s n��o temos tempo de rodagem ainda, pode-se dizer que se perde em rela����o a essas a����es, esse �� o ponto que eu quero deixar como reflex��o muito legal. Alexandre, Gostei bastante aqui da de ter tido a oportunidade de conversar com voc��. Queria saber se voc�� tem algum conselho final para os colegas, advogados e ��s vezes informado, e tamb��m um advogado com escrit��rio pr��prio vezes at�� o escrit��rio consolidado, mas atua em uma outra ��rea, ainda n��o est�� no segmento digital de que se tem de indicar para essas pessoas tamb��m era de que �� muito simples paci��ncia, nada acontece com a velocidade que ol�� na internet, tem que se dedicar a estudar todo dia e, sobretudo, se voc�� puder mudar, n��o s�� o que est�� acontecendo no Brasil, mas as tend��ncias que vem de fora, que meses depois Chegam aqui saber lidar a informa����o desapegado Papel �� um diferencial porque na minha ��rea se eu n��o trabalhasse sem papel todas as atividades, escrit��rio como j�� fa��a mais de dez anos, eu n��o tinha o tempo de rea����o r��pido de decis��o, que a caracter��stica, nossa ��rea, ent��o �� uma ��rea, suspeita falar porque estou empolgado mesmo, gosto de que eu escolhi e me sinto cada dia que passa mais realizado no momento que n��s estamos passando. Mas �� isso Eu acho que o estudo constante manter a atualiza����o, n��o s�� o direito, mas com todas as tend��ncias tecnol��gicas est��o surgindo que v��o impactar o direito e acidente de carro, dedicar, porque as coisas v��o acontecer. Mas com a paci��ncia nos esse n��s e sucesso r��pido pode subir r��pido desse r��pido. Eu acho que a grande �� muito mais dif��cil voc�� manter do que alcan��ar. Ent��o, por esse motivo aqui um corajoso todos os ouvintes do Porto, quer n��o �� a Tr��ia come��ar a se interessar mais Fran��a digital, mas observada. Essas dicas que eu acho que s��o fruto de uma experi��ncia de vida ao longo de trinta e quatro anos. Muito obrigado. Alexandre. Foi um prazer de ter recebido aqui. Disse l��, no in��cio que isso o epis��dio hist��rico. E eu n��o menti todos os ouvintes. A�� eu tenho certeza que valeu bastante a pena. O tempo que voc��s investiram aqui conosco agradece que ver�� novamente pela audi��ncia. Se voc��s gostaram do epis��dio, compartilhem tamb��m com outros colegas advogados que precisam de ter acesso a esse conte��do. Se n��o �� f��cil para a gente, produzia esses conte��dos como entrou. Sobre essa parte, estamos finalizando a grava����o. J�� estou preocupado com a edi����o que a gente vai ter que fazer com a transcri����o do epis��dio. Um trabalho que a gente gosta muito de fazer e se tiver agregando de alguma forma, voc�� fala com a gente nas redes sociais tamb��m. Fala que coincidisse com Alexandre, com certeza. Vou advogar em todos os seus canais digitais. V��o fazer mais for��a poder potencializar os ouvintes a�� do pode quest��o, acha trabalho seus mais uma vez brilhante que sigam nessa, est��o preenchendo uma lacuna de debate sobre temas super contextualizados. O que �� raro, a gente fonte de informa����o t��o qualificada com as pessoas que se tem tido a oportunidade de interagir aqui onde s��o amigos meus, muitas pessoas que eu sou f�� admiro mesmo e isso n��o tinha essas ferramentas antes, ent��o sess��o trazendo para a gente conte��do de qualidade e

Alexandre:   0:00
A parte no hiper com essas coisas que eu quero dizer para os ouvintes que est��o, nos escutamos, �� que voc�� n��o pode achar que s�� o seu brilhante conhecimento tecnol��gico resolver�� os problemas. Se voc�� n��o entender de processo civil e tendo que defender uma a����o relacionado a licenciamento de software Amanda Ent��o engana se quem fica meio que inebriado s�� com essas quest��es tecnol��gicas �� um diferencial. Mas �� um diferencial que s�� se revelar�� quando for contextualizado com o ramo tradicional direito. Isso que faz a diferen��a e qual a velocidade com quais s��o as tend��ncias assim, nesse mercado para o futuro. Assim pegando toda evolu����o, diz que voc�� come��ou a atuar e a trinta e quatro anos, at�� hoje tem de diferente o que voc�� acha partida que a cinco do que h�� dez anos? Muitas coisas mudaram. Como eu disse durante muito tempo a gente praticamente dedicava quest��es de licenciamento de software, come��ando por a��. O uso n��o autorizado de imagem e som era muito chato, at�� porque era muito restrito. Eu achava que tem tamb��m na faculdade, foi oitenta e dois, tempo, trinta e oito anos. Eu achava que um dia um de todos os ramos do direito que se entrela��a com essa ��rea j�� vinha, inclusive as acusa����es de prote����o de dados acontecer l�� atr��s. Mas o Brasil foi muito lento nessa mudan��a. Voc�� ter ideia, n��s somos senten��a. Tem ser pa��ses do mundo que est��o a lei de prote����o de dados pessoais, sendo que hoje n��s j�� temos cento e vinte pa��ses. Ent��o assim a mudan��a come��ou a ocorrer, sobretudo desse divisor de ��guas que eu falei E a�� a situa����o na medida que o p��blico da internet vai aumentando, os problemas v��o aumentando e as ofertas de servi��os para os advogados tamb��m. Ent��o, veja, n��s vimos numa crescente, mas prescindindo de alguns marcos legais, esses marcos aconteceram. A gente sabe lidando diariamente com v��rios problemas jur��dicos que a grande lacuna que existia at�� ent��o era ter uma lei de prote����o de dados pessoais. O dado no Brasil n��o tinha nenhuma prote����o, embora algumas leis poderiam ser aplicadas e s��o, N��s estamos s�� dependendo dessa lei de prote����o de dados pessoais para poder resolver problemas. Existe a Constitui����o quando se viu, quando o consumidor, al��m da crian��a e do adolescente, que isso tudo �� aplicado. Por��m n��s estamos passando por impulsionamento que jamais que jamais existiu E a tend��ncia futura, no meu ponto de vista, �� enxergar o mundo como sendo um local onde o processamento de dados s�� vai crescer. O tratamento de dados s�� vai crescer porque n��s estamos passando por diversos exemplos de corrup����o. E a�� voc�� tem algumas for��as tecnol��gicas que est��o vindo por a��. N��s estamos hoje j�� prestando consultoria para algumas empresas estrangeiras de ponta, l��der de mercado em cinco, que eu acho que vai ser uma revolu����o absurda em termos de uso da internet, pela velocidade, pelo fato de a gente ter uma lat��ncia m��nima em termos de acesso de dados e, por outro lado, isso tamb��m vai impulsionar o que a internet das coisas al��m da intelig��ncia artificial. Ent��o pega esses tr��s itens para poder dizer como �� que vai potencializar, gra��as a Deus, a demanda de servi��os nessa ��rea de direito digital, As pessoas realmente investir nisso, ter talento para poder criar talento para poder lidar nessa ��rea. Ent��o as oportunidades s��o boas. Agora eu quero deixar aqui bem registrado. Uma coisa eu sou da ��poca em que digitava, j��ris, procedimento de jurisprud��ncia no computador, o meu pai chegada �� tribuna e falar para o desembargador que j�� tinha julgado assim assado em determinado assunto e pulava da cadeira Sou da ��poca que um desembargador ligava a gente um banco Primeira pelo escrit��rio do Brasil, que tem um banco de dados, jurisprud��ncia ligar para mim para o ch��o, tirando seu computador. A�� todos os meus votos de responsabilidade civil, ela imprimia neurol��gica setecentos e vinte matricial. Entregava ele pelo poder estudar, porque o pr��prio tribunal n��o tinha isso. Ent��o, a lei para caramba, em termos de pesquisa, de estudo, tudo mais. Hoje eu vejo o pessoal em regra, est�� ��bvio que tem exce����es numa zona de conforto absurda, entendeu? Hoje existe uma certa o travamento assim de achar o seguinte para a�� meu vade mexer com minha forma de pesquisar a ferramenta de busca do google ponto Entendeu pelo amor de Deus? Deu assim. Isso a�� jamais pode ser o limite de uma pesquisa, de um estudo por um advogado que queira realmente desponta na sua ��rea. Eu continuo comprando o livro todo dia. Gra��as a Deus, a gente tem uma biblioteca do escrit��rio por volta de mil livros na ��rea de edital brasileira estrangeiro e tentam motivar a minha aqui para poder tamb��m unifica����o na base operacional, para poder aprender. Ent��o essa sede de saber ela sempre que acompanhar um jovem advogado que era se interessar a pol��cia porque eu acho que tem muita coisa boa para mim por a��. Mas o sucesso tem que ver com muita paci��ncia. Existe uma falsa a compreens��o de que essas coisas, todas r��pidas, que acontece na internet, tamb��m v��o acontecer r��pido, sucesso, r��pido, ganho, dinheiro em rela����o �� carreira de advogado n��o caiam nessa armadilha. Tudo �� constru��do, tijolo por tijolo. Passo a passo �� um exerc��cio da paci��ncia. Quem n��o for paciente, n��o pode ser revogada. Ent��o pensar que as coisas v��o acontecer para o bem. Mas como, com muita perseveran��a com muita dedica����o, porque sempre o papel de advogado n��o acha que apertar um bot��o, colocar uma informa����o sobre o seu perfil na internet est�� tudo resolvido. Ent��o, at�� porque o curr��culo das pessoas na internet hoje n��o s��o formados apenas por aquilo que elas falam de si mesmo, mas, sobretudo, a respeito dos coment��rios de terceiro, que fala a respeito dela e, muitas vezes, a�� a internet guarda surpresas. Eu acho que mais do que falar hoje tamb��m �� muito que se faz �� que est�� tudo exposto, uma quest��o que a gente defende muito aqui na Flona. Aqui, na fila noite gosta muito de produzir conte��do at�� por isso que ele se pode, que a gente tem um blog E a gente sabe que eu valorizo muito e sabe, Eu acho que eu tamb��m me considero um conte��do disso, O seu trabalho que d�� para voc�� ter ideia eu fui o cara que em dois mil e quatro, criou o primeiro bloco jur��dico no Brasil chamado Direito ��s novas tecnologias. Ent��o s��o essencialmente um gerador de conte��do de v��rias formas e valoriza muito como voc��s fazem esse trabalho, porque n��o �� f��cil nem um pouco f��cil. Obrigado pelas palavras e voc�� �� um dos blocos que eu pessoalmente, sempre acompanhei E o que eu vi o que realmente criam blogs, cria um ponto que a gente cria as iniciativas que a gente faz aqui. N��o falou, por exemplo, os resultados. Eles s��o de longo prazo e eu vejo muita gente querendo capital mais clientes, sempre no curto prazo. Ent��o vou investir um milh��o de reais. Ele mim an��ncio no Instagram no Facebook fazer completa tudo assim, autom��tico, Tudo assim apertou. O bot��o resolve de certa, mas o fator humano �� fundamental. �� dif��cil a gente conseguir assim. �� importante a gente pensar golpe em solu����es curto, prazo e tem escrit��rios que v��o conseguir fazer com que isso, de certo tamb��m. Mas �� muito importante a gente pensar no longo prazo, no longo prazo e pelo que o escuto de voc��, Alecsandro vez que voc�� tem uma vis��o ao mesmo tempo pragm��tica desse lado, de que vamos com calma, as coisas demoram demandam um tempo, s�� que ao mesmo tempo de vez com uma vis��o assim otimista para o direito. Assim, nos pr��ximos dos pr��ximos anos, social, vamos ter v��rias oportunidades. Sou otimista porque �� porque eu trabalho muito. Quem fica reclamando tempo tempo na vida �� porque n��o se dedica tanto quanto a gente que est�� pegando pesado. Isso �� que faz. A gente v�� que as oportunidades est��o surgindo, ent��o em portas abertas, mas que voc�� tem que ser perseverante, tem que acreditar que os resultados ser��o alcan��ados, mas nada t��o instant��neo como as mudan��as tecnol��gicas da Internet. Estou pensando no seguinte que eu tamb��m sou otimista. S�� que como �� que vai ser otimista com esse tanto de Faculdade de Direito no pa��s com essa concorr��ncia gigante e tamb��m ao mesmo tempo com pessoas falando que os advogados v��o ser substitu��dos por rob��s que se ver sobre essas coisas que �� comum, que as pessoas dizem Olha falando primeiro, n��mero de advogados que exista Faculdade de Direito. Eu estava um m��s atr��s que conversam no Conselho Federal da OAB em Bras��lia, com o subsecret��rio geral do Today Are Adiante. Indie. Pautou um assunto que era justamente esse mercado de advogados que podem inclusive se lan��ar ao mercado agora a vig��ncia da lei de prote����o de dados pessoais. Porque eu imagino que vai surgir um contencioso muito grande em rela����o a isso. Um t��quete premiado, porque houve desvio de finalidade dos dados pessoais de uma pessoa, vai ser algo muito mais potencializado o que aconteceu quando foi em mil novecentos e noventa com a entrada em vigor do colo do consumidor. Ent��o, isso vai ter um impacto muito grande e ele me disse naquela oportunidade. Alexandre Hoje a OAB se conhece, ajudou, eu ajudei a montar o Cadastro Nacional de Advogados. Na ��poca, coordenava uma grande equipe l�� no departamento de TI. E hoje t��m um milh��o, duzentos mil advogados. S�� que e olha esse n��mero se n��o �� impressionante. Impressionante a taxa de crescimento, que na faixa de vinte e cinco a trinta por cento por ano. Ent��o est��o para um neg��cio desse. N��o existem uma classe profissional do mundo. S�� fica uma d��vida meio com ��ndia mais. Tenho minhas d��vidas que tem o n��mero de advogados, como tem se ter ideia, o mercado de certificado digital, hoje emitidos s�� pela OAB j�� est�� chegando a setecentos e cinquenta mil advogados, o juiz o Brasil, por exemplo, hoje j�� deve ter cerca de novecentos mil advogados, sete por cento. E parece da advocacia brasileira, hoje p��blico pagante do jogo Brasil e ent��o essas quest��es. Mas em compensa����o, segundo ��rea grande existem quatrocentos e cinquenta mil advogados que est��o ganhando para pagar as contas. Ent��o por que isso acontece? Porque as pessoas n��o podem ficar na vala comum, entendeu? Elas t��m buscar alguma solu����o diferenciada. N��s temos a�� a diga economia e n��s temos a�� uma s��rie de alternativas de mercado que, n��o fazendo repensar completamente o exerc��cio da advocacia. A forma de ganhar dinheiro advocacia, nos pr��ximos anos �� mudar. Como j�� mudou mais ainda. Radicalmente isso que as pessoas t��m que saber. Tem que entender para que caminho de modelos de neg��cio, que o caminho que isso vai gerar. Ent��o, a minha preocupa����o de que as pessoas n��o caiu nessa vala comum em rela����o ao segundo ponto. A sua pergunta sobre se m��quina vai substituir advogado? Eu n��o concordo com essa forma, de jeito nenhum eu estudando tem um assunto de intelig��ncia artificial. Inclusive, j�� que a arte Vital coloca muito bem minha posi����o a respeito disso. Eu acho que os sistemas de intelig��ncia artificial tem talentos que os humanos n��o t��m. Os humanos t��m talentos que os sistemas de intelig��ncia oficial n��o tem. Ent��o quem fala que n��o vai matar o outro eu n��o concordo e acho que pagaria para ver se um dia essa situa����o vai se reverter. Eu acho que o melhor dos mundos que a gente vai alcan��ar daqui para frente �� a somat��ria desses dois talentos em busca de algum resultado, mas n��o achando que uma coisa n��o substitui a outra, ningu��m vai achar que vai dar a senten��a. Automaticamente j�� pode usar a intelig��ncia artificial, por exemplo, com o suporte de apoio decis��rio do magistrado, com base na predi����o dos votos da tend��ncia com que ele j�� jogou, o que agora efetivamente isso nunca vai ser um ato isolado, automatizado, sem interven����o humana para poder fazer a valida����o final, Ent��o, h�� muito ru��do. H�� muito bases em rela����o a essas a����es, que eu acho que a gente tem que botar um pouco de term��metro a realidade de um ano. �� bom que estejam falando sobre isso. De outro, fala se muito sobre tecnologia, mais pr��tica, se pouco nossa. Se for pegar, Ent��o, em rela����o a esses assuntos e a intelig��ncia artificial, eu acho que tem muita fuma��a para pouco fogo. At�� porque n��o existe tecnologia suficiente para fazer tudo o que as pessoas dizem. N��o tem a felicidade a um ��ndice advogado, talvez de uma empresa que tem uma banda cuidado jur��dico, do Brasil, que sabe o mundo que �� o jogo Brasil e conven����o no campo pessoal de l��. Um dia depois de mais seis n��o investem em intelig��ncia artificial. A resposta foi simples aqui o pessoal acha que a intelig��ncia artificial �� editor, de ter. Se chega jogo texto l�� e pronto computador vai ter um sistema cognitivo. Vai, aprendi tal. Est�� tudo resolvido n��o s�� no Brasil, mas outros amigos que tamb��m tiveram oportunidade de fazer sistemas de intelig��ncia artificial no Supremo. Ent��o, revelaram que n��s temos hoje o dado no no sentido bruto. Mas �� necess��rio fazer diversas marca����es numa linguagem figurada. Eu diria para voc��s que n��s temos hoje o pr�� sal. Entendeu? Ent��o, o dado �� o pr�� sal. E n��s precisamos fazer o tratamento das diversas camadas, marca����es e tal para poder virar do dado a informa����o da somat��ria da informa����o, conhecimento e da somat��ria do conhecimento. A sabedoria, ent��o do pr�� sal, at�� virar petr��leo, tem um longo caminho que as pessoas est��o abreviando achando que �� interessante. O Brasil tem o maior de gdapa juridico do mundo. N��o existe nenhum pa��s do mundo que os noventa e tr��s tribunais produzem todas as suas decis��es j�� um tempo na pele, formato digital, por uma mat��ria prima. Agora a intelig��ncia artificial vai chegar em dois tempos, vai resolver tudo. Cad�� o estado? Porque o dado n��o �� estruturado de forma adequada e se tiver isso, leva tempo e exige bra��o, por isso que os resultados ainda n��o apareceram. Mas v��o parecer que voc�� teve uma parte grande para fazer com que os tribunais tivessem tudo isso, informa a entidade. O rapaz foi uma experi��ncia profissional fant��stica, porque eu tive desde a primeira reuni��o de discuss��o representando a OAB federal na na lei do processo eletr��nico do projeto de lei. Ainda �� interessante falar um aspecto hist��rico aqui que talvez poucas pessoas saibam que, inclusive est�� muito bem narrado num outro livro, que eu fiz em dois mil e dez, que �� coment��rios al��m do processo eletr��nico. Quando eu conto toda a hist��ria, como surgiu o processo judicial eletr��nico? Eu tenho um relato ali de forma pormenorizada, que eu participei de tudo como negociador do da, definindo as prerrogativas do advogado em diversas rodadas de negocia����o e tamb��m depois ocupando uma cadeira no CNJ perante a Comiss��o de Regulamenta����o do Processo de Sa��de, o processo judicial eletr��nico nasceu apenas com poucas funcionalidades. A primeira vers��o era protocolo, distribui����o e publica����o de atos. Apenas isso a�� na uma vers��o seguinte, resolveu, n��o v��o encarar que v��o fazer um projeto diferente. V��o fazer um sistema que permita fazer automa����o de todas as etapas processuais. A distribui����o at�� o tr��nsito em julgado. E a��, brasileira �� usado em termos de tecnologia da informa����o. Sempre foi e lan��amos, depois de renda, uma s��rie de exemplos assim e a�� levantamos voo numa nave que se d�� que sem nenhuma refer��ncia a ela, que eu viajei na ��poca pela OAB Federal, era o presidente da Comiss��o de Direito Tecnologia durante dez anos. Ent��o, tive a oportunidade, a Espanha, a autoria ao Canad��. Tudo fazendo pesquisa para um livro, inclusive, teve que Portugal e vi que nenhum desses tinham um projeto t��o usado quando o Brasil de querer enfrentar uma situa����o sem refer��ncia internacional, de criar um sistema que pudesse fazer com que as pr��ticas processuais por meio eletr��nico foi assim o novo padr��o. N��o pagamos um pre��o alto por isso, mas o resultado �� positivo, mas ainda tem muita coisa para mim. Eu estou muito cr��tico, em v��rios aspectos relacionados �� implanta����o do processo de sa��de, entrou no Brasil. Isso se deve muito ao fato de que o Judici��rio poderia dialogar muito melhor com todos os roedores do mercado. Mas ele n��o dialoga ainda o Judici��rio. Muitas vezes ele entendeu que houve uma mudan��a de a informatiza����o do Judici��rio para a informatiza����o da justi��a. Faz muita diferen��a antes essa informa����o de informatiza����o do Judici��rio, porque �� isso. O departamento tem preocupado em resolver os problemas do tribunal, usando a inform��tica. Depois da lei, a informatiza����o da Justi��a tem que informar as pr��ticas processuais n��o s�� do tribunal, mas o advogado do Minist��rio P��blico da Advocacia P��blica de certa. S�� que eles n��o estavam acostumados a ouvir as pessoas e, por esse motivo, sistemas n��o saiam ou ainda n��o est��o totalmente com interface adequada para os advogados, como que v��rios advogados reclamem do sistema. Raz��o s�� que assim, por outro lado, o papel assim de organiza����o dos dados. Mas n��o se fosse tudo f��sico ainda perdido, tanto de informa����o. Eu falo que o papel j�� fez o seu papel. Ent��o a simples fato. Assim, ainda que seja ruim, est�� pelo menos tudo finalizado, ela olha, n��s vivemos num pa��s e vinte e sete estados j�� rodei praticamente tudo. Some falta Amap�� e Tocantins, um grande a grande, sacada. O que realmente aconteceu? Que foi bacana demais? Foi um fato tem jogado essa sementinha a�� de implanta����o de processo judicial eletr��nico em todos os tribunais. Hoje, todos iguais s��o processo judicial eletr��nico, ent��o o Brasil n��o �� a Su����a entendeu. S��o vinte e sete pa��ses, dentre um pa��s s��, com realidades completamente diferentes. Posso dizer porque fiz interlocu����o e ainda faz com diretores de tem de todos os tribunais conhecendo, explode perto, participa de evento do ano com eles a gente acompanhar essa evolu����o do mercado. Eu sou sempre aquele advogado que chega no evento, poder criticar que sempre redu����o positiva construtiva, mas n��o pode dizer do outro lado do balc��o que est�� errado e eu gosto. E eu acho que essa hist��ria poderia ser escrita de outra forma. Para sintetizar a minha maior cr��tica em rela����o ao processo judicial eletr��nico, a Simples foi criado um sistema para poder fazer todo o tr��mite do processo digital, s�� que era muito dif��cil de Nice negociar com o juiz para poder dizer penhora. S�� a rotina de trabalho vai mudar. Eu agora n��s vamos criar um sistema que que vai fazer com que voc�� tem que mudar o seu Rita de edital para n��o causar esse arrepio que poderia, de repente, impactar o projeto. O foco era como enfrentar a secretaria, Ent��o pensamos em Os tribunais foram focados em todas as rotinas processuais ou porque a ministra ela ingresse na ��poca. Assim temos que acabar com a in��rcia do papel que o papel imp��e uma in��rcia, porque era que as rotinas burocr��ticas envolvidas. S�� que o processo de petr��leo s�� focou na secretaria em grande parte moral da hist��ria. Os processos tramitam mais r��pido a secretaria chegam mais r��pida conclus��o l�� ficam, Ent��o, doze anos depois que a lei entrou em vigor. O preju��zo trabalho, da mesma forma como trabalhavam antes, est��o estressados. N��o se criou uma solu����o de apoio, suporte desses ��rg��os, magistrados e, quem sabe, pode. Vim com a intelig��ncia artificial, Ent��o, essa situa����o de muito conte��do, pouco processamento, pouco suporte para poder fazer maior celeridade ainda n��o aconteceu e isso �� que causa um certo sabor porque foi decantado. Na ��poca que n��s, nos processos ainda mais r��pido, isso vai acontecer na semana para todo mundo. O processo n��o est�� andando mais r��pido. O processo est�� andando da mesma forma e cada vez mais o Judici��rio est�� perdendo espa��o nos meios alternativos de solu����o de conflitos, isso �� fato, ent��o, por esse motivo �� que horas consertam essa situa����o e volta a entrar numa rota de ter mais performance. Ou ent��o esses meios alternativos de solu����o, de detidos, v��o estar sempre mais espa��o, muito bacana, relata o seu hist��rico como entidade, disse l��, no in��cio muito bacana, em entender os bastidores, a um momento muito interessante que empolgaram muito. Aprendi muito sobre a minha vida, com direito e tal. gra��as a Deus, foram at�� na pris��o E assim continua sendo. Voc�� come��ou dizendo no in��cio do epis��dio que voc�� est�� no momento que est��o mais aprendendo da sua vida. Agora voc�� mencionou isto de novo? Quais s��o seus desafios atuais? Assim que est��? Por que voc�� l�� atualmente? Que se aprende hoje, que est�� buscando e para os pr��ximos anos assim, um momento, o que realmente est�� empolgando, mais, estudar a����o, sistema novo? Que a prote����o de dados pessoais est��o a tutela important��ssimo, que o cidad��o tem que ter um assunto pautado mundialmente hoje, um assunto em que n��s temos duas grandes for��as do mercado internacional no grupo Estado Global, de um lado, as grandes empresas que dominam parte da arquitetura da internet. Do outro lado, os governos, cada vez mais enfraquecidos de acesso �� jurisdi����o, ou seja, dar for��a suas leis alternativa por essa experi��ncia de participar da audi��ncia p��blica do do WhatsApp representando a OAB Federal, onde os fundadores do WhatsApp gera presidente. Mike, �� claro para mim que as grandes empresas querem dizer para os governos dos estados a seguinte horas conta que aplicar suas leis, beleza aplica, mas no mundo presencial, porque esses espa��os de tal aqui eu aqui eu tenho um c��digo, ent��o fa��o as leis da minha maneira. Eu estava fazendo um curso de internet em dois mil e um. Tive como professor os caras que eu acho fant��stico. Gl��ria celeste chegou inclusive a ser candidata a presidente dos Estados Unidos nas ��ltimas elei����es, mas morreu nas primeiras prim��rias do Partido Democrata que atrav��s do seu livro cl��ssico famoso chamado Deloitte Sabeis Pa��s. Ele tem uma frase que �� matadora que ele fala assim decoud, ou seja, quem tem um c��digo na m��o tem mais efici��ncia de fazer mudan��a do que quem tem a lei a seu favor. Ent��o, por esse motivo, n��s temos que mudar esse equil��brio e for��a. Agora estou vendo uma mudan��a em rela����o a isso. Tomara que isso aconte��a de fato, impulsionada por situa����es que a gente presenciou recentemente, que s��o ou de Assange, �� mais uma cama de anal��tica ficar aqui para quem n��o assistiu ainda para esse os fant��sticos privacidade, saqueadas na ordem e ela mandaria todos eles relacionados ao assunto de dados, vazamento de dados, etc. Ent��o esse �� o momento que mais empolga a gente a estudar no aspecto mundial que os problemas s��o os mesmos como um dos pa��ses. Esse tema que por muito tempo n��o ficou sequer sendo objeto de questionamento na nossa legisla����o, n��o chegam atrasados todos os nossos vizinhos aqui do consumo, �� exce����o do Paraguai, j�� tinha uma legisla����o sobre prote����o de dados pessoais. Tudo bem que, se pegar a legisla����o, a primeira diretiva de noventa e cinco na Uni��o Europeia, s�� trocar Madri por Buenos Aires tiveram facilidade, tem a l��ngua a seu favor. Mas isso mostra como �� que a gente, Como �� que isso essa represa, essa represa de assunto em rela����o a esse assunto? Em rela����o a esse tema? E como o tempo para poder finalizar? O europeu j�� tem uma cultura jur��dica para dar com a prote����o de dados? Desde noventa e cinco s��o quinze anos e a lei agora foi sancionada em em agosto de dois mil dezoito. N��s temos dois anos em dois anos interno, tira o atraso em rela����es, conhecimento, essa maturidade para dar como prote����o de dados. Ent��o essas mudan��as est��o acontecendo na for��as, mas a gente tem que ver com calma. Eu vejo tantas pessoas assim j�� se colocando como doutores mentem e, por esse motivo a gente tem que ter mais paci��ncia, porque essa �� uma grande oportunidade para os pr��ximos anos da Advocacia de Lad��rio de edital Tive o prazer de receber que a Viviane tamb��m, que falou sobre a Wikipedia no trabalho dela fant��stico, ela falou palavras parecidas com o que voc�� est�� falando E se voc�� ainda n��o executou epis��dio, recomendo fortemente para discutir o epis��dio vinte e um aqui logo de La Hoya. Ela disse muito isso. N��o tem muita gente querendo e prestar consultoria de energia, pede m��e, poucas pessoas sabendo. E �� uma responsabilidade muito grande e n��o de um habeas entendeu, Querem ser, mas n��o s��o, Ent��o tenham humildade eu sou humilde, eu sou humilde porque eu quero aprender todo o dia e eu acho que falta muito disso. N��o sei se �� uma caracter��stica da gera����o ou que seja, mas j�� passei por diversas situa����es. Eu fico pensando em curso, j�� vendem tr��s d��cadas de dedica����o �� ��rea que eu tenho um sujeito que est�� aqui em volta menos de um ano de formada, se achando, entendeu, entregam, bem, trabalham bem, entendeu, n��o desmerece n��o, mas mais humildade, porque n��s temos muito a aprender. Defende tamb��m a nossa gera����o a defenda defende a sua causa, conforme eu concordo, cinco brincando, mas algum c��digo, sim por cento com o que se est�� trazendo? Eu acho que ao mesmo tempo, como est�� no mar que poucas pessoas e analisaram as vezes quem tem um ano de experi��ncia perto de para as pessoas que n��o tem ningu��m? Essas pessoas est��o se considerando experiente mais. Veja bem cuidado e ��tica na forma de abordar isso. N��o sei. Eu acho que n��s temos sempre que lembrar que a profiss��o de advogado �� valorizada pelo tempo de experi��ncia que tem. Isso n��o muda o tempo de voo. Sola de sapato gasta ao longo do tempo. Entendeu isso a�� que realmente mostra a senioridade? N��o �� substitu��do assim, porque �� um ramo novo. Ningu��m estudou, ningu��m viu isso na faculdade, ent��o j�� estou lendo tr��s livre, fez um curso de nossa m��e, de S��o Paulo. No or��amento para a�� n��o �� assim, mas, muitas vezes acredita nisso Deus E pior agora para outro, apareceram quinhentos mil de pior. Um brinquedinho de pergunto algum efetivamente teve experi��ncia pr��tica de atuar para se candidata? Assim tem. Hora, rodada n��o, mas s��o fizeram certifica����o aqui acol��. Tudo bem. Ent��o, atr��s de uma oportunidade de neg��cio justo, mas a situa����o �� muito mais din��mica. �� muito mais desafiadora do que parece. Se deu porque a falta experi��ncia para acho que c�� entre n��s essa experi��ncia efetiva vai rodar apenas depois de agosto de dois mil e vinte. N��s estamos tendo v��rios problemas. Temos v��rios ��rg��os controladores que j�� est��o gerando multas etc. Mas n��s n��o temos tempo de rodagem ainda, pode-se dizer que se perde em rela����o a essas a����es, esse �� o ponto que eu quero deixar como reflex��o muito legal. Alexandre, Gostei bastante aqui da de ter tido a oportunidade de conversar com voc��. Queria saber se voc�� tem algum conselho final para os colegas, advogados e ��s vezes informado, e tamb��m um advogado com escrit��rio pr��prio vezes at�� o escrit��rio consolidado, mas atua em uma outra ��rea, ainda n��o est�� no segmento digital de que se tem de indicar para essas pessoas tamb��m era de que �� muito simples paci��ncia, nada acontece com a velocidade que ol�� na internet, tem que se dedicar a estudar todo dia e, sobretudo, se voc�� puder mudar, n��o s�� o que est�� acontecendo no Brasil, mas as tend��ncias que vem de fora, que meses depois Chegam aqui saber lidar a informa����o desapegado Papel �� um diferencial porque na minha ��rea se eu n��o trabalhasse sem papel todas as atividades, escrit��rio como j�� fa��a mais de dez anos, eu n��o tinha o tempo de rea����o r��pido de decis��o, que a caracter��stica, nossa ��rea, ent��o �� uma ��rea, suspeita falar porque estou empolgado mesmo, gosto de que eu escolhi e me sinto cada dia que passa mais realizado no momento que n��s estamos passando. Mas �� isso Eu acho que o estudo constante manter a atualiza����o, n��o s�� o direito, mas com todas as tend��ncias tecnol��gicas est��o surgindo que v��o impactar o direito e acidente de carro, dedicar, porque as coisas v��o acontecer. Mas com a paci��ncia nos esse n��s e sucesso r��pido pode subir r��pido desse r��pido. Eu acho que a grande �� muito mais dif��cil voc�� manter do que alcan��ar. Ent��o, por esse motivo aqui um corajoso todos os ouvintes do Porto, quer n��o �� a Tr��ia come��ar a se interessar mais Fran��a digital, mas observada. Essas dicas que eu acho que s��o fruto de uma experi��ncia de vida ao longo de trinta e quatro anos. Muito obrigado. Alexandre. Foi um prazer de ter recebido aqui. Disse l��, no in��cio que isso o epis��dio hist��rico. E eu n��o menti todos os ouvintes. A�� eu tenho certeza que valeu bastante a pena. O tempo que voc��s investiram aqui conosco agradece que ver�� novamente pela audi��ncia. Se voc��s gostaram do epis��dio, compartilhem tamb��m com outros colegas advogados que precisam de ter acesso a esse conte��do. Se n��o �� f��cil para a gente, produzia esses conte��dos como entrou. Sobre essa parte, estamos finalizando a grava����o. J�� estou preocupado com a edi����o que a gente vai ter que fazer com a transcri����o do epis��dio. Um trabalho que a gente gosta muito de fazer e se tiver agregando de alguma forma, voc�� fala com a gente nas redes sociais tamb��m. Fala que coincidisse com Alexandre, com certeza. Vou advogar em todos os seus canais digitais. V��o fazer mais for��a poder potencializar os ouvintes a�� do pode quest��o, acha trabalho seus mais uma vez brilhante que sigam nessa, est��o preenchendo uma lacuna de debate sobre temas super contextualizados. O que �� raro, a gente fonte de informa����o t��o qualificada com as pessoas que se tem tido a oportunidade de interagir aqui onde s��o amigos meus, muitas pessoas que eu sou f�� admiro mesmo e isso n��o tinha essas ferramentas antes, ent��o sess��o trazendo para a gente conte��do de qualidade e

Alexandre:   0:00
A quest��o de manifesta����o de vontade com contratos s��o mais, mas d�� direito consumidor. Ent��o saiba tudo sobre rela����o de consumo online. N��o se v�� que �� uma extens��o da ��rea tradicional. Eu n��o me preocupo muito. Sabe ci��ncia que �� um, �� um subproduto da ��rea tradicional ou se �� um ramo. A parte no hiper com essas coisas que eu quero dizer para os ouvintes que est��o, nos escutamos, �� que voc�� n��o pode achar que s�� o seu brilhante conhecimento tecnol��gico resolver�� os problemas. Se voc�� n��o entender de processo civil e tendo que defender uma a����o relacionado a licenciamento de software Amanda Ent��o engana se quem fica meio que inebriado s�� com essas quest��es tecnol��gicas �� um diferencial. Mas �� um diferencial que s�� se revelar�� quando for contextualizado com o ramo tradicional direito. Isso que faz a diferen��a e qual a velocidade com quais s��o as tend��ncias assim, nesse mercado para o futuro. Assim pegando toda evolu����o, diz que voc�� come��ou a atuar e a trinta e quatro anos, at�� hoje tem de diferente o que voc�� acha partida que a cinco do que h�� dez anos? Muitas coisas mudaram. Como eu disse durante muito tempo a gente praticamente dedicava quest��es de licenciamento de software, come��ando por a��. O uso n��o autorizado de imagem e som era muito chato, at�� porque era muito restrito. Eu achava que tem tamb��m na faculdade, foi oitenta e dois, tempo, trinta e oito anos. Eu achava que um dia um de todos os ramos do direito que se entrela��a com essa ��rea j�� vinha, inclusive as acusa����es de prote����o de dados acontecer l�� atr��s. Mas o Brasil foi muito lento nessa mudan��a. Voc�� ter ideia, n��s somos senten��a. Tem ser pa��ses do mundo que est��o a lei de prote����o de dados pessoais, sendo que hoje n��s j�� temos cento e vinte pa��ses. Ent��o assim a mudan��a come��ou a ocorrer, sobretudo desse divisor de ��guas que eu falei E a�� a situa����o na medida que o p��blico da internet vai aumentando, os problemas v��o aumentando e as ofertas de servi��os para os advogados tamb��m. Ent��o, veja, n��s vimos numa crescente, mas prescindindo de alguns marcos legais, esses marcos aconteceram. A gente sabe lidando diariamente com v��rios problemas jur��dicos que a grande lacuna que existia at�� ent��o era ter uma lei de prote����o de dados pessoais. O dado no Brasil n��o tinha nenhuma prote����o, embora algumas leis poderiam ser aplicadas e s��o, N��s estamos s�� dependendo dessa lei de prote����o de dados pessoais para poder resolver problemas. Existe a Constitui����o quando se viu, quando o consumidor, al��m da crian��a e do adolescente, que isso tudo �� aplicado. Por��m n��s estamos passando por impulsionamento que jamais que jamais existiu E a tend��ncia futura, no meu ponto de vista, �� enxergar o mundo como sendo um local onde o processamento de dados s�� vai crescer. O tratamento de dados s�� vai crescer porque n��s estamos passando por diversos exemplos de corrup����o. E a�� voc�� tem algumas for��as tecnol��gicas que est��o vindo por a��. N��s estamos hoje j�� prestando consultoria para algumas empresas estrangeiras de ponta, l��der de mercado em cinco, que eu acho que vai ser uma revolu����o absurda em termos de uso da internet, pela velocidade, pelo fato de a gente ter uma lat��ncia m��nima em termos de acesso de dados e, por outro lado, isso tamb��m vai impulsionar o que a internet das coisas al��m da intelig��ncia artificial. Ent��o pega esses tr��s itens para poder dizer como �� que vai potencializar, gra��as a Deus, a demanda de servi��os nessa ��rea de direito digital, As pessoas realmente investir nisso, ter talento para poder criar talento para poder lidar nessa ��rea. Ent��o as oportunidades s��o boas. Agora eu quero deixar aqui bem registrado. Uma coisa eu sou da ��poca em que digitava, j��ris, procedimento de jurisprud��ncia no computador, o meu pai chegada �� tribuna e falar para o desembargador que j�� tinha julgado assim assado em determinado assunto e pulava da cadeira Sou da ��poca que um desembargador ligava a gente um banco Primeira pelo escrit��rio do Brasil, que tem um banco de dados, jurisprud��ncia ligar para mim para o ch��o, tirando seu computador. A�� todos os meus votos de responsabilidade civil, ela imprimia neurol��gica setecentos e vinte matricial. Entregava ele pelo poder estudar, porque o pr��prio tribunal n��o tinha isso. Ent��o, a lei para caramba, em termos de pesquisa, de estudo, tudo mais. Hoje eu vejo o pessoal em regra, est�� ��bvio que tem exce����es numa zona de conforto absurda, entendeu? Hoje existe uma certa o travamento assim de achar o seguinte para a�� meu vade mexer com minha forma de pesquisar a ferramenta de busca do google ponto Entendeu pelo amor de Deus? Deu assim. Isso a�� jamais pode ser o limite de uma pesquisa, de um estudo por um advogado que queira realmente desponta na sua ��rea. Eu continuo comprando o livro todo dia. Gra��as a Deus, a gente tem uma biblioteca do escrit��rio por volta de mil livros na ��rea de edital brasileira estrangeiro e tentam motivar a minha aqui para poder tamb��m unifica����o na base operacional, para poder aprender. Ent��o essa sede de saber ela sempre que acompanhar um jovem advogado que era se interessar a pol��cia porque eu acho que tem muita coisa boa para mim por a��. Mas o sucesso tem que ver com muita paci��ncia. Existe uma falsa a compreens��o de que essas coisas, todas r��pidas, que acontece na internet, tamb��m v��o acontecer r��pido, sucesso, r��pido, ganho, dinheiro em rela����o �� carreira de advogado n��o caiam nessa armadilha. Tudo �� constru��do, tijolo por tijolo. Passo a passo �� um exerc��cio da paci��ncia. Quem n��o for paciente, n��o pode ser revogada. Ent��o pensar que as coisas v��o acontecer para o bem. Mas como, com muita perseveran��a com muita dedica����o, porque sempre o papel de advogado n��o acha que apertar um bot��o, colocar uma informa����o sobre o seu perfil na internet est�� tudo resolvido. Ent��o, at�� porque o curr��culo das pessoas na internet hoje n��o s��o formados apenas por aquilo que elas falam de si mesmo, mas, sobretudo, a respeito dos coment��rios de terceiro, que fala a respeito dela e, muitas vezes, a�� a internet guarda surpresas. Eu acho que mais do que falar hoje tamb��m �� muito que se faz �� que est�� tudo exposto, uma quest��o que a gente defende muito aqui na Flona. Aqui, na fila noite gosta muito de produzir conte��do at�� por isso que ele se pode, que a gente tem um blog E a gente sabe que eu valorizo muito e sabe, Eu acho que eu tamb��m me considero um conte��do disso, O seu trabalho que d�� para voc�� ter ideia eu fui o cara que em dois mil e quatro, criou o primeiro bloco jur��dico no Brasil chamado Direito ��s novas tecnologias. Ent��o s��o essencialmente um gerador de conte��do de v��rias formas e valoriza muito como voc��s fazem esse trabalho, porque n��o �� f��cil nem um pouco f��cil. Obrigado pelas palavras e voc�� �� um dos blocos que eu pessoalmente, sempre acompanhei E o que eu vi o que realmente criam blogs, cria um ponto que a gente cria as iniciativas que a gente faz aqui. N��o falou, por exemplo, os resultados. Eles s��o de longo prazo e eu vejo muita gente querendo capital mais clientes, sempre no curto prazo. Ent��o vou investir um milh��o de reais. Ele mim an��ncio no Instagram no Facebook fazer completa tudo assim, autom��tico, Tudo assim apertou. O bot��o resolve de certa, mas o fator humano �� fundamental. �� dif��cil a gente conseguir assim. �� importante a gente pensar golpe em solu����es curto, prazo e tem escrit��rios que v��o conseguir fazer com que isso, de certo tamb��m. Mas �� muito importante a gente pensar no longo prazo, no longo prazo e pelo que o escuto de voc��, Alecsandro vez que voc�� tem uma vis��o ao mesmo tempo pragm��tica desse lado, de que vamos com calma, as coisas demoram demandam um tempo, s�� que ao mesmo tempo de vez com uma vis��o assim otimista para o direito. Assim, nos pr��ximos dos pr��ximos anos, social, vamos ter v��rias oportunidades. Sou otimista porque �� porque eu trabalho muito. Quem fica reclamando tempo tempo na vida �� porque n��o se dedica tanto quanto a gente que est�� pegando pesado. Isso �� que faz. A gente v�� que as oportunidades est��o surgindo, ent��o em portas abertas, mas que voc�� tem que ser perseverante, tem que acreditar que os resultados ser��o alcan��ados, mas nada t��o instant��neo como as mudan��as tecnol��gicas da Internet. Estou pensando no seguinte que eu tamb��m sou otimista. S�� que como �� que vai ser otimista com esse tanto de Faculdade de Direito no pa��s com essa concorr��ncia gigante e tamb��m ao mesmo tempo com pessoas falando que os advogados v��o ser substitu��dos por rob��s que se ver sobre essas coisas que �� comum, que as pessoas dizem Olha falando primeiro, n��mero de advogados que exista Faculdade de Direito. Eu estava um m��s atr��s que conversam no Conselho Federal da OAB em Bras��lia, com o subsecret��rio geral do Today Are Adiante. Indie. Pautou um assunto que era justamente esse mercado de advogados que podem inclusive se lan��ar ao mercado agora a vig��ncia da lei de prote����o de dados pessoais. Porque eu imagino que vai surgir um contencioso muito grande em rela����o a isso. Um t��quete premiado, porque houve desvio de finalidade dos dados pessoais de uma pessoa, vai ser algo muito mais potencializado o que aconteceu quando foi em mil novecentos e noventa com a entrada em vigor do colo do consumidor. Ent��o, isso vai ter um impacto muito grande e ele me disse naquela oportunidade. Alexandre Hoje a OAB se conhece, ajudou, eu ajudei a montar o Cadastro Nacional de Advogados. Na ��poca, coordenava uma grande equipe l�� no departamento de TI. E hoje t��m um milh��o, duzentos mil advogados. S�� que e olha esse n��mero se n��o �� impressionante. Impressionante a taxa de crescimento, que na faixa de vinte e cinco a trinta por cento por ano. Ent��o est��o para um neg��cio desse. N��o existem uma classe profissional do mundo. S�� fica uma d��vida meio com ��ndia mais. Tenho minhas d��vidas que tem o n��mero de advogados, como tem se ter ideia, o mercado de certificado digital, hoje emitidos s�� pela OAB j�� est�� chegando a setecentos e cinquenta mil advogados, o juiz o Brasil, por exemplo, hoje j�� deve ter cerca de novecentos mil advogados, sete por cento. E parece da advocacia brasileira, hoje p��blico pagante do jogo Brasil e ent��o essas quest��es. Mas em compensa����o, segundo ��rea grande existem quatrocentos e cinquenta mil advogados que est��o ganhando para pagar as contas. Ent��o por que isso acontece? Porque as pessoas n��o podem ficar na vala comum, entendeu? Elas t��m buscar alguma solu����o diferenciada. N��s temos a�� a diga economia e n��s temos a�� uma s��rie de alternativas de mercado que, n��o fazendo repensar completamente o exerc��cio da advocacia. A forma de ganhar dinheiro advocacia, nos pr��ximos anos �� mudar. Como j�� mudou mais ainda. Radicalmente isso que as pessoas t��m que saber. Tem que entender para que caminho de modelos de neg��cio, que o caminho que isso vai gerar. Ent��o, a minha preocupa����o de que as pessoas n��o caiu nessa vala comum em rela����o ao segundo ponto. A sua pergunta sobre se m��quina vai substituir advogado? Eu n��o concordo com essa forma, de jeito nenhum eu estudando tem um assunto de intelig��ncia artificial. Inclusive, j�� que a arte Vital coloca muito bem minha posi����o a respeito disso. Eu acho que os sistemas de intelig��ncia artificial tem talentos que os humanos n��o t��m. Os humanos t��m talentos que os sistemas de intelig��ncia oficial n��o tem. Ent��o quem fala que n��o vai matar o outro eu n��o concordo e acho que pagaria para ver se um dia essa situa����o vai se reverter. Eu acho que o melhor dos mundos que a gente vai alcan��ar daqui para frente �� a somat��ria desses dois talentos em busca de algum resultado, mas n��o achando que uma coisa n��o substitui a outra, ningu��m vai achar que vai dar a senten��a. Automaticamente j�� pode usar a intelig��ncia artificial, por exemplo, com o suporte de apoio decis��rio do magistrado, com base na predi����o dos votos da tend��ncia com que ele j�� jogou, o que agora efetivamente isso nunca vai ser um ato isolado, automatizado, sem interven����o humana para poder fazer a valida����o final, Ent��o, h�� muito ru��do. H�� muito bases em rela����o a essas a����es, que eu acho que a gente tem que botar um pouco de term��metro a realidade de um ano. �� bom que estejam falando sobre isso. De outro, fala se muito sobre tecnologia, mais pr��tica, se pouco nossa. Se for pegar, Ent��o, em rela����o a esses assuntos e a intelig��ncia artificial, eu acho que tem muita fuma��a para pouco fogo. At�� porque n��o existe tecnologia suficiente para fazer tudo o que as pessoas dizem. N��o tem a felicidade a um ��ndice advogado, talvez de uma empresa que tem uma banda cuidado jur��dico, do Brasil, que sabe o mundo que �� o jogo Brasil e conven����o no campo pessoal de l��. Um dia depois de mais seis n��o investem em intelig��ncia artificial. A resposta foi simples aqui o pessoal acha que a intelig��ncia artificial �� editor, de ter. Se chega jogo texto l�� e pronto computador vai ter um sistema cognitivo. Vai, aprendi tal. Est�� tudo resolvido n��o s�� no Brasil, mas outros amigos que tamb��m tiveram oportunidade de fazer sistemas de intelig��ncia artificial no Supremo. Ent��o, revelaram que n��s temos hoje o dado no no sentido bruto. Mas �� necess��rio fazer diversas marca����es numa linguagem figurada. Eu diria para voc��s que n��s temos hoje o pr�� sal. Entendeu? Ent��o, o dado �� o pr�� sal. E n��s precisamos fazer o tratamento das diversas camadas, marca����es e tal para poder virar do dado a informa����o da somat��ria da informa����o, conhecimento e da somat��ria do conhecimento. A sabedoria, ent��o do pr�� sal, at�� virar petr��leo, tem um longo caminho que as pessoas est��o abreviando achando que �� interessante. O Brasil tem o maior de gdapa juridico do mundo. N��o existe nenhum pa��s do mundo que os noventa e tr��s tribunais produzem todas as suas decis��es j�� um tempo na pele, formato digital, por uma mat��ria prima. Agora a intelig��ncia artificial vai chegar em dois tempos, vai resolver tudo. Cad�� o estado? Porque o dado n��o �� estruturado de forma adequada e se tiver isso, leva tempo e exige bra��o, por isso que os resultados ainda n��o apareceram. Mas v��o parecer que voc�� teve uma parte grande para fazer com que os tribunais tivessem tudo isso, informa a entidade. O rapaz foi uma experi��ncia profissional fant��stica, porque eu tive desde a primeira reuni��o de discuss��o representando a OAB federal na na lei do processo eletr��nico do projeto de lei. Ainda �� interessante falar um aspecto hist��rico aqui que talvez poucas pessoas saibam que, inclusive est�� muito bem narrado num outro livro, que eu fiz em dois mil e dez, que �� coment��rios al��m do processo eletr��nico. Quando eu conto toda a hist��ria, como surgiu o processo judicial eletr��nico? Eu tenho um relato ali de forma pormenorizada, que eu participei de tudo como negociador do da, definindo as prerrogativas do advogado em diversas rodadas de negocia����o e tamb��m depois ocupando uma cadeira no CNJ perante a Comiss��o de Regulamenta����o do Processo de Sa��de, o processo judicial eletr��nico nasceu apenas com poucas funcionalidades. A primeira vers��o era protocolo, distribui����o e publica����o de atos. Apenas isso a�� na uma vers��o seguinte, resolveu, n��o v��o encarar que v��o fazer um projeto diferente. V��o fazer um sistema que permita fazer automa����o de todas as etapas processuais. A distribui����o at�� o tr��nsito em julgado. E a��, brasileira �� usado em termos de tecnologia da informa����o. Sempre foi e lan��amos, depois de renda, uma s��rie de exemplos assim e a�� levantamos voo numa nave que se d�� que sem nenhuma refer��ncia a ela, que eu viajei na ��poca pela OAB Federal, era o presidente da Comiss��o de Direito Tecnologia durante dez anos. Ent��o, tive a oportunidade, a Espanha, a autoria ao Canad��. Tudo fazendo pesquisa para um livro, inclusive, teve que Portugal e vi que nenhum desses tinham um projeto t��o usado quando o Brasil de querer enfrentar uma situa����o sem refer��ncia internacional, de criar um sistema que pudesse fazer com que as pr��ticas processuais por meio eletr��nico foi assim o novo padr��o. N��o pagamos um pre��o alto por isso, mas o resultado �� positivo, mas ainda tem muita coisa para mim. Eu estou muito cr��tico, em v��rios aspectos relacionados �� implanta����o do processo de sa��de, entrou no Brasil. Isso se deve muito ao fato de que o Judici��rio poderia dialogar muito melhor com todos os roedores do mercado. Mas ele n��o dialoga ainda o Judici��rio. Muitas vezes ele entendeu que houve uma mudan��a de a informatiza����o do Judici��rio para a informatiza����o da justi��a. Faz muita diferen��a antes essa informa����o de informatiza����o do Judici��rio, porque �� isso. O departamento tem preocupado em resolver os problemas do tribunal, usando a inform��tica. Depois da lei, a informatiza����o da Justi��a tem que informar as pr��ticas processuais n��o s�� do tribunal, mas o advogado do Minist��rio P��blico da Advocacia P��blica de certa. S�� que eles n��o estavam acostumados a ouvir as pessoas e, por esse motivo, sistemas n��o saiam ou ainda n��o est��o totalmente com interface adequada para os advogados, como que v��rios advogados reclamem do sistema. Raz��o s�� que assim, por outro lado, o papel assim de organiza����o dos dados. Mas n��o se fosse tudo f��sico ainda perdido, tanto de informa����o. Eu falo que o papel j�� fez o seu papel. Ent��o a simples fato. Assim, ainda que seja ruim, est�� pelo menos tudo finalizado, ela olha, n��s vivemos num pa��s e vinte e sete estados j�� rodei praticamente tudo. Some falta Amap�� e Tocantins, um grande a grande, sacada. O que realmente aconteceu? Que foi bacana demais? Foi um fato tem jogado essa sementinha a�� de implanta����o de processo judicial eletr��nico em todos os tribunais. Hoje, todos iguais s��o processo judicial eletr��nico, ent��o o Brasil n��o �� a Su����a entendeu. S��o vinte e sete pa��ses, dentre um pa��s s��, com realidades completamente diferentes. Posso dizer porque fiz interlocu����o e ainda faz com diretores de tem de todos os tribunais conhecendo, explode perto, participa de evento do ano com eles a gente acompanhar essa evolu����o do mercado. Eu sou sempre aquele advogado que chega no evento, poder criticar que sempre redu����o positiva construtiva, mas n��o pode dizer do outro lado do balc��o que est�� errado e eu gosto. E eu acho que essa hist��ria poderia ser escrita de outra forma. Para sintetizar a minha maior cr��tica em rela����o ao processo judicial eletr��nico, a Simples foi criado um sistema para poder fazer todo o tr��mite do processo digital, s�� que era muito dif��cil de Nice negociar com o juiz para poder dizer penhora. S�� a rotina de trabalho vai mudar. Eu agora n��s vamos criar um sistema que que vai fazer com que voc�� tem que mudar o seu Rita de edital para n��o causar esse arrepio que poderia, de repente, impactar o projeto. O foco era como enfrentar a secretaria, Ent��o pensamos em Os tribunais foram focados em todas as rotinas processuais ou porque a ministra ela ingresse na ��poca. Assim temos que acabar com a in��rcia do papel que o papel imp��e uma in��rcia, porque era que as rotinas burocr��ticas envolvidas. S�� que o processo de petr��leo s�� focou na secretaria em grande parte moral da hist��ria. Os processos tramitam mais r��pido a secretaria chegam mais r��pida conclus��o l�� ficam, Ent��o, doze anos depois que a lei entrou em vigor. O preju��zo trabalho, da mesma forma como trabalhavam antes, est��o estressados. N��o se criou uma solu����o de apoio, suporte desses ��rg��os, magistrados e, quem sabe, pode. Vim com a intelig��ncia artificial, Ent��o, essa situa����o de muito conte��do, pouco processamento, pouco suporte para poder fazer maior celeridade ainda n��o aconteceu e isso �� que causa um certo sabor porque foi decantado. Na ��poca que n��s, nos processos ainda mais r��pido, isso vai acontecer na semana para todo mundo. O processo n��o est�� andando mais r��pido. O processo est�� andando da mesma forma e cada vez mais o Judici��rio est�� perdendo espa��o nos meios alternativos de solu����o de conflitos, isso �� fato, ent��o, por esse motivo �� que horas consertam essa situa����o e volta a entrar numa rota de ter mais performance. Ou ent��o esses meios alternativos de solu����o, de detidos, v��o estar sempre mais espa��o, muito bacana, relata o seu hist��rico como entidade, disse l��, no in��cio muito bacana, em entender os bastidores, a um momento muito interessante que empolgaram muito. Aprendi muito sobre a minha vida, com direito e tal. gra��as a Deus, foram at�� na pris��o E assim continua sendo. Voc�� come��ou dizendo no in��cio do epis��dio que voc�� est�� no momento que est��o mais aprendendo da sua vida. Agora voc�� mencionou isto de novo? Quais s��o seus desafios atuais? Assim que est��? Por que voc�� l�� atualmente? Que se aprende hoje, que est�� buscando e para os pr��ximos anos assim, um momento, o que realmente est�� empolgando, mais, estudar a����o, sistema novo? Que a prote����o de dados pessoais est��o a tutela important��ssimo, que o cidad��o tem que ter um assunto pautado mundialmente hoje, um assunto em que n��s temos duas grandes for��as do mercado internacional no grupo Estado Global, de um lado, as grandes empresas que dominam parte da arquitetura da internet. Do outro lado, os governos, cada vez mais enfraquecidos de acesso �� jurisdi����o, ou seja, dar for��a suas leis alternativa por essa experi��ncia de participar da audi��ncia p��blica do do WhatsApp representando a OAB Federal, onde os fundadores do WhatsApp gera presidente. Mike, �� claro para mim que as grandes empresas querem dizer para os governos dos estados a seguinte horas conta que aplicar suas leis, beleza aplica, mas no mundo presencial, porque esses espa��os de tal aqui eu aqui eu tenho um c��digo, ent��o fa��o as leis da minha maneira. Eu estava fazendo um curso de internet em dois mil e um. Tive como professor os caras que eu acho fant��stico. Gl��ria celeste chegou inclusive a ser candidata a presidente dos Estados Unidos nas ��ltimas elei����es, mas morreu nas primeiras prim��rias do Partido Democrata que atrav��s do seu livro cl��ssico famoso chamado Deloitte Sabeis Pa��s. Ele tem uma frase que �� matadora que ele fala assim decoud, ou seja, quem tem um c��digo na m��o tem mais efici��ncia de fazer mudan��a do que quem tem a lei a seu favor. Ent��o, por esse motivo, n��s temos que mudar esse equil��brio e for��a. Agora estou vendo uma mudan��a em rela����o a isso. Tomara que isso aconte��a de fato, impulsionada por situa����es que a gente presenciou recentemente, que s��o ou de Assange, �� mais uma cama de anal��tica ficar aqui para quem n��o assistiu ainda para esse os fant��sticos privacidade, saqueadas na ordem e ela mandaria todos eles relacionados ao assunto de dados, vazamento de dados, etc. Ent��o esse �� o momento que mais empolga a gente a estudar no aspecto mundial que os problemas s��o os mesmos como um dos pa��ses. Esse tema que por muito tempo n��o ficou sequer sendo objeto de questionamento na nossa legisla����o, n��o chegam atrasados todos os nossos vizinhos aqui do consumo, �� exce����o do Paraguai, j�� tinha uma legisla����o sobre prote����o de dados pessoais. Tudo bem que, se pegar a legisla����o, a primeira diretiva de noventa e cinco na Uni��o Europeia, s�� trocar Madri por Buenos Aires tiveram facilidade, tem a l��ngua a seu favor. Mas isso mostra como �� que a gente, Como �� que isso essa represa, essa represa de assunto em rela����o a esse assunto? Em rela����o a esse tema? E como o tempo para poder finalizar? O europeu j�� tem uma cultura jur��dica para dar com a prote����o de dados? Desde noventa e cinco s��o quinze anos e a lei agora foi sancionada em em agosto de dois mil dezoito. N��s temos dois anos em dois anos interno, tira o atraso em rela����es, conhecimento, essa maturidade para dar como prote����o de dados. Ent��o essas mudan��as est��o acontecendo na for��as, mas a gente tem que ver com calma. Eu vejo tantas pessoas assim j�� se colocando como doutores mentem e, por esse motivo a gente tem que ter mais paci��ncia, porque essa �� uma grande oportunidade para os pr��ximos anos da Advocacia de Lad��rio de edital Tive o prazer de receber que a Viviane tamb��m, que falou sobre a Wikipedia no trabalho dela fant��stico, ela falou palavras parecidas com o que voc�� est�� falando E se voc�� ainda n��o executou epis��dio, recomendo fortemente para discutir o epis��dio vinte e um aqui logo de La Hoya. Ela disse muito isso. N��o tem muita gente querendo e prestar consultoria de energia, pede m��e, poucas pessoas sabendo. E �� uma responsabilidade muito grande e n��o de um habeas entendeu, Querem ser, mas n��o s��o, Ent��o tenham humildade eu sou humilde, eu sou humilde porque eu quero aprender todo o dia e eu acho que falta muito disso. N��o sei se �� uma caracter��stica da gera����o ou que seja, mas j�� passei por diversas situa����es. Eu fico pensando em curso, j�� vendem tr��s d��cadas de dedica����o �� ��rea que eu tenho um sujeito que est�� aqui em volta menos de um ano de formada, se achando, entendeu, entregam, bem, trabalham bem, entendeu, n��o desmerece n��o, mas mais humildade, porque n��s temos muito a aprender. Defende tamb��m a nossa gera����o a defenda defende a sua causa, conforme eu concordo, cinco brincando, mas algum c��digo, sim por cento com o que se est�� trazendo? Eu acho que ao mesmo tempo, como est�� no mar que poucas pessoas e analisaram as vezes quem tem um ano de experi��ncia perto de para as pessoas que n��o tem ningu��m? Essas pessoas est��o se considerando experiente mais. Veja bem cuidado e ��tica na forma de abordar isso. N��o sei. Eu acho que n��s temos sempre que lembrar que a profiss��o de advogado �� valorizada pelo tempo de experi��ncia que tem. Isso n��o muda o tempo de voo. Sola de sapato gasta ao longo do tempo. Entendeu isso a�� que realmente mostra a senioridade? N��o �� substitu��do assim, porque �� um ramo novo. Ningu��m estudou, ningu��m viu isso na faculdade, ent��o j�� estou lendo tr��s livre, fez um curso de nossa m��e, de S��o Paulo. No or��amento para a�� n��o �� assim, mas, muitas vezes acredita nisso Deus E pior agora para outro, apareceram quinhentos mil de pior. Um brinquedinho de pergunto algum efetivamente teve experi��ncia pr��tica de atuar para se candidata? Assim tem. Hora, rodada n��o, mas s��o fizeram certifica����o aqui acol��. Tudo bem. Ent��o, atr��s de uma oportunidade de neg��cio justo, mas a situa����o �� muito mais din��mica. �� muito mais desafiadora do que parece. Se deu porque a falta experi��ncia para acho que c�� entre n��s essa experi��ncia efetiva vai rodar apenas depois de agosto de dois mil e vinte. N��s estamos tendo v��rios problemas. Temos v��rios ��rg��os controladores que j�� est��o gerando multas etc. Mas n��s n��o temos tempo de rodagem ainda, pode-se dizer que se perde em rela����o a essas a����es, esse �� o ponto que eu quero deixar como reflex��o muito legal. Alexandre, Gostei bastante aqui da de ter tido a oportunidade de conversar com voc��. Queria saber se voc�� tem algum conselho final para os colegas, advogados e ��s vezes informado, e tamb��m um advogado com escrit��rio pr��prio vezes at�� o escrit��rio consolidado, mas atua em uma outra ��rea, ainda n��o est�� no segmento digital de que se tem de indicar para essas pessoas tamb��m era de que �� muito simples paci��ncia, nada acontece com a velocidade que ol�� na internet, tem que se dedicar a estudar todo dia e, sobretudo, se voc�� puder mudar, n��o s�� o que est�� acontecendo no Brasil, mas as tend��ncias que vem de fora, que meses depois Chegam aqui saber lidar a informa����o desapegado Papel �� um diferencial porque na minha ��rea se eu n��o trabalhasse sem papel todas as atividades, escrit��rio como j�� fa��a mais de dez anos, eu n��o tinha o tempo de rea����o r��pido de decis��o, que a caracter��stica, nossa ��rea, ent��o �� uma ��rea, suspeita falar porque estou empolgado mesmo, gosto de que eu escolhi e me sinto cada dia que passa mais realizado no momento que n��s estamos passando. Mas �� isso Eu acho que o estudo constante manter a atualiza����o, n��o s�� o direito, mas com todas as tend��ncias tecnol��gicas est��o surgindo que v��o impactar o direito e acidente de carro, dedicar, porque as coisas v��o acontecer. Mas com a paci��ncia nos esse n��s e sucesso r��pido pode subir r��pido desse r��pido. Eu acho que a grande �� muito mais dif��cil voc�� manter do que alcan��ar. Ent��o, por esse motivo aqui um corajoso todos os ouvintes do Porto, quer n��o �� a Tr��ia come��ar a se interessar mais Fran��a digital, mas observada. Essas dicas que eu acho que s��o fruto de uma experi��ncia de vida ao longo de trinta e quatro anos. Muito obrigado. Alexandre. Foi um prazer de ter recebido aqui. Disse l��, no in��cio que isso o epis��dio hist��rico. E eu n��o menti todos os ouvintes. A�� eu tenho certeza que valeu bastante a pena. O tempo que voc��s investiram aqui conosco agradece que ver�� novamente pela audi��ncia. Se voc��s gostaram do epis��dio, compartilhem tamb��m com outros colegas advogados que precisam de ter acesso a esse conte��do. Se n��o �� f��cil para a gente, produzia esses conte��dos como entrou. Sobre essa parte, estamos finalizando a grava����o. J�� estou preocupado com a edi����o que a gente vai ter que fazer com a transcri����o do epis��dio. Um trabalho que a gente gosta muito de fazer e se tiver agregando de alguma forma, voc�� fala com a gente nas redes sociais tamb��m. Fala que coincidisse com Alexandre, com certeza. Vou advogar em todos os seus canais digitais. V��o fazer mais for��a poder potencializar os ouvintes a�� do pode quest��o, acha trabalho seus mais uma vez brilhante que sigam nessa, est��o preenchendo uma lacuna de debate sobre temas super contextualizados. O que �� raro, a gente fonte de informa����o t��o qualificada com as pessoas que se tem tido a oportunidade de interagir aqui onde s��o amigos meus, muitas pessoas que eu sou f�� admiro mesmo e isso n��o tinha essas ferramentas antes, ent��o sess��o trazendo para a gente conte��do de qualidade e

Alexandre:   0:00
vamos supor, vai estudar provas, agora se estuda provas eletr��nicos digitais, mas dar contratos analisa. A quest��o de manifesta����o de vontade com contratos s��o mais, mas d�� direito consumidor. Ent��o saiba tudo sobre rela����o de consumo online. N��o se v�� que �� uma extens��o da ��rea tradicional. Eu n��o me preocupo muito. Sabe ci��ncia que �� um, �� um subproduto da ��rea tradicional ou se �� um ramo. A parte no hiper com essas coisas que eu quero dizer para os ouvintes que est��o, nos escutamos, �� que voc�� n��o pode achar que s�� o seu brilhante conhecimento tecnol��gico resolver�� os problemas. Se voc�� n��o entender de processo civil e tendo que defender uma a����o relacionado a licenciamento de software Amanda Ent��o engana se quem fica meio que inebriado s�� com essas quest��es tecnol��gicas �� um diferencial. Mas �� um diferencial que s�� se revelar�� quando for contextualizado com o ramo tradicional direito. Isso que faz a diferen��a e qual a velocidade com quais s��o as tend��ncias assim, nesse mercado para o futuro. Assim pegando toda evolu����o, diz que voc�� come��ou a atuar e a trinta e quatro anos, at�� hoje tem de diferente o que voc�� acha partida que a cinco do que h�� dez anos? Muitas coisas mudaram. Como eu disse durante muito tempo a gente praticamente dedicava quest��es de licenciamento de software, come��ando por a��. O uso n��o autorizado de imagem e som era muito chato, at�� porque era muito restrito. Eu achava que tem tamb��m na faculdade, foi oitenta e dois, tempo, trinta e oito anos. Eu achava que um dia um de todos os ramos do direito que se entrela��a com essa ��rea j�� vinha, inclusive as acusa����es de prote����o de dados acontecer l�� atr��s. Mas o Brasil foi muito lento nessa mudan��a. Voc�� ter ideia, n��s somos senten��a. Tem ser pa��ses do mundo que est��o a lei de prote����o de dados pessoais, sendo que hoje n��s j�� temos cento e vinte pa��ses. Ent��o assim a mudan��a come��ou a ocorrer, sobretudo desse divisor de ��guas que eu falei E a�� a situa����o na medida que o p��blico da internet vai aumentando, os problemas v��o aumentando e as ofertas de servi��os para os advogados tamb��m. Ent��o, veja, n��s vimos numa crescente, mas prescindindo de alguns marcos legais, esses marcos aconteceram. A gente sabe lidando diariamente com v��rios problemas jur��dicos que a grande lacuna que existia at�� ent��o era ter uma lei de prote����o de dados pessoais. O dado no Brasil n��o tinha nenhuma prote����o, embora algumas leis poderiam ser aplicadas e s��o, N��s estamos s�� dependendo dessa lei de prote����o de dados pessoais para poder resolver problemas. Existe a Constitui����o quando se viu, quando o consumidor, al��m da crian��a e do adolescente, que isso tudo �� aplicado. Por��m n��s estamos passando por impulsionamento que jamais que jamais existiu E a tend��ncia futura, no meu ponto de vista, �� enxergar o mundo como sendo um local onde o processamento de dados s�� vai crescer. O tratamento de dados s�� vai crescer porque n��s estamos passando por diversos exemplos de corrup����o. E a�� voc�� tem algumas for��as tecnol��gicas que est��o vindo por a��. N��s estamos hoje j�� prestando consultoria para algumas empresas estrangeiras de ponta, l��der de mercado em cinco, que eu acho que vai ser uma revolu����o absurda em termos de uso da internet, pela velocidade, pelo fato de a gente ter uma lat��ncia m��nima em termos de acesso de dados e, por outro lado, isso tamb��m vai impulsionar o que a internet das coisas al��m da intelig��ncia artificial. Ent��o pega esses tr��s itens para poder dizer como �� que vai potencializar, gra��as a Deus, a demanda de servi��os nessa ��rea de direito digital, As pessoas realmente investir nisso, ter talento para poder criar talento para poder lidar nessa ��rea. Ent��o as oportunidades s��o boas. Agora eu quero deixar aqui bem registrado. Uma coisa eu sou da ��poca em que digitava, j��ris, procedimento de jurisprud��ncia no computador, o meu pai chegada �� tribuna e falar para o desembargador que j�� tinha julgado assim assado em determinado assunto e pulava da cadeira Sou da ��poca que um desembargador ligava a gente um banco Primeira pelo escrit��rio do Brasil, que tem um banco de dados, jurisprud��ncia ligar para mim para o ch��o, tirando seu computador. A�� todos os meus votos de responsabilidade civil, ela imprimia neurol��gica setecentos e vinte matricial. Entregava ele pelo poder estudar, porque o pr��prio tribunal n��o tinha isso. Ent��o, a lei para caramba, em termos de pesquisa, de estudo, tudo mais. Hoje eu vejo o pessoal em regra, est�� ��bvio que tem exce����es numa zona de conforto absurda, entendeu? Hoje existe uma certa o travamento assim de achar o seguinte para a�� meu vade mexer com minha forma de pesquisar a ferramenta de busca do google ponto Entendeu pelo amor de Deus? Deu assim. Isso a�� jamais pode ser o limite de uma pesquisa, de um estudo por um advogado que queira realmente desponta na sua ��rea. Eu continuo comprando o livro todo dia. Gra��as a Deus, a gente tem uma biblioteca do escrit��rio por volta de mil livros na ��rea de edital brasileira estrangeiro e tentam motivar a minha aqui para poder tamb��m unifica����o na base operacional, para poder aprender. Ent��o essa sede de saber ela sempre que acompanhar um jovem advogado que era se interessar a pol��cia porque eu acho que tem muita coisa boa para mim por a��. Mas o sucesso tem que ver com muita paci��ncia. Existe uma falsa a compreens��o de que essas coisas, todas r��pidas, que acontece na internet, tamb��m v��o acontecer r��pido, sucesso, r��pido, ganho, dinheiro em rela����o �� carreira de advogado n��o caiam nessa armadilha. Tudo �� constru��do, tijolo por tijolo. Passo a passo �� um exerc��cio da paci��ncia. Quem n��o for paciente, n��o pode ser revogada. Ent��o pensar que as coisas v��o acontecer para o bem. Mas como, com muita perseveran��a com muita dedica����o, porque sempre o papel de advogado n��o acha que apertar um bot��o, colocar uma informa����o sobre o seu perfil na internet est�� tudo resolvido. Ent��o, at�� porque o curr��culo das pessoas na internet hoje n��o s��o formados apenas por aquilo que elas falam de si mesmo, mas, sobretudo, a respeito dos coment��rios de terceiro, que fala a respeito dela e, muitas vezes, a�� a internet guarda surpresas. Eu acho que mais do que falar hoje tamb��m �� muito que se faz �� que est�� tudo exposto, uma quest��o que a gente defende muito aqui na Flona. Aqui, na fila noite gosta muito de produzir conte��do at�� por isso que ele se pode, que a gente tem um blog E a gente sabe que eu valorizo muito e sabe, Eu acho que eu tamb��m me considero um conte��do disso, O seu trabalho que d�� para voc�� ter ideia eu fui o cara que em dois mil e quatro, criou o primeiro bloco jur��dico no Brasil chamado Direito ��s novas tecnologias. Ent��o s��o essencialmente um gerador de conte��do de v��rias formas e valoriza muito como voc��s fazem esse trabalho, porque n��o �� f��cil nem um pouco f��cil. Obrigado pelas palavras e voc�� �� um dos blocos que eu pessoalmente, sempre acompanhei E o que eu vi o que realmente criam blogs, cria um ponto que a gente cria as iniciativas que a gente faz aqui. N��o falou, por exemplo, os resultados. Eles s��o de longo prazo e eu vejo muita gente querendo capital mais clientes, sempre no curto prazo. Ent��o vou investir um milh��o de reais. Ele mim an��ncio no Instagram no Facebook fazer completa tudo assim, autom��tico, Tudo assim apertou. O bot��o resolve de certa, mas o fator humano �� fundamental. �� dif��cil a gente conseguir assim. �� importante a gente pensar golpe em solu����es curto, prazo e tem escrit��rios que v��o conseguir fazer com que isso, de certo tamb��m. Mas �� muito importante a gente pensar no longo prazo, no longo prazo e pelo que o escuto de voc��, Alecsandro vez que voc�� tem uma vis��o ao mesmo tempo pragm��tica desse lado, de que vamos com calma, as coisas demoram demandam um tempo, s�� que ao mesmo tempo de vez com uma vis��o assim otimista para o direito. Assim, nos pr��ximos dos pr��ximos anos, social, vamos ter v��rias oportunidades. Sou otimista porque �� porque eu trabalho muito. Quem fica reclamando tempo tempo na vida �� porque n��o se dedica tanto quanto a gente que est�� pegando pesado. Isso �� que faz. A gente v�� que as oportunidades est��o surgindo, ent��o em portas abertas, mas que voc�� tem que ser perseverante, tem que acreditar que os resultados ser��o alcan��ados, mas nada t��o instant��neo como as mudan��as tecnol��gicas da Internet. Estou pensando no seguinte que eu tamb��m sou otimista. S�� que como �� que vai ser otimista com esse tanto de Faculdade de Direito no pa��s com essa concorr��ncia gigante e tamb��m ao mesmo tempo com pessoas falando que os advogados v��o ser substitu��dos por rob��s que se ver sobre essas coisas que �� comum, que as pessoas dizem Olha falando primeiro, n��mero de advogados que exista Faculdade de Direito. Eu estava um m��s atr��s que conversam no Conselho Federal da OAB em Bras��lia, com o subsecret��rio geral do Today Are Adiante. Indie. Pautou um assunto que era justamente esse mercado de advogados que podem inclusive se lan��ar ao mercado agora a vig��ncia da lei de prote����o de dados pessoais. Porque eu imagino que vai surgir um contencioso muito grande em rela����o a isso. Um t��quete premiado, porque houve desvio de finalidade dos dados pessoais de uma pessoa, vai ser algo muito mais potencializado o que aconteceu quando foi em mil novecentos e noventa com a entrada em vigor do colo do consumidor. Ent��o, isso vai ter um impacto muito grande e ele me disse naquela oportunidade. Alexandre Hoje a OAB se conhece, ajudou, eu ajudei a montar o Cadastro Nacional de Advogados. Na ��poca, coordenava uma grande equipe l�� no departamento de TI. E hoje t��m um milh��o, duzentos mil advogados. S�� que e olha esse n��mero se n��o �� impressionante. Impressionante a taxa de crescimento, que na faixa de vinte e cinco a trinta por cento por ano. Ent��o est��o para um neg��cio desse. N��o existem uma classe profissional do mundo. S�� fica uma d��vida meio com ��ndia mais. Tenho minhas d��vidas que tem o n��mero de advogados, como tem se ter ideia, o mercado de certificado digital, hoje emitidos s�� pela OAB j�� est�� chegando a setecentos e cinquenta mil advogados, o juiz o Brasil, por exemplo, hoje j�� deve ter cerca de novecentos mil advogados, sete por cento. E parece da advocacia brasileira, hoje p��blico pagante do jogo Brasil e ent��o essas quest��es. Mas em compensa����o, segundo ��rea grande existem quatrocentos e cinquenta mil advogados que est��o ganhando para pagar as contas. Ent��o por que isso acontece? Porque as pessoas n��o podem ficar na vala comum, entendeu? Elas t��m buscar alguma solu����o diferenciada. N��s temos a�� a diga economia e n��s temos a�� uma s��rie de alternativas de mercado que, n��o fazendo repensar completamente o exerc��cio da advocacia. A forma de ganhar dinheiro advocacia, nos pr��ximos anos �� mudar. Como j�� mudou mais ainda. Radicalmente isso que as pessoas t��m que saber. Tem que entender para que caminho de modelos de neg��cio, que o caminho que isso vai gerar. Ent��o, a minha preocupa����o de que as pessoas n��o caiu nessa vala comum em rela����o ao segundo ponto. A sua pergunta sobre se m��quina vai substituir advogado? Eu n��o concordo com essa forma, de jeito nenhum eu estudando tem um assunto de intelig��ncia artificial. Inclusive, j�� que a arte Vital coloca muito bem minha posi����o a respeito disso. Eu acho que os sistemas de intelig��ncia artificial tem talentos que os humanos n��o t��m. Os humanos t��m talentos que os sistemas de intelig��ncia oficial n��o tem. Ent��o quem fala que n��o vai matar o outro eu n��o concordo e acho que pagaria para ver se um dia essa situa����o vai se reverter. Eu acho que o melhor dos mundos que a gente vai alcan��ar daqui para frente �� a somat��ria desses dois talentos em busca de algum resultado, mas n��o achando que uma coisa n��o substitui a outra, ningu��m vai achar que vai dar a senten��a. Automaticamente j�� pode usar a intelig��ncia artificial, por exemplo, com o suporte de apoio decis��rio do magistrado, com base na predi����o dos votos da tend��ncia com que ele j�� jogou, o que agora efetivamente isso nunca vai ser um ato isolado, automatizado, sem interven����o humana para poder fazer a valida����o final, Ent��o, h�� muito ru��do. H�� muito bases em rela����o a essas a����es, que eu acho que a gente tem que botar um pouco de term��metro a realidade de um ano. �� bom que estejam falando sobre isso. De outro, fala se muito sobre tecnologia, mais pr��tica, se pouco nossa. Se for pegar, Ent��o, em rela����o a esses assuntos e a intelig��ncia artificial, eu acho que tem muita fuma��a para pouco fogo. At�� porque n��o existe tecnologia suficiente para fazer tudo o que as pessoas dizem. N��o tem a felicidade a um ��ndice advogado, talvez de uma empresa que tem uma banda cuidado jur��dico, do Brasil, que sabe o mundo que �� o jogo Brasil e conven����o no campo pessoal de l��. Um dia depois de mais seis n��o investem em intelig��ncia artificial. A resposta foi simples aqui o pessoal acha que a intelig��ncia artificial �� editor, de ter. Se chega jogo texto l�� e pronto computador vai ter um sistema cognitivo. Vai, aprendi tal. Est�� tudo resolvido n��o s�� no Brasil, mas outros amigos que tamb��m tiveram oportunidade de fazer sistemas de intelig��ncia artificial no Supremo. Ent��o, revelaram que n��s temos hoje o dado no no sentido bruto. Mas �� necess��rio fazer diversas marca����es numa linguagem figurada. Eu diria para voc��s que n��s temos hoje o pr�� sal. Entendeu? Ent��o, o dado �� o pr�� sal. E n��s precisamos fazer o tratamento das diversas camadas, marca����es e tal para poder virar do dado a informa����o da somat��ria da informa����o, conhecimento e da somat��ria do conhecimento. A sabedoria, ent��o do pr�� sal, at�� virar petr��leo, tem um longo caminho que as pessoas est��o abreviando achando que �� interessante. O Brasil tem o maior de gdapa juridico do mundo. N��o existe nenhum pa��s do mundo que os noventa e tr��s tribunais produzem todas as suas decis��es j�� um tempo na pele, formato digital, por uma mat��ria prima. Agora a intelig��ncia artificial vai chegar em dois tempos, vai resolver tudo. Cad�� o estado? Porque o dado n��o �� estruturado de forma adequada e se tiver isso, leva tempo e exige bra��o, por isso que os resultados ainda n��o apareceram. Mas v��o parecer que voc�� teve uma parte grande para fazer com que os tribunais tivessem tudo isso, informa a entidade. O rapaz foi uma experi��ncia profissional fant��stica, porque eu tive desde a primeira reuni��o de discuss��o representando a OAB federal na na lei do processo eletr��nico do projeto de lei. Ainda �� interessante falar um aspecto hist��rico aqui que talvez poucas pessoas saibam que, inclusive est�� muito bem narrado num outro livro, que eu fiz em dois mil e dez, que �� coment��rios al��m do processo eletr��nico. Quando eu conto toda a hist��ria, como surgiu o processo judicial eletr��nico? Eu tenho um relato ali de forma pormenorizada, que eu participei de tudo como negociador do da, definindo as prerrogativas do advogado em diversas rodadas de negocia����o e tamb��m depois ocupando uma cadeira no CNJ perante a Comiss��o de Regulamenta����o do Processo de Sa��de, o processo judicial eletr��nico nasceu apenas com poucas funcionalidades. A primeira vers��o era protocolo, distribui����o e publica����o de atos. Apenas isso a�� na uma vers��o seguinte, resolveu, n��o v��o encarar que v��o fazer um projeto diferente. V��o fazer um sistema que permita fazer automa����o de todas as etapas processuais. A distribui����o at�� o tr��nsito em julgado. E a��, brasileira �� usado em termos de tecnologia da informa����o. Sempre foi e lan��amos, depois de renda, uma s��rie de exemplos assim e a�� levantamos voo numa nave que se d�� que sem nenhuma refer��ncia a ela, que eu viajei na ��poca pela OAB Federal, era o presidente da Comiss��o de Direito Tecnologia durante dez anos. Ent��o, tive a oportunidade, a Espanha, a autoria ao Canad��. Tudo fazendo pesquisa para um livro, inclusive, teve que Portugal e vi que nenhum desses tinham um projeto t��o usado quando o Brasil de querer enfrentar uma situa����o sem refer��ncia internacional, de criar um sistema que pudesse fazer com que as pr��ticas processuais por meio eletr��nico foi assim o novo padr��o. N��o pagamos um pre��o alto por isso, mas o resultado �� positivo, mas ainda tem muita coisa para mim. Eu estou muito cr��tico, em v��rios aspectos relacionados �� implanta����o do processo de sa��de, entrou no Brasil. Isso se deve muito ao fato de que o Judici��rio poderia dialogar muito melhor com todos os roedores do mercado. Mas ele n��o dialoga ainda o Judici��rio. Muitas vezes ele entendeu que houve uma mudan��a de a informatiza����o do Judici��rio para a informatiza����o da justi��a. Faz muita diferen��a antes essa informa����o de informatiza����o do Judici��rio, porque �� isso. O departamento tem preocupado em resolver os problemas do tribunal, usando a inform��tica. Depois da lei, a informatiza����o da Justi��a tem que informar as pr��ticas processuais n��o s�� do tribunal, mas o advogado do Minist��rio P��blico da Advocacia P��blica de certa. S�� que eles n��o estavam acostumados a ouvir as pessoas e, por esse motivo, sistemas n��o saiam ou ainda n��o est��o totalmente com interface adequada para os advogados, como que v��rios advogados reclamem do sistema. Raz��o s�� que assim, por outro lado, o papel assim de organiza����o dos dados. Mas n��o se fosse tudo f��sico ainda perdido, tanto de informa����o. Eu falo que o papel j�� fez o seu papel. Ent��o a simples fato. Assim, ainda que seja ruim, est�� pelo menos tudo finalizado, ela olha, n��s vivemos num pa��s e vinte e sete estados j�� rodei praticamente tudo. Some falta Amap�� e Tocantins, um grande a grande, sacada. O que realmente aconteceu? Que foi bacana demais? Foi um fato tem jogado essa sementinha a�� de implanta����o de processo judicial eletr��nico em todos os tribunais. Hoje, todos iguais s��o processo judicial eletr��nico, ent��o o Brasil n��o �� a Su����a entendeu. S��o vinte e sete pa��ses, dentre um pa��s s��, com realidades completamente diferentes. Posso dizer porque fiz interlocu����o e ainda faz com diretores de tem de todos os tribunais conhecendo, explode perto, participa de evento do ano com eles a gente acompanhar essa evolu����o do mercado. Eu sou sempre aquele advogado que chega no evento, poder criticar que sempre redu����o positiva construtiva, mas n��o pode dizer do outro lado do balc��o que est�� errado e eu gosto. E eu acho que essa hist��ria poderia ser escrita de outra forma. Para sintetizar a minha maior cr��tica em rela����o ao processo judicial eletr��nico, a Simples foi criado um sistema para poder fazer todo o tr��mite do processo digital, s�� que era muito dif��cil de Nice negociar com o juiz para poder dizer penhora. S�� a rotina de trabalho vai mudar. Eu agora n��s vamos criar um sistema que que vai fazer com que voc�� tem que mudar o seu Rita de edital para n��o causar esse arrepio que poderia, de repente, impactar o projeto. O foco era como enfrentar a secretaria, Ent��o pensamos em Os tribunais foram focados em todas as rotinas processuais ou porque a ministra ela ingresse na ��poca. Assim temos que acabar com a in��rcia do papel que o papel imp��e uma in��rcia, porque era que as rotinas burocr��ticas envolvidas. S�� que o processo de petr��leo s�� focou na secretaria em grande parte moral da hist��ria. Os processos tramitam mais r��pido a secretaria chegam mais r��pida conclus��o l�� ficam, Ent��o, doze anos depois que a lei entrou em vigor. O preju��zo trabalho, da mesma forma como trabalhavam antes, est��o estressados. N��o se criou uma solu����o de apoio, suporte desses ��rg��os, magistrados e, quem sabe, pode. Vim com a intelig��ncia artificial, Ent��o, essa situa����o de muito conte��do, pouco processamento, pouco suporte para poder fazer maior celeridade ainda n��o aconteceu e isso �� que causa um certo sabor porque foi decantado. Na ��poca que n��s, nos processos ainda mais r��pido, isso vai acontecer na semana para todo mundo. O processo n��o est�� andando mais r��pido. O processo est�� andando da mesma forma e cada vez mais o Judici��rio est�� perdendo espa��o nos meios alternativos de solu����o de conflitos, isso �� fato, ent��o, por esse motivo �� que horas consertam essa situa����o e volta a entrar numa rota de ter mais performance. Ou ent��o esses meios alternativos de solu����o, de detidos, v��o estar sempre mais espa��o, muito bacana, relata o seu hist��rico como entidade, disse l��, no in��cio muito bacana, em entender os bastidores, a um momento muito interessante que empolgaram muito. Aprendi muito sobre a minha vida, com direito e tal. gra��as a Deus, foram at�� na pris��o E assim continua sendo. Voc�� come��ou dizendo no in��cio do epis��dio que voc�� est�� no momento que est��o mais aprendendo da sua vida. Agora voc�� mencionou isto de novo? Quais s��o seus desafios atuais? Assim que est��? Por que voc�� l�� atualmente? Que se aprende hoje, que est�� buscando e para os pr��ximos anos assim, um momento, o que realmente est�� empolgando, mais, estudar a����o, sistema novo? Que a prote����o de dados pessoais est��o a tutela important��ssimo, que o cidad��o tem que ter um assunto pautado mundialmente hoje, um assunto em que n��s temos duas grandes for��as do mercado internacional no grupo Estado Global, de um lado, as grandes empresas que dominam parte da arquitetura da internet. Do outro lado, os governos, cada vez mais enfraquecidos de acesso �� jurisdi����o, ou seja, dar for��a suas leis alternativa por essa experi��ncia de participar da audi��ncia p��blica do do WhatsApp representando a OAB Federal, onde os fundadores do WhatsApp gera presidente. Mike, �� claro para mim que as grandes empresas querem dizer para os governos dos estados a seguinte horas conta que aplicar suas leis, beleza aplica, mas no mundo presencial, porque esses espa��os de tal aqui eu aqui eu tenho um c��digo, ent��o fa��o as leis da minha maneira. Eu estava fazendo um curso de internet em dois mil e um. Tive como professor os caras que eu acho fant��stico. Gl��ria celeste chegou inclusive a ser candidata a presidente dos Estados Unidos nas ��ltimas elei����es, mas morreu nas primeiras prim��rias do Partido Democrata que atrav��s do seu livro cl��ssico famoso chamado Deloitte Sabeis Pa��s. Ele tem uma frase que �� matadora que ele fala assim decoud, ou seja, quem tem um c��digo na m��o tem mais efici��ncia de fazer mudan��a do que quem tem a lei a seu favor. Ent��o, por esse motivo, n��s temos que mudar esse equil��brio e for��a. Agora estou vendo uma mudan��a em rela����o a isso. Tomara que isso aconte��a de fato, impulsionada por situa����es que a gente presenciou recentemente, que s��o ou de Assange, �� mais uma cama de anal��tica ficar aqui para quem n��o assistiu ainda para esse os fant��sticos privacidade, saqueadas na ordem e ela mandaria todos eles relacionados ao assunto de dados, vazamento de dados, etc. Ent��o esse �� o momento que mais empolga a gente a estudar no aspecto mundial que os problemas s��o os mesmos como um dos pa��ses. Esse tema que por muito tempo n��o ficou sequer sendo objeto de questionamento na nossa legisla����o, n��o chegam atrasados todos os nossos vizinhos aqui do consumo, �� exce����o do Paraguai, j�� tinha uma legisla����o sobre prote����o de dados pessoais. Tudo bem que, se pegar a legisla����o, a primeira diretiva de noventa e cinco na Uni��o Europeia, s�� trocar Madri por Buenos Aires tiveram facilidade, tem a l��ngua a seu favor. Mas isso mostra como �� que a gente, Como �� que isso essa represa, essa represa de assunto em rela����o a esse assunto? Em rela����o a esse tema? E como o tempo para poder finalizar? O europeu j�� tem uma cultura jur��dica para dar com a prote����o de dados? Desde noventa e cinco s��o quinze anos e a lei agora foi sancionada em em agosto de dois mil dezoito. N��s temos dois anos em dois anos interno, tira o atraso em rela����es, conhecimento, essa maturidade para dar como prote����o de dados. Ent��o essas mudan��as est��o acontecendo na for��as, mas a gente tem que ver com calma. Eu vejo tantas pessoas assim j�� se colocando como doutores mentem e, por esse motivo a gente tem que ter mais paci��ncia, porque essa �� uma grande oportunidade para os pr��ximos anos da Advocacia de Lad��rio de edital Tive o prazer de receber que a Viviane tamb��m, que falou sobre a Wikipedia no trabalho dela fant��stico, ela falou palavras parecidas com o que voc�� est�� falando E se voc�� ainda n��o executou epis��dio, recomendo fortemente para discutir o epis��dio vinte e um aqui logo de La Hoya. Ela disse muito isso. N��o tem muita gente querendo e prestar consultoria de energia, pede m��e, poucas pessoas sabendo. E �� uma responsabilidade muito grande e n��o de um habeas entendeu, Querem ser, mas n��o s��o, Ent��o tenham humildade eu sou humilde, eu sou humilde porque eu quero aprender todo o dia e eu acho que falta muito disso. N��o sei se �� uma caracter��stica da gera����o ou que seja, mas j�� passei por diversas situa����es. Eu fico pensando em curso, j�� vendem tr��s d��cadas de dedica����o �� ��rea que eu tenho um sujeito que est�� aqui em volta menos de um ano de formada, se achando, entendeu, entregam, bem, trabalham bem, entendeu, n��o desmerece n��o, mas mais humildade, porque n��s temos muito a aprender. Defende tamb��m a nossa gera����o a defenda defende a sua causa, conforme eu concordo, cinco brincando, mas algum c��digo, sim por cento com o que se est�� trazendo? Eu acho que ao mesmo tempo, como est�� no mar que poucas pessoas e analisaram as vezes quem tem um ano de experi��ncia perto de para as pessoas que n��o tem ningu��m? Essas pessoas est��o se considerando experiente mais. Veja bem cuidado e ��tica na forma de abordar isso. N��o sei. Eu acho que n��s temos sempre que lembrar que a profiss��o de advogado �� valorizada pelo tempo de experi��ncia que tem. Isso n��o muda o tempo de voo. Sola de sapato gasta ao longo do tempo. Entendeu isso a�� que realmente mostra a senioridade? N��o �� substitu��do assim, porque �� um ramo novo. Ningu��m estudou, ningu��m viu isso na faculdade, ent��o j�� estou lendo tr��s livre, fez um curso de nossa m��e, de S��o Paulo. No or��amento para a�� n��o �� assim, mas, muitas vezes acredita nisso Deus E pior agora para outro, apareceram quinhentos mil de pior. Um brinquedinho de pergunto algum efetivamente teve experi��ncia pr��tica de atuar para se candidata? Assim tem. Hora, rodada n��o, mas s��o fizeram certifica����o aqui acol��. Tudo bem. Ent��o, atr��s de uma oportunidade de neg��cio justo, mas a situa����o �� muito mais din��mica. �� muito mais desafiadora do que parece. Se deu porque a falta experi��ncia para acho que c�� entre n��s essa experi��ncia efetiva vai rodar apenas depois de agosto de dois mil e vinte. N��s estamos tendo v��rios problemas. Temos v��rios ��rg��os controladores que j�� est��o gerando multas etc. Mas n��s n��o temos tempo de rodagem ainda, pode-se dizer que se perde em rela����o a essas a����es, esse �� o ponto que eu quero deixar como reflex��o muito legal. Alexandre, Gostei bastante aqui da de ter tido a oportunidade de conversar com voc��. Queria saber se voc�� tem algum conselho final para os colegas, advogados e ��s vezes informado, e tamb��m um advogado com escrit��rio pr��prio vezes at�� o escrit��rio consolidado, mas atua em uma outra ��rea, ainda n��o est�� no segmento digital de que se tem de indicar para essas pessoas tamb��m era de que �� muito simples paci��ncia, nada acontece com a velocidade que ol�� na internet, tem que se dedicar a estudar todo dia e, sobretudo, se voc�� puder mudar, n��o s�� o que est�� acontecendo no Brasil, mas as tend��ncias que vem de fora, que meses depois Chegam aqui saber lidar a informa����o desapegado Papel �� um diferencial porque na minha ��rea se eu n��o trabalhasse sem papel todas as atividades, escrit��rio como j�� fa��a mais de dez anos, eu n��o tinha o tempo de rea����o r��pido de decis��o, que a caracter��stica, nossa ��rea, ent��o �� uma ��rea, suspeita falar porque estou empolgado mesmo, gosto de que eu escolhi e me sinto cada dia que passa mais realizado no momento que n��s estamos passando. Mas �� isso Eu acho que o estudo constante manter a atualiza����o, n��o s�� o direito, mas com todas as tend��ncias tecnol��gicas est��o surgindo que v��o impactar o direito e acidente de carro, dedicar, porque as coisas v��o acontecer. Mas com a paci��ncia nos esse n��s e sucesso r��pido pode subir r��pido desse r��pido. Eu acho que a grande �� muito mais dif��cil voc�� manter do que alcan��ar. Ent��o, por esse motivo aqui um corajoso todos os ouvintes do Porto, quer n��o �� a Tr��ia come��ar a se interessar mais Fran��a digital, mas observada. Essas dicas que eu acho que s��o fruto de uma experi��ncia de vida ao longo de trinta e quatro anos. Muito obrigado. Alexandre. Foi um prazer de ter recebido aqui. Disse l��, no in��cio que isso o epis��dio hist��rico. E eu n��o menti todos os ouvintes. A�� eu tenho certeza que valeu bastante a pena. O tempo que voc��s investiram aqui conosco agradece que ver�� novamente pela audi��ncia. Se voc��s gostaram do epis��dio, compartilhem tamb��m com outros colegas advogados que precisam de ter acesso a esse conte��do. Se n��o �� f��cil para a gente, produzia esses conte��dos como entrou. Sobre essa parte, estamos finalizando a grava����o. J�� estou preocupado com a edi����o que a gente vai ter que fazer com a transcri����o do epis��dio. Um trabalho que a gente gosta muito de fazer e se tiver agregando de alguma forma, voc�� fala com a gente nas redes sociais tamb��m. Fala que coincidisse com Alexandre, com certeza. Vou advogar em todos os seus canais digitais. V��o fazer mais for��a poder potencializar os ouvintes a�� do pode quest��o, acha trabalho seus mais uma vez brilhante que sigam nessa, est��o preenchendo uma lacuna de debate sobre temas super contextualizados. O que �� raro, a gente fonte de informa����o t��o qualificada com as pessoas que se tem tido a oportunidade de interagir aqui onde s��o amigos meus, muitas pessoas que eu sou f�� admiro mesmo e isso n��o tinha essas ferramentas antes, ent��o sess��o trazendo para a gente conte��do de qualidade e

Alexandre:   0:00
custo dizer aqui, o mundo digital �� uma reprodu����o do mundo presencial. S�� que com uma diferen��a tudo ou que ocorre l�� �� potencialmente maior, seja para o bem, seja para o mal. Ent��o, por exemplo, se algu��m encontrar um advogado hoje, que nenhum momento em que algu��m far�� uma busca com o nome dele na ferramenta de busca do Google e n��o tiver uma rever��ncia interessante para falar, ou para uma coisa que est�� sendo criada, tem que chegar a refer��ncia por outro meio, porque depois do m��nimo que o advogado pode ter, uma preocupa����o �� a primeira parte da empresa de busca do Google, apenas com refer��ncias, nem outras ou positivas. E aqueles que esquecem e deixam uma refer��ncia negativa falsa, ofensiva, pior ainda. Agora, com essas estrelinhas que existem ranqueamento, ent��o, como as pessoas n��o percebem quais s��o as situa����es que causam solu����es, a aten����o di��ria m��xima para qualquer excesso de liberdade de express��o pode ser enfrentada com o passar dessas d��cadas e quatro anos. Formado, eu posso dizer para voc�� que aprendeu o quanto mais r��pido as pessoas reais, menos risco A gente vai ter. Ent��o, nosso escrit��rio trabalha para n��o deixar que um fato se transforme numa crise e porque algu��m sabe que a maioria dos enfrentamentos incidentes que acontecem na internet t��m um atraso e desordem na Internet. Isso mostra que as pessoas n��o est��o preparadas para esse tipo de situa����o, mas complementam toda a quest��o quando tiveram a virada do s��culo, ent��o houve uma mudan��a. A mudan��a se deu porque fugiu no mercado nessa ��poca. Em dois mil, final do ano, segundo semestre provedores com acesso gratuito �� internet. Ent��o, come��ou a formar mercado e n��o come��ou a formar o mercado n��o �� o n��mero. Vou que vai crescer mais gente. Uma sess��o ainda que seja uma internet discada como naquela ��poca, mas ser�� interessante em cima desse mercado criar servi��os e obviamente os servi��os geram problemas. Os problemas s��o jur��dicos e a interface com v��rios ramos. Rela����o de consumo criminal, direitos de imagem que s��o, e nesse momento �� um divisor de ��guas do direito digital. Ele passa a formar esse recurso multifacetado multidisciplinar que prepondera hoje cada vez mais. E hoje, assim como um escrit��rio pode, ele pode come��ar a atuar nessa ��rea. E como o escrit��rio pode adquirir mais clientes? Na ��rea de direito digital, atuar na ��rea de muitos escrit��rios que vem direto de tal. Como uma situa����o muito simpl��ria, encontra-se aqui Rousseff se h�� v��rias ��reas h�� muito tempo no direito digital, agora oportunidade de mercado e tal. Quem sabe isso pode trazer uma receita para escrit��rios e muitas vezes, at�� porque tem uma carteira de clientes boa. Ele at�� usa o resultado inicial, mas chega um momento em que as crian��as saem da sala, mas n��o consegue entrar no n��vel de profundidade do assunto, medidas sugeridas para uma consultoria para o poder explicar solu����es barra de ferramentas tecnol��gicas. Ent��o, respondendo �� pergunta �� necess��rio que o escrit��rio busque talentos no mercado que j�� vem com Denny focado tanto quanto direito quanto a tecnologia. N��o h�� como voc�� enfrentar situa����es, seja nos tribunais, mas principalmente em consultoria. Se voc�� n��o tiver interesse em discutir diariamente para poder aprofundar nessas quest��es legais e tecnol��gicas, e uma outra quest��o que me chama aten����o aqui Assim, por que voc�� enviou anteriormente e me corrija se tiver cumprido, liderado, mas eu estou abaixo at�� ent��o o direito digital como se fosse um bra��o ali de todas as outras ��reas. O delito de direito �� revis��o ser�� um bra��o do direito social, mas estar�� tratando de rela����es sociais na Internet. Rela����es Contratuais na Internet Voc�� considera essencial o profissional especialista em direito digital, al��m de aprender essas outras ��reas. Ele tamb��m espera nessas ��reas, porque n��o �� o caso contr��rio, o que era uma pessoa que sabe muito sobre a Internet, mas ela n��o tinha o conhecimento jur��dico, os advogados, ele �� especialista nesta hora, tem toda raz��o. Engana se quem pensa o contr��rio. �� necess��rio que uma pessoa que tenha um talento especial para estudar os problemas jur��dicos que esteja ocorrendo no meio digital tenha a possibilidade de contextualizar os problemas dentro da legisla����o existente. O que direito de advogado e tal faz muito bem ao bom advogado de direito digital. Ele analisa o fato e contextualiza diretamente. N��o h�� lei j�� existente, muito onde a Internet muitas vezes e falou por a�� a lei aqui amb��gua. Ela tamb��m pode ser aplic��vel. N��o apenas no mundo presidencial, como foi previsto na ��poca em que foi sancionada, mas tamb��m no mundo digital. Ent��o, ele precisa sim. N��o existe essa quest��o de sou totalmente cem por cento digital. Pera��, n��o �� assim que funciona. O que funciona eu sou Direito Digital, atuou na ��rea de direito digital porque eu sei como contextualizar os problemas sociais a partir das empresas que atuam na internet. Mas eu tenho que ter uma base de conhecimento social, de contratos, de rela����o de consumo na linha de crimes cibern��ticos. Ent��o, coordenei, durante dez anos, uma p��s-gradua����o em S��o Paulo. Qual o objetivo que eu queria justamente, criar um conte��do program��tico Aplicar temas desses ramos tradicionais de direitos que n��o s��o tratados na faculdade? Ent��o, como �� que foi montada o recurso? Isso j�� foi justamente os pontos. Como �� que as pessoas t��m que come��ar a se preocupar com isso? Por mais que d�� provas, agora se estuda provas eletr��nicas digitais, mas d�� contratos analisa. A quest��o da manifesta����o de vontade com contratos s��o mais, mas d�� direito ao consumidor. Ent��o saiba tudo sobre a rela����o de consumo online. N��o v�� que �� uma extens��o da ��rea tradicional. Eu n��o me preocupo muito. Sabe ci��ncia que �� um, �� um subproduto da ��rea tradicional ou �� um ramo. Uma parte n��o �� com essas coisas que eu quero dizer para os que est��o ouvindo, nos escutamos, e se voc�� n��o consegue encontrar o que �� o seu conhecimento avan��ado sobre os problemas tecnol��gicos. Se voc�� n��o entender o processo civil e ter que defender uma a����o relacionada ao licenciamento de software Amanda Ent��o, engane-se quem fica meio que inebriado com essas quest��es tecnol��gicas e um diferencial. Mas �� um diferencial que ser�� revelado quando for contextualizado com o ramo tradicional direito. Isso faz diferen��a e qual a velocidade com quais s��o as tend��ncias, nesse mercado para o futuro. Assim pegando toda evolu����o, diz que voc�� come��ou a atuar e trinta e quatro anos, at�� hoje tem diferen��a ou que voc�� acha que partida h�� cinco anos? Muitas coisas mudaram. Como eu disse durante muito tempo as pessoas praticamente deduzem quest��es de licenciamento de software, come��ando por a��. O uso n��o autorizado de imagem e era muito chato, at�� porque era muito restrito. Eu acho que tamb��m tem faculdade, foi oitenta e dois, tempo, trinta e oito anos. Eu acho que um dia �� um de todos os ramos do direito que entra com essa ��rea j�� vinha, inclusive como acusa����es de prote����o de dados que acontecem atr��s. Mas o Brasil foi muito lento nessa mudan��a. Voc�� tem ideia, n��s somos senten��a. Os pa��ses do mundo que possuem lei de prote����o de dados pessoais, sendo que hoje j�� temos cento e vinte pa��ses. Ent��o, como a mudan��a come��ou a ocorrer, principalmente desse divisor de ��guas que eu falei E a�� uma situa����o na medida em que o p��blico da internet vai cair, os problemas v��o cair e as ofertas de servi��os para os advogados tamb��m. Ent��o, veja, n��s vimos numa crescente, mas prescindindo de alguns marcos legais, esses marcos acontecem. A gente sabe lidando diariamente com v��rios problemas jur��dicos que existem em grandes lacunas que at�� ent��o eram uma lei de prote����o de dados pessoais. O dado no Brasil n��o teve nenhuma prote����o, embora alguns direitos sejam aplicados e sejam, N��s somos t��o dependentes dessa lei de prote����o de dados pessoais para resolver problemas. Existe uma Constitui����o quando se v��, quando o consumidor, al��m da crian��a e do adolescente, que tudo �� aplicado. No entanto, estamos passando por um impulso que nunca existir��. E uma tend��ncia futura, sem meu ponto de vista, �� enxergar ou mundo, como sendo um local onde o processamento de dados s�� vai crescer. O tratamento de dados s�� vai crescer porque estamos passando por diversos exemplos de corrup����o. E a�� voc�� tem algumas for��as tecnol��gicas que est��o vindo por a��. Hoje estamos prestando consultoria para algumas empresas estrangeiras de ponta, l��der de mercado em cinco, que eu acho que vai ser uma revolu����o absurda em termos de uso da internet, pela velocidade, pelo fato de uma pessoa ter uma lat��ncia m��nima em termos de acesso a dados e, por outro lado, isso tamb��m ir�� impulsionar ou acessar a Internet das coisas al��m da intelig��ncia artificial. Ent��o pega esses tr��s itens para poder dizer como �� poss��vel, gra��as a Deus, uma demanda de servi��os nessa ��rea de direito digital, como as pessoas realmente investem nisso, tem talento para criar talento para poder lidar nessa ��rea. Ent��o as oportunidades s��o boas. Agora eu quero deixar aqui bem registrado. Uma coisa que eu sou da ��poca em que digita, j��ris, procedimento de jurisprud��ncia no computador, meu pai chega �� tribuna e fala para o desembargador que j�� tinha sido julgado como assado em determinado assunto e pulava da cadeira Sou da ��poca que um desembargador ligava a gente um banco Primeiro pelo escrit��rio do Brasil, que tem um banco de dados, jurisprud��ncia ligar para mim para o ch��o, tirando seu computador. Todos os meus votos de responsabilidade civil, ela imprimia neurol��gica setecentos e vinte matricial. Entregava ele pelo poder estudar, porque o pr��prio tribunal n��o tinha isso. Ent��o, uma lei para caramba, em termos de pesquisa, estudo, tudo mais. Hoje eu vejo o pessoal em regra, est�� ��bvio que tem exce����es em uma zona de conforto absurdo, entendeu? Hoje existe uma maneira de seguir o caminho para encontrar o seguinte para o meu vade mexer com minha forma de usar a ferramenta de busca do google ponto Entender pelo amor de Deus? Deu assim. Isso a�� pode ser o limite de uma pesquisa, um estudo para um advogado que realmente deseja desassociar sua ��rea. Eu continuo compreendendo o livro todo dia. Gra��as a Deus, uma pessoa tem uma biblioteca do escrit��rio por volta de mil livros na ��rea de edital brasileiro estrangeiro e tenta motivar a minha aqui para poder tamb��m unificar na base operacional, para poder aprender. Ent��o essa sede de sabre ela sempre acompanha um advogado jovem que era interessado na pol��cia porque eu acho que tem muita coisa boa para mim por l��. Mas o sucesso tem que ver com muita paci��ncia. Existe uma falha na compreens��o do que essas coisas, todas as r��pidas, o que acontece na internet, tamb��m passam r��pido, sucesso, r��pido, ganho, dinheiro em rela����o �� carreira de advogado que n��o pode ser praticado nessa armadilha. Tudo �� constru��do, tijolo por tijolo. Passo a passo �� um exerc��cio de paci��ncia. Quem n��o �� paciente, n��o pode ser revogada. Ent��o pense como as coisas v��o acontecer para o bem. Mas como, com muita perseveran��a com muita dedica����o, porque sempre o papel do advogado n��o encontra o bot��o de abertura, colocar uma informa����o sobre o seu perfil na internet est�� tudo resolvido. Ent��o, at�� porque o curr��culo das pessoas na internet hoje n��o �� apenas o que elas falam, mas, principalmente, o respeito dos coment��rios do terceiro, que fala sobre o respeito dela e, muitas vezes, a Internet guarda estranhas. Eu acho que mais do que falar hoje tamb��m �� muito ruim se tudo estiver exposto, uma quest��o que algu��m defende muito aqui na Flona. Aqui, na fila da noite gosta muito de produzir conte��do at�� que ele possa, quem tem um blog e quem sabe valorizar muito, sabe tamb��m acho que eu tamb��m considero um conte��do, o seu trabalho que d�� para voc�� ter id��ia de que eu fui o cara que em dois e quatro meses, criou o primeiro bloco jur��dico no Brasil chamado Direito ��s novas tecnologias. Ent��o, n��s somos um gerador de conte��do de v��rias formas e valorizamos muito como voc��s fazem esse trabalho, porque n��o �� f��cil nem um pouco f��cil. Obrigado pelas palavras e voc�� �� um dos blocos que eu personalizo, sempre acompanhei E que eu vi ou que realmente criam blogs, cria um ponto que as pessoas criam como iniciativas que as pessoas fazem aqui. N��o falou, por exemplo, os resultados. Eles s��o de longo prazo e eu vejo muitas pessoas buscando mais clientes, sempre no curto prazo. Ent��o voc�� vai investir um milh��o de reais. Ele me anuncia no Instagram no Facebook fazer tudo completo assim, autom��tico, Tudo assim abertura. O bot��o resolver, mas o fator humano �� fundamental. �� dif��cil gente assim conseguir. �� importante que as pessoas pensem em solu����es curtas, prazos e armazenamentos que v��o conseguir fazer com isso, com certeza tamb��m. Mas �� muito importante que as pessoas pensem no longo prazo, no longo prazo e no escopo de voc��, Alecsandro vez que voc�� tem uma vis��o ao mesmo tempo pragm��tica desse lado, que vamos com calma, como coisas que exigem um tempo, apenas que ao mesmo tempo de uma vez com uma vis��o t��o otimista para o direito. Assim, nos pr��ximos anos pr��ximos, sociais, vamos ter v��rias oportunidades. Sou otimista porque �� porque eu trabalho muito. Quem fica recuperando o tempo na vida �� porque n��o se dedica tanto a quem est�� pegando pesado. Isso �� que faz. As pessoas v��em que as oportunidades est��o surgindo, ent��o nas portas abertas, mas que voc�� tem que ser perseverante, que acredita que os resultados s��o alcan��ados, mas nada t��o instant��neo como as mudan��as tecnol��gicas da Internet. Estou pensando em seguir que eu tamb��m sou otimista. S�� que como �� que vai ser otimista com tanto faculdade de direito no pa��s com essa concorr��ncia gigante e tamb��m com o mesmo tempo com pessoas falando que os advogados v��o ser substitu��dos por filtros que podem ver sobre essas coisas que s��o comuns, como as pessoas diz Olha primeiro, n��mero de advogados que existem na Faculdade de Direito. H�� um m��s atr��s, conversei no Conselho Federal da OAB em Bras��lia, com o subsecret��rio geral do Today Are Adiante. Indie. Pautou um assunto que era apenas o mercado de advogados que pode incluir, se lan��ar no mercado agora, a vigil��ncia da lei de prote����o de dados pessoais. Porque eu imagino que vai surgir um contencioso muito grande em rela����o a isso. Um t��quete premiado, porque houve desvio dos dados pessoais de uma pessoa, vai ser algo muito mais potencializado ou acontecido quando foi encontrado em mil novecentos e noventa com entrada em vigor no consumidor. Ent��o, isso vai ter um impacto muito grande e ele disse que essa oportunidade. Alexandre Hoje, da OAB, conhece, ajudou, ajudou a montar o Cadastro Nacional de Advogados. Na ��poca, coordena uma grande equipe no departamento de TI. E hoje eles t��m um milh��o, milh��es de advogados. S�� que e esse n��mero se n��o �� impressionante. Impressionante taxa de crescimento, que faixa de vinte e cinco a trinta por cento por ano. Ent��o, est��o para um neg��cio desse tipo. N��o existe uma classe profissional do mundo. S�� fica uma d��vida no meio da ��ndia. Tenho minhas d��vidas sobre o n��mero de advogados, como tem ideia, o mercado de certificado digital, hoje emitido apenas pela OAB j�� est�� chegando a setecentos e cinquenta mil advogados, o juiz o Brasil, por exemplo, hoje j�� deve ter cerca de novecentos mil advogados, sete por cento. Parece ser a advocacia brasileira, hoje o p��blico pagante do jogo Brasil e ent��o essas quest��es. Mas em compensa����o, o segundo grande n��mero de quatrocentos e cinquenta mil advogados que est��o ganhando para pagar como contas. Ent��o, por que isso acontece? Porque as pessoas n��o podem ficar na vala comum, entendeu? Elas t��m alguma solu����o diferenciada. N��s temos aqui uma dica de economia e n��s temos uma s��rie de alternativas de mercado que n��o fazem reembolso completo ou exerc��cio de advocacia. A forma de ganhar dinheiro advocacia, nos pr��ximos anos �� mudar. Como j�� mudou mais ainda. Radicalmente isso que as pessoas t��m que saber. Tem que entender o caminho do modelo de neg��cio, o caminho que isso gera. Ent��o, minha preocupa����o de quem n��o caiu nessa vala comum em rela����o ao segundo ponto. A sua pergunta sobre a m��quina vai substituir um advogado? Eu n��o concordo com essa forma, n��o sei como estudar um assunto de intelig��ncia artificial. Inclusive, j�� que a arte Vital coloca muito bem minha posi����o no respeito. Eu acho que os sistemas de intelig��ncia artificial t��m talentos que os humanos n��o t��m. Os humanos t��m talentos que os sistemas de intelig��ncia oficial n��o t��m. Ent��o, quem fala que n��o vai matar o outro eu n��o concorda e acha que pagina����o para ver se um dia essa situa����o vai reverter. Eu acho que o melhor dos mundos que a gente vai seguir daqui para frente �� a somat��ria desses dois talentos em busca de algum resultado, mas n��o achando que uma coisa n��o substitui outra, ningu��m vai achar que vai dar uma senten��a. Automaticamente j�� pode usar intelig��ncia artificial, por exemplo, com suporte a suporte de decis��o decidido, com base na predi����o de votos de tend��ncia com que ele j�� �� jogado, ou com agora efetivamente isso nunca ser�� um ato isolado, automatizado, sem interven����o humano para poder fazer uma valida����o final, Ent��o, h�� muito ru��do. H�� muitas bases em rela����o a essas a����es, que eu acho que as pessoas t��m que botar um pouco de term��metro na realidade de um ano. �� bom que esteja falando sobre isso. De outro, fala muito sobre tecnologia, mais pr��tica, e pouco nossa. Se for pegar, Ent��o, em rela����o a esses assuntos e a intelig��ncia artificial, acho que tem muita fuma��a para pouco fogo. At�� porque n��o existe tecnologia suficiente para fazer tudo o que as pessoas dizem. N��o existe um ��ndice de felicidade, talvez uma empresa que tenha uma banda de atendimento jur��dico, do Brasil, que saiba o mundo que �� o jogo Brasil e a conven����o no campo pessoal de l��. Um dia depois de mais seis n��o investir em intelig��ncia artificial. A resposta foi simples aqui, o pessoal acha que um editor de intelig��ncia artificial ��, de ter. Se chegar jogo texto l�� e pronto, o computador vai ter um sistema cognitivo. Vai, aprendi tal. Est�� tudo resolvido n��o apenas no Brasil, mas outros amigos que tamb��m tiveram a oportunidade de fazer sistemas de intelig��ncia artificial no Supremo. Ent��o, revelamos que temos hoje o dado sem sentido bruto. Mas �� necess��rio fazer diversas marca����es em uma linguagem figurada. Eu diria para voc��s que temos hoje o pr��-sal. Entendeu? Ent��o, o dado �� o pr�� sal. E n��s precisamos fazer o tratamento de diversas camadas, marca����es e tal para poder virar dados a informa����es da somat��ria da informa����o, conhecimento e somat��ria do conhecimento. A sabedoria, ent��o fa��a o pr��-sal, at�� virar petr��leo, e um longo caminho que as pessoas est��o abrindo rapidamente que �� interessante. O Brasil tem o maior n��mero de gdapa jur��dicos do mundo. N��o existe nenhum pa��s do mundo que inicie e tr��s tribunais produzam todas as suas decis��es j�� em andamento, formato digital, por uma mat��ria prima. Agora a intelig��ncia artificial vai chegar em dois tempos, vai resolver tudo. Cad�� o estado? Porque o dado n��o �� estruturado de forma adequada e, se tiver isso, leva tempo e exige bra��o, por isso os resultados ainda n��o aparecem. Mas vai parecer que voc�� teve uma grande parte para fazer com que os tribunais tivessem tudo isso, informa uma entidade. O rapaz foi uma experi��ncia profissional fant��stica, porque desde a primeira reuni��o de discuss��o que representa a lei federal da OAB sobre o processo eletr��nico do projeto de lei. Ainda �� interessante falar sobre um aspecto hist��rico aqui, que talvez tenha poucas pessoas que, inclusive, est�� muito bem narrado em outro livro, que eu fiz em dois mil e dez, que �� coment��rios al��m do processo eletr��nico. Quando eu conto toda a hist��ria, como surgiu o processo judicial eletr��nico? Eu tenho um relacionamento com toda a forma detalhada, que eu participo de tudo como negociador da, definindo como prerrogativas do advogado em diversas rodadas de negocia����o e tamb��m depois de ocupar uma cadeira no CNJ, perante a Comiss��o de Regulamenta����o do Processo de Sa��de, ou o processo judicial eletr��nico nascido apenas com poucas funcionalidades. A primeira vers��o era protocolo, distribui����o e publica����o de atos. Apenas isso a�� na vers��o a seguir, solu����o, n��o vai encarar o que vai fazer um projeto diferente. Fa��a um sistema que permita automatizar todas as etapas processuais. A distribui����o at�� o tr��nsito em julgado. E a��, brasileira �� usada em termos de tecnologia da informa����o. Sempre foi lan��ado, depois de renda, uma s��rie de testes assim e j�� foi levantado em uma nave que d�� sem nenhuma refer��ncia a ela, que viajou na ��poca pela OAB Federal, era o presidente da Comiss��o de Direito de Tecnologia durante dez anos . Ent��o, tive uma oportunidade, uma Espanha, uma autoria para o Canad��. Tudo fazendo pesquisa para um livro, inclusive, teve que Portugal e vi que nenhum desses tinha um projeto t��o usado quando o Brasil quisesse enfrentar uma situa����o sem refer��ncia internacional, criar um sistema que pudesse fazer com que as pr��ticas processuais pelo meio eletr��nico foram assim o novo padr��o. N��o pagamos um pre��o alto por isso, mas o resultado �� positivo, mas ainda h�� muita coisa para mim. Eu sou muito cr��tico, em v��rios aspectos relacionados �� implanta����o do processo de sa��de, entrou no Brasil. Isso se deve muito ao fato de que o judici��rio poderia dialogar muito melhor com todos os roedores do mercado. Mas ele n��o dialoga ainda no Judici��rio. Muitas vezes ele entendeu que houve uma altera����o na informa����o do Judici��rio para a informa����o da justi��a. Faz muita diferen��a antes dessa informa����o de informa����o do Judici��rio, porque �� isso. O departamento est�� preocupado em resolver problemas do tribunal, usando a inform��tica. Depois da lei, uma informa����o da Justi��a tem que informar como pr��ticas processuais n��o somente no tribunal, mas o advogado do Minist��rio P��blico da Advocacia P��blica de certa forma. S�� que eles n��o estavam acostumados a ouvir como pessoas e, por esse motivo, os sistemas n��o saiam ou ainda n��o est��o totalmente com interface adequada para os advogados, como v��rios advogados reclamem o sistema. Raz��o s�� assim, por outro lado, ou papel assim de organiza����o dos dados. Mas n��o sejamos tudo f��sico ainda perdido, tanto de informa����o. Eu falo que o papel j�� fez o seu papel. Ent��o, um simples fato. Assim, ainda que seja ruim, est�� com menos de tudo finalizado, ela olha, n��s vivemos num pa��s e vinte e sete estados j�� andamos praticamente tudo. Alguns falta Amap�� e Tocantins, um grande a grande, sacada. O que realmente aconteceu? Que bacana demais? Foi um fato que ocorreu quando a implanta����o do processo judicial eletr��nico em todos os tribunais foi implementada. Hoje, todos s��o iguais nos processos judiciais eletr��nicos, ent��o o Brasil n��o �� uma Su����a entendida. S��o vinte e sete pa��ses, dentre um pa��s s��, com realidades completamente diferentes. Posso dizer porque fiz interlocu����o e ainda faz com que os diretores de todos os tribunais conhe��am, explodam perto, participem de eventos do ano com eles e outras pessoas acompanhem essa evolu����o do mercado. Eu sou sempre aquele advogado que chega no evento, pode criticar sempre a redu����o positiva construtiva, mas n��o pode dizer outro lado do balc��o que est�� errado e eu gosto. E eu acho que essa hist��ria poderia ser escrita de outra forma. Para sintetizar a minha maior cr��tica em rela����o ao processo judicial eletr��nico, o Simples foi criado como um sistema para poder executar todo o processo digital, ent��o era muito dif��cil Nice negociar com o juiz para poder dizer a namorada. S�� a rotina de trabalho vai mudar. Agora, vamos criar um sistema que fa��a com que voc�� altere o seu Rita de edi����o para n��o causar esse arrepio que poderia, de repente, impactar o projeto. O foco era como enfrentar uma secretaria, ent��o pensava em Os tribunais eram focados em todas as rotinas processuais ou porque um minist��rio ela ingressou na ��poca. Assim, temos que terminar com in��rcia de papel que ou papel imp��e uma in��rcia, porque era como as rotinas burocr��ticas aplicadas. S�� que o processo de petr��leo focou na secretaria em grande parte da hist��ria moral. Os processos tramitam mais rapidamente a secretaria chegar mais rapidamente conclus��o l�� ficam, Ent��o, doze anos depois que a lei entrou em vigor. O preju��zo no trabalho, da mesma forma como trabalha antes, est�� estressado. N��o criou uma solu����o de apoio, suporte desses ��rg��os, magistrados e, quem sabe, pode. Vim com intelig��ncia artificial, Ent��o, essa situa����o de muito conte��do, pouco processamento, pouco suporte para obter maior celeridade ainda n��o aconteceu e isso �� causa de um certo sabor porque foi decantado. Na ��poca que n��s, nos processos ainda mais r��pidos, isso acontece na semana para todo o mundo. O processo n��o est�� andando mais r��pido. O processo est�� andando da mesma forma e cada vez mais o Judici��rio est�� perdendo espa��o nos meios alternativos de solu����o de conflitos, isso �� fato, ent��o, por esse motivo �� que horas s��o confirmadas nessa situa����o e volta a entrar em uma rota de desempenho superior. Ou ent��o, esses m��todos alternativos de solu����o, de detec����o, de estar sempre mais espa��o, muito bacana, relacionados ao seu hist��rico de objetos, disseram l��, no in��cio muito bacana, em entender os bastidores, um momento muito interessante que empolgou muito. Aprendi muito sobre a minha vida, com direito e tal. gra��as a Deus, fomos at�� a pris��o e assim continua sendo. Voc�� come��ou a escrever no in��cio do epis��dio que voc�� n��o est�� no momento em que est�� aprendendo mais sobre sua vida. Agora voc�� mencionou isso de novo? Quais s��o os seus desafios atuais? Assim que est��? Por que voc�� l�� atualmente? Que se aprende hoje, que est�� buscando e para os pr��ximos anos, como, um momento, o que realmente est�� empolgando, mais, estudando a����o, sistema novo? Que prote����o de dados pessoais est�� tutela importante, que cidad��o tem que ter um assunto mundialmente hoje, um assunto em que temos duas grandes for��as do mercado internacional no grupo Estado Global, de um lado, como grandes empresas que dominam parte da arquitetura da internet. Outro lado, os governos, cada vez mais vinculado ao acesso �� jurisdi����o, ou seja, for��a de a����o alternativa por essa experi��ncia de participa����o da audi��ncia p��blica do WhatsApp, representa o OAB Federal, onde os fundadores do WhatsApp gera presidente. Mike, �� claro para mim, pois as grandes empresas querem dizer para os governos dos estados a seguir as horas que aplicam seus direitos, a beleza aplica-se, mas n��o o mundo presencial, porque esses espa��os aqui, aqui, aqui eu tenho um c��digo, ent��o fa��o como direito minha maneira. Eu estava fazendo um curso de internet em dois milh��es e um. Tive como professor os caras que eu acho fant��stico. Gl��ria celeste chegou inclusive a ser candidata ao presidente dos Estados Unidos nas ��ltimas elei����es, mas morreu nas primeiras prim��rias do Partido Democrata, que passou pelo seu livro cl��ssico chamado Deloitte Sabeis Pa��s. Ele tem uma frase que �� matadora que fala assim, ou seja, quem tem um c��digo na m��o que tem mais efici��ncia econ��mica para fazer altera����es do que quem tem lei em seu favor. Ent��o, por esse motivo, temos que mudar esse equil��brio e for��a. Agora estou vendo uma mudan��a em rela����o a isso. Tomara que isso aconte��a de fato, impulsionado por situa����es que ocorrem recentemente, que s��o ou de Assange, �� mais uma cama de anal��tica, fique aqui para quem n��o assistiu ainda para esse tipo de privacidade fant��stica, saqueado na ordem e ela manda todos eles quando assunto de dados, vazamento de dados, etc. Ent��o, esse �� o momento em que mais pessoas estudam sem aspecto mundial os problemas que s��o os mesmos como um dos pa��ses. O tema por muito tempo n��o ficou ��nico como objeto de questionamento na legisla����o, n��o chega atrasado a todos os nossos vizinhos aqui no consumo, �� exce����o do Paraguai, j�� tinha uma legisla����o sobre prote����o de dados pessoais. Tudo bem, se voc�� pegar uma legisla����o, uma primeira diretiva de inova����o e cinco na Uni��o Europeia, s�� trocar Madri por Buenos Aires teve facilidade, tem uma l��ngua a seu favor. Mas isso mostra como �� que as pessoas, como �� que isso representa, esse representa o assunto em rela����o a esse assunto? Em rela����o a esse tema? E como o tempo para poder finalizar? O europeu j�� tem uma cultura jur��dica para dar prote����o a dados? Desde noventa e cinco s��o quinze anos e a lei agora foi sancionada em agosto de dois mil dezoito. N��s temos dois anos em dois anos internos, retira ou atrasa em rela����es, conhecimento, essa maturidade para prote����o de dados. Ent��o essas mudan��as est��o ocorrendo nas for��as, mas as pessoas t��m que ver com calma. Eu vejo quantas pessoas j�� est��o colocando como doutores mentem e, por esse motivo, as pessoas t��m mais paci��ncia, por que essa �� uma grande oportunidade para os pr��ximos anos do Advocacia de Lad��rio de Edital Tive o prazer de receber a Viviane tamb��m, que falou sobre a Wikipedia em um trabalho fant��stico, falou palavras parecidas com o que voc�� est�� falando E se voc�� ainda n��o execute epis��dio, recomendo fortemente para discutir o epis��dio vinte e um aqui logo de La Hoya. Ela disse muito isso. N��o tem muita gente querendo e prestando consultoria em energia, pede m��e, poucas pessoas sabem. �� uma responsabilidade muito grande e n��o �� um habeas entendido, Querem ser, mas n��o s��o, Ent��o, voc�� deve humildade eu sou humilde, eu sou humilde porque eu quero aprender todo o dia e acho que falta muito disso. N��o sei se �� um elemento de gera����o ou que seja, mas j�� passei por diversas situa����es. Eu fico pensando em curso, j�� vendemos tr��s d��cadas de dedica����o �� ��rea que eu tenho um sujeito que est�� aqui em volta menos de um ano de composi����o, se houver, entrado, entregue, bem, trabalha bem, entendido, n��o desmerece n��o, mas mais humildade, porque n��s temos muito a aprender. Defender tamb��m a nossa gera����o defende a sua causa, conforme eu concordo, cinco brincando, mas algum c��digo, sim por cento com o que est�� trazendo? Eu acho que ao mesmo tempo, como n��o h�� mar em que poucas pessoas s��o analisadas como vezes quem tem um ano de experi��ncia pr��ximo a pessoas que n��o t��m ningu��m? Essas pessoas est��o se considerando mais experiente. Veja bem-estar e ��tica na forma de abordar isso. N��o sei. Eu acho que n��s sempre temos que lembrar que a profiss��o de advogado �� valorizada pelo tempo de experi��ncia que tem. Isso n��o muda o tempo do voo. Sola de sapato gasta ao longo do tempo. Entendeu isso a��, que realmente mostra a senioridade? N��o �� substitu��do assim, porque �� um ramo novo. Ningu��m estudou, ningu��m viu isso na faculdade, ent��o j�� estava lendo tr��s livros, fez um curso de nossa m��e, em S��o Paulo. No or��amento para l�� n��o �� assim, mas muitas vezes acredita nisso Deus e o pior agora para outro, aparece quinhentos mil de pior. Um brinquedinho de pergunte em algum lugar efetivamente teve uma experi��ncia de atua����o para candidata? Assim tem. Hora, rodada n��o, mas s��o feitas aqui certifica����o. Tudo bem. Ent��o, h�� uma oportunidade de neg��cio justo, mas a situa����o �� muito mais necess��ria. �� muito mais desafiador do que parece. Se voc�� tiver experimentado uma falta de experi��ncia para pensar em que tipo de experi��ncia, essa experi��ncia efetiva s�� ser�� poss��vel depois de agosto de dois mil e vinte. N��s estamos tendo v��rios problemas. N��s temos v��rios ��rg��os controladores que j�� est��o gerando multas, etc. Mas n��s n��o temos tempo de rodar ainda, pode-se dizer que perde em rela����o a essas a����es, esse �� o ponto que eu quero deixar como uma reflex��o muito legal. Alexandre, Gostei bastante de ter tido a oportunidade de conversar com voc��. Queria saber se voc�� tem algum conselho final para os colegas, advogados e ��s vezes informado, e tamb��m um advogado com escrit��rio pr��prio at�� o escrit��rio consolidado, mas atua em outra ��rea, mas ainda n��o est�� no segmento digital de que tem indica����o para essas pessoas tamb��m era a paci��ncia muito simples, nada acontece com a velocidade da Internet, ele se dedica a estudar todo o dia e, principalmente, voc�� pode mudar, n��o �� o que est�� acontecendo no Brasil, mas como tend��ncias que v��m de f��runs, meses depois Chegamos aqui saber lidar com informa����es desapegadas Papel �� um diferencial porque na minha ��rea se eu n��o trabalhar com papel todas as atividades, escrit��rio como j�� faz mais de dez anos, n��o tive o tempo rea����o r��pida �� decis��o, que, em caso de recurso, nossa ��rea, ent��o �� uma ��rea, suspeita falar porque est�� empolgado mesmo, gosto de que eu escolho e sinto cada dia que passa mais realizado no momento em que estamos passando. Mas �� isso Eu acho que o estudo mant��m constante a atualiza����o, n��o apenas o direito, mas todas as tend��ncias tecnol��gicas est��o surgindo, o que afeta o direito e o acidente de carro, dedicar, porque as coisas v��o acontecer. Mas com paci��ncia nos que somos e sucesso r��pido, podemos subir rapidamente r��pido. Eu acho que �� muito mais dif��cil manter o alcance. Ent��o, por esse motivo, aqui, como todos os ouvintes do Porto, n��o �� como Tr��ia come��ar a interessar mais a Fran��a digital, mas observada. Essas dicas que eu acho que s��o frutos de uma experi��ncia de vida ao longo de trinta e quatro anos. Muito obrigado. Alexandre. Foi um prazer ter recebido aqui. Disse l��, no in��cio que isso ou hist��rico. E eu n��o menti todos os ouvintes. Eu tenho certeza de que valeu bastante pena. O tempo que voc��s investiram aqui, agradecemos por exibir novamente pela audi��ncia. Se voc�� gostou do epis��dio, compartilhe tamb��m com outros colegas advogados que precisam ter acesso a esse conte��do. Se n��o �� f��cil para pessoas, produz esses conte��dos como entrou. Sobre essa parte, estamos finalizando uma grava����o. J�� estou preocupado com uma edi����o que as pessoas v��o ter que fazer com a transcri����o do epis��dio. Um trabalho que as pessoas gostam muito de fazer e se tiver agregado alguma forma, voc�� tamb��m fala com as pessoas nas redes sociais. Fala que coincide com Alexandre, com certeza. Vou advogar em todos os seus canais digitais. V��o fazer mais for��a potencial para os ouvintes que est��o em quest��o, acha que seus trabalhos s��o mais uma vez brilhantes que sigam nessa faixa, est��o preenchendo uma lacuna de debate sobre temas super contextualizados. O que �� raro, uma fonte de informa����o t��o qualificada com pessoas que tiveram a oportunidade de interagir aqui onde est��o meus amigos, muitas pessoas que eu sou admira o mesmo e isso n��o tinha essas ferramentas antes, ent��o mostra como gente conte��do de qualidade e Um trabalho que as pessoas gostam muito de fazer e se tiver agregado alguma forma, voc�� tamb��m fala com as pessoas nas redes sociais. Fala que coincide com Alexandre, com certeza. Vou advogar em todos os seus canais digitais. V��o fazer mais for��a potencial para os ouvintes que est��o em quest��o, acha que seus trabalhos s��o mais uma vez brilhantes que sigam nessa faixa, est��o preenchendo uma lacuna de debate sobre temas super contextualizados. O que �� raro, uma fonte de informa����o t��o qualificada com pessoas que tiveram a oportunidade de interagir aqui onde est��o meus amigos, muitas pessoas que eu sou admira o mesmo e isso n��o tinha essas ferramentas antes, ent��o mostra como gente conte��do de qualidade e Um trabalho que as pessoas gostam muito de fazer e se tiver agregado alguma forma, voc�� tamb��m fala com as pessoas nas redes sociais. Fala que coincide com Alexandre, com certeza. Vou advogar em todos os seus canais digitais. V��o fazer mais for��a potencial para os ouvintes que est��o em quest��o, acha que seus trabalhos s��o mais uma vez brilhantes que sigam nessa faixa, est��o preenchendo uma lacuna de debate sobre temas super contextualizados. O que �� raro, uma fonte de informa����o t��o qualificada com pessoas que tiveram a oportunidade de interagir aqui onde est��o meus amigos, muitas pessoas com quem sou eu admiro o mesmo e isso n��o tinha essas ferramentas antes, ent��o mostra como gente conte��do de qualidade e com certeza. Vou advogar em todos os seus canais digitais. V��o fazer mais for��a potencial para os ouvintes que est��o em quest��o, acha que seus trabalhos s��o mais uma vez brilhantes que sigam nessa faixa, est��o preenchendo uma lacuna de debate sobre temas super contextualizados. O que �� raro, uma fonte de informa����o t��o qualificada com pessoas que tiveram a oportunidade de interagir aqui onde est��o meus amigos, muitas pessoas com quem sou eu admiro o mesmo e isso n��o tinha essas ferramentas antes, ent��o mostra como gente conte��do de qualidade e com certeza. Vou advogar em todos os seus canais digitais. V��o fazer mais for��a potencial para os ouvintes que est��o em quest��o, acha que seus trabalhos s��o mais uma vez brilhantes que sigam nessa faixa, est��o preenchendo uma lacuna de debate sobre temas super contextualizados. O que �� raro, uma fonte de informa����o t��o qualificada com pessoas que tiveram a oportunidade de interagir aqui onde est��o meus amigos, muitas pessoas com quem sou eu admiro o mesmo e isso n��o tinha essas ferramentas antes, ent��o mostra como gente conte��do de qualidade e

Alexandre:   0:00
Se voc�� usar bem, se voc�� tiver uma boa apar��ncia, se voc�� tiver uma boa postura, n��o haver�� porque voc�� simplesmente girar�� as costas para uma presen��a on-line adequada. custo dizer aqui, o mundo digital �� uma reprodu����o do mundo presencial. S�� que com uma diferen��a tudo ou que ocorre l�� �� potencialmente maior, seja para o bem, seja para o mal. Ent��o, por exemplo, se algu��m encontrar um advogado hoje, que nenhum momento em que algu��m far�� uma busca com o nome dele na ferramenta de busca do Google e n��o tiver uma rever��ncia interessante para falar, ou para uma coisa que est�� sendo criada, tem que chegar a refer��ncia por outro meio, porque depois do m��nimo que o advogado pode ter, uma preocupa����o �� a primeira parte da empresa de busca do Google, apenas com refer��ncias, nem outras ou positivas. E aqueles que esquecem e deixam uma refer��ncia negativa falsa, ofensiva, pior ainda. Agora, com essas estrelinhas que existem ranqueamento, ent��o, como as pessoas n��o percebem que s��o situa����es, essas solu����es s��o perigosas com uma intensidade m��xima di��ria para qualquer excesso de liberdade de express��o que possa ser enfrentada durante os ��ltimos trinta e quatro anos. Formado, eu posso dizer para voc�� que aprendeu o quanto mais r��pido as pessoas reais, menos risco A gente vai ter. Ent��o, nosso escrit��rio trabalha para n��o deixar que um fato se transforme numa crise e porque algu��m sabe que a maioria dos enfrentamentos incidentes que acontecem na internet t��m um atraso e desordem na Internet. Isso mostra que as pessoas n��o est��o preparadas para esse tipo de situa����o, mas complementam toda a quest��o quando tiveram a virada do s��culo, ent��o houve uma mudan��a. A mudan��a se deu porque fugiu no mercado nessa ��poca. Em dois mil, final do ano, segundo semestre provedores com acesso gratuito �� internet. Ent��o, come��ou a formar mercado e n��o come��ou a formar o mercado n��o �� o n��mero. Vou que vai crescer mais gente. Uma sess��o ainda que seja uma internet discada como naquela ��poca, mas ser�� interessante em cima desse mercado criar servi��os e obviamente os servi��os geram problemas. Os problemas s��o jur��dicos e a interface com v��rios ramos. Rela����o de consumo criminal, direitos de imagem que s��o, e nesse momento �� um divisor de ��guas do direito digital. Ele passa a formar esse recurso multifacetado multidisciplinar que prepondera hoje cada vez mais. E hoje, assim como um escrit��rio pode, ele pode come��ar a atuar nessa ��rea. E como o escrit��rio pode adquirir mais clientes? Na ��rea de direito digital, atua na ��rea de muitos escrit��rios que vem direto de tal. Como uma situa����o muito simpl��ria, encontra-se aqui Rousseff se h�� v��rias ��reas h�� muito tempo no direito digital, agora oportunidade de mercado e tal. Quem sabe isso pode trazer uma receita para escrit��rios e muitas vezes, at�� porque tem uma carteira de clientes boa. Ele at�� usa o resultado inicial, mas chega um momento em que as crian��as saem da sala, mas n��o consegue entrar no n��vel de profundidade do assunto, medidas sugeridas para uma consultoria para o poder explicar solu����es barra de ferramentas tecnol��gicas. Ent��o, respondendo �� pergunta �� necess��rio que o escrit��rio busque talentos no mercado que j�� vem com Denny focado tanto quanto direito quanto a tecnologia. N��o h�� como voc�� enfrentar situa����es, seja nos tribunais, mas principalmente em consultoria. Se voc�� n��o tiver interesse em discutir diariamente para poder aprofundar nessas quest��es legais e tecnol��gicas, e uma outra quest��o que me chama aten����o aqui Assim, por que voc�� enviou anteriormente e me corrija se tiver cumprido, liderado, mas eu estou abaixo at�� ent��o o direito digital como se fosse um bra��o ali de todas as outras ��reas. O delito de direito �� revis��o ser�� um bra��o do direito social, mas estar�� tratando de rela����es sociais na Internet. Rela����es Contratuais na Internet Voc�� considera essencial o profissional especialista em direito digital, al��m de aprender essas outras ��reas. Ele tamb��m espera nessas ��reas, porque n��o �� o caso contr��rio, o que era uma pessoa que sabe muito sobre a Internet, mas ela n��o tem ele, o conhecimento jur��dico, os advogados, ele �� especialista especialista nessa hora, tem toda a raz��o. Engana se quem pensa o contr��rio. �� necess��rio que uma pessoa que tenha um talento especial para estudar os problemas jur��dicos que esteja ocorrendo no meio digital tenha a possibilidade de contextualizar os problemas dentro da legisla����o existente. O que direito de advogado e tal faz muito bem ao bom advogado de direito digital. Ele analisa o fato e contextualiza diretamente. N��o h�� lei j�� existente, muito onde a Internet muitas vezes e falou por a�� a lei aqui amb��gua. Ela tamb��m pode ser aplic��vel. N��o apenas no mundo presidencial, como foi previsto na ��poca em que foi sancionada, mas tamb��m no mundo digital. Ent��o, ele precisa sim. N��o existe essa quest��o de sou totalmente cem por cento digital. Pera��, n��o �� assim que funciona. O que funciona no Direito Digital, atua na ��rea de direito digital, porque eu sei como contextualizar os problemas sociais a partir das empresas que atuam na Internet. Mas eu tenho que ter uma base de conhecimento social, de contratos, de rela����o de consumo na linha de crimes cibern��ticos. Ent��o, coordenei, durante dez anos, uma p��s-gradua����o em S��o Paulo. Qual o objetivo que eu queria justamente, criar um conte��do program��tico Aplicar temas desses ramos tradicionais de direitos que n��o s��o tratados na faculdade? Ent��o, como �� que foi montada o recurso? Isso j�� foi justamente os pontos. Como �� que as pessoas t��m que come��ar a se preocupar com isso? Por mais que d�� provas, agora se estuda provas eletr��nicas digitais, mas d�� contratos analisa. A quest��o da manifesta����o de vontade com contratos s��o mais, mas d�� direito ao consumidor. Ent��o saiba tudo sobre a rela����o de consumo online. N��o v�� que �� uma extens��o da ��rea tradicional. Eu n��o me preocupo muito. Sabe ci��ncia que �� um, �� um subproduto da ��rea tradicional ou �� um ramo. Uma parte n��o �� com essas coisas que eu quero dizer para os que est��o ouvindo, nos escutamos, e se voc�� n��o consegue encontrar o que �� o seu conhecimento avan��ado sobre os problemas tecnol��gicos. Se voc�� n��o entender o processo civil e ter que defender uma a����o relacionada ao licenciamento de software Amanda Ent��o, engane-se quem fica meio que inebriado com essas quest��es tecnol��gicas e um diferencial. Mas �� um diferencial que ser�� revelado quando for contextualizado com o ramo tradicional direito. Isso faz diferen��a e qual a velocidade com quais s��o as tend��ncias, nesse mercado para o futuro. Assim, pegando toda a evolu����o, diz que voc�� come��ou a atuar e trinta e quatro anos, at�� hoje tem diferen��a ou que acha que come��a cinco anos h�� dez anos? Muitas coisas mudaram. Como eu disse durante muito tempo as pessoas praticamente deduzem quest��es de licenciamento de software, come��ando por a��. O uso n��o autorizado de imagem e era muito chato, at�� porque era muito restrito. Eu acho que tamb��m tem faculdade, foi oitenta e dois, tempo, trinta e oito anos. Eu acho que um dia �� um de todos os ramos do direito que entra com essa ��rea j�� vinha, inclusive como acusa����es de prote����o de dados que acontecem atr��s. Mas o Brasil foi muito lento nessa mudan��a. Voc�� tem ideia, n��s somos senten��a. Os pa��ses do mundo que possuem lei de prote����o de dados pessoais, sendo que hoje j�� temos cento e vinte pa��ses. Ent��o, a mudan��a come��ou a ocorrer, principalmente a partir do divisor de ��guas que eu falei e a�� a situa����o na medida em que o p��blico da internet vai sofrer altera����es, os problemas v��o cair e as ofertas de servi��os para os advogados tamb��m. Ent��o, veja, n��s vimos numa crescente, mas prescindindo de alguns marcos legais, esses marcos acontecem. A gente sabe lidando diariamente com v��rios problemas jur��dicos que existem em grandes lacunas que at�� ent��o eram uma lei de prote����o de dados pessoais. O dado no Brasil n��o teve nenhuma prote����o, embora alguns direitos sejam aplicados e sejam, N��s somos t��o dependentes dessa lei de prote����o de dados pessoais para resolver problemas. Existe uma Constitui����o quando se viu, quando o consumidor, al��m da crian��a e do adolescente, isso �� aplicado. No entanto, estamos passando por um impulso que nunca existir��. E uma tend��ncia futura, sem meu ponto de vista, �� enxergar ou mundo, como sendo um local onde o processamento de dados s�� vai crescer. O tratamento de dados s�� vai crescer porque estamos passando por diversos exemplos de corrup����o. E a�� voc�� tem algumas for��as tecnol��gicas que est��o vindo por a��. Hoje estamos prestando consultoria para algumas empresas estrangeiras de ponta, l��der de mercado em cinco, que eu acho que vai ser uma revolu����o absurda em termos de uso da internet, pela velocidade, pelo fato de uma pessoa ter uma lat��ncia m��nima em termos de acesso a dados e, por outro lado, isso tamb��m ir�� impulsionar ou acessar a Internet das coisas al��m da intelig��ncia artificial. Ent��o pega esses tr��s itens para poder dizer como �� poss��vel, gra��as a Deus, a demanda de servi��os nessa ��rea de direito digital, como as pessoas realmente investem nisso, ter talento para criar talento para poder lidar com essa ��rea. Ent��o as oportunidades s��o boas. Agora eu quero deixar aqui bem registrado. Uma coisa que eu sou da ��poca em que digita, j��ris, procedimento de jurisprud��ncia no computador, meu pai chega �� tribuna e fala para o desembargador que j�� tinha sido julgado como assado em determinado assunto e pulava da cadeira Sou da ��poca que um desembargador ligava a gente um banco Primeiro pelo escrit��rio do Brasil, que tem um banco de dados, jurisprud��ncia ligar para mim para o ch��o, tirando seu computador. Todos os meus votos de responsabilidade civil, ela imprimia neurol��gica setecentos e vinte matricial. Entregava ele pelo poder estudar, porque o pr��prio tribunal n��o tinha isso. Ent��o, uma lei para caramba, em termos de pesquisa, estudo, tudo mais. Hoje eu vejo o pessoal em regra, est�� ��bvio que tem exce����es em uma zona de conforto absurdo, entendeu? Hoje existe uma maneira de seguir o caminho para encontrar o seguinte para o meu vade mexer com minha forma de usar a ferramenta de busca do google ponto Entender pelo amor de Deus? Deu assim. Isso a�� pode ser o limite de uma pesquisa, um estudo para um advogado que realmente deseja desassociar sua ��rea. Eu continuo compreendendo o livro todo dia. Gra��as a Deus, uma pessoa tem uma biblioteca do escrit��rio por volta de mil livros na ��rea de edital brasileiro estrangeiro e tenta motivar a minha aqui para poder tamb��m unificar na base operacional, para poder aprender. Ent��o essa sede de sabre ela sempre acompanha um advogado jovem que era interessado na pol��cia porque eu acho que tem muita coisa boa para mim por l��. Mas o sucesso tem que ver com muita paci��ncia. Existe uma falha na compreens��o do que essas coisas, todas as r��pidas, o que acontece na internet, tamb��m passam r��pido, sucesso, r��pido, ganho, dinheiro em rela����o �� carreira de advogado que n��o pode ser praticado nessa armadilha. Tudo �� constru��do, tijolo por tijolo. Passo a passo �� um exerc��cio de paci��ncia. Quem n��o �� paciente, n��o pode ser revogada. Ent��o pense como as coisas v��o acontecer para o bem. Mas como, com muita perseveran��a com muita dedica����o, porque sempre o papel do advogado n��o encontra o bot��o de abertura, colocar uma informa����o sobre o seu perfil na internet est�� tudo resolvido. Ent��o, at�� porque o curr��culo das pessoas na internet hoje n��o �� apenas o que elas falam, mas, principalmente, o respeito dos coment��rios do terceiro, que fala sobre o respeito dela e, muitas vezes, a Internet guarda estranhas. Eu acho que mais do que falar hoje tamb��m �� muito ruim se tudo estiver exposto, uma quest��o que algu��m defende muito aqui na Flona. Aqui, na fila da noite gosta muito de produzir conte��do at�� que ele possa, quem tem um blog e quem sabe valorizar muito, sabe tamb��m acho que eu tamb��m considero um conte��do, o seu trabalho que d�� para voc�� ter id��ia de que eu fui o cara que em dois e quatro meses, criou o primeiro bloco jur��dico no Brasil chamado Direito ��s novas tecnologias. Ent��o, n��s somos um gerador de conte��do de v��rias formas e valorizamos muito como voc��s fazem esse trabalho, porque n��o �� f��cil nem um pouco f��cil. Obrigado pelas palavras e voc�� �� um dos blocos que eu personalizo, sempre acompanhei E que eu vi ou que realmente criam blogs, cria um ponto que as pessoas criam como iniciativas que as pessoas fazem aqui. N��o falou, por exemplo, os resultados. Eles s��o de longo prazo e eu vejo muitas pessoas buscando mais clientes, sempre no curto prazo. Ent��o voc�� vai investir um milh��o de reais. Ele me anuncia no Instagram no Facebook fazer tudo completo assim, autom��tico, Tudo assim abertura. O bot��o resolver, mas o fator humano �� fundamental. �� dif��cil gente assim conseguir. �� importante que as pessoas pensem em solu����es curtas, prazos e armazenamentos que v��o conseguir fazer com isso, com certeza tamb��m. Mas �� muito importante que as pessoas pensem no longo prazo, no longo prazo e no escopo de voc��, Alecsandro vez que voc�� tem uma vis��o ao mesmo tempo pragm��tica desse lado, que vamos com calma, como coisas que exigem um tempo, apenas que ao mesmo tempo de uma vez com uma vis��o t��o otimista para o direito. Assim, nos pr��ximos anos pr��ximos, sociais, vamos ter v��rias oportunidades. Sou otimista porque �� porque eu trabalho muito. Quem fica recuperando o tempo na vida �� porque n��o se dedica tanto a quem est�� pegando pesado. Isso �� que faz. As pessoas v��em que as oportunidades est��o surgindo, ent��o nas portas abertas, mas que voc�� tem que ser perseverante, que acredita que os resultados s��o alcan��ados, mas nada t��o instant��neo como as mudan��as tecnol��gicas da Internet. Estou pensando em seguir que eu tamb��m sou otimista. S�� que como �� que vai ser otimista com tanto faculdade de direito no pa��s com essa concorr��ncia gigante e tamb��m com o mesmo tempo com pessoas falando que os advogados v��o ser substitu��dos por filtros que podem ver sobre essas coisas que s��o comuns, como as pessoas diz Olha primeiro, n��mero de advogados que existem na Faculdade de Direito. H�� um m��s atr��s, conversei no Conselho Federal da OAB em Bras��lia, com o subsecret��rio geral do Today Are Adiante. Indie. Pautou um assunto que era apenas o mercado de advogados que pode incluir, se lan��ar no mercado agora, a vigil��ncia da lei de prote����o de dados pessoais. Porque eu imagino que vai surgir um contencioso muito grande em rela����o a isso. Um t��quete premiado, porque houve desvio dos dados pessoais de uma pessoa, vai ser algo muito mais potencializado ou acontecido quando foi encontrado em mil novecentos e noventa com entrada em vigor no consumidor. Ent��o, isso vai ter um impacto muito grande e ele disse que essa oportunidade. Alexandre Hoje, da OAB, conhece, ajudou, ajudou a montar o Cadastro Nacional de Advogados. Na ��poca, coordena uma grande equipe no departamento de TI. E hoje eles t��m um milh��o, milh��es de advogados. S�� que e esse n��mero se n��o �� impressionante. Impressionante taxa de crescimento, que faixa de vinte e cinco a trinta por cento por ano. Ent��o, est��o para um neg��cio desse tipo. N��o existe uma classe profissional do mundo. S�� fica uma d��vida no meio da ��ndia. Tenho minhas d��vidas sobre o n��mero de advogados, como tem ideia, o mercado de certificado digital, hoje emitido apenas pela OAB j�� est�� chegando a setecentos e cinquenta mil advogados, o juiz o Brasil, por exemplo, hoje j�� deve ter cerca de novecentos mil advogados, sete por cento. Parece ser a advocacia brasileira, hoje o p��blico pagante do jogo Brasil e ent��o essas quest��es. Mas em compensa����o, o segundo grande n��mero de quatrocentos e cinquenta mil advogados que est��o ganhando para pagar como contas. Ent��o, por que isso acontece? Porque as pessoas n��o podem ficar na vala comum, entendeu? Elas t��m alguma solu����o diferenciada. N��s temos aqui uma dica de economia e n��s temos uma s��rie de alternativas de mercado que n��o fazem reembolso completo ou exerc��cio de advocacia. A forma de ganhar dinheiro advocacia, nos pr��ximos anos �� mudar. Como j�� mudou mais ainda. Radicalmente isso que as pessoas t��m que saber. Tem que entender o caminho do modelo de neg��cio, o caminho que isso gera. Ent��o, minha preocupa����o de quem n��o caiu nessa vala comum em rela����o ao segundo ponto. A sua pergunta sobre a m��quina vai substituir um advogado? Eu n��o concordo com essa forma, n��o sei como estudar um assunto de intelig��ncia artificial. Inclusive, j�� que a arte Vital coloca muito bem minha posi����o no respeito. Eu acho que os sistemas de intelig��ncia artificial t��m talentos que os humanos n��o t��m. Os humanos t��m talentos que os sistemas de intelig��ncia oficial n��o t��m. Ent��o, quem fala que n��o vai matar o outro eu n��o concorda e acha que pagina����o para ver se um dia essa situa����o vai reverter. Eu acho que o melhor dos mundos que a gente vai seguir daqui para frente �� a somat��ria desses dois talentos em busca de algum resultado, mas n��o achando que uma coisa n��o substitui outra, ningu��m vai achar que vai dar uma senten��a. Automaticamente j�� pode usar intelig��ncia artificial, por exemplo, com suporte a suporte de decis��o decidido, com base na predi����o de votos de tend��ncia com que ele j�� �� jogado, ou com agora efetivamente isso nunca ser�� um ato isolado, automatizado, sem interven����o humano para poder fazer uma valida����o final, Ent��o, h�� muito ru��do. H�� muitas bases em rela����o a essas a����es, que eu acho que as pessoas t��m que botar um pouco de term��metro na realidade de um ano. �� bom que esteja falando sobre isso. De outro, fala muito sobre tecnologia, mais pr��tica, e pouco nossa. Se for pegar, Ent��o, em rela����o a esses assuntos e a intelig��ncia artificial, acho que tem muita fuma��a para pouco fogo. At�� porque n��o existe tecnologia suficiente para fazer tudo o que as pessoas dizem. N��o existe um ��ndice de felicidade, talvez uma empresa que tenha uma banda de atendimento jur��dico, do Brasil, que saiba o mundo que �� o jogo Brasil e a conven����o no campo pessoal de l��. Um dia depois de mais seis n��o investir em intelig��ncia artificial. A resposta foi simples aqui, o pessoal acha que um editor de intelig��ncia artificial ��, de ter. Se chegar jogo texto l�� e pronto, o computador vai ter um sistema cognitivo. Vai, aprendi tal. Est�� tudo resolvido n��o apenas no Brasil, mas outros amigos que tamb��m tiveram a oportunidade de fazer sistemas de intelig��ncia artificial no Supremo. Ent��o, revelamos que temos hoje o dado sem sentido bruto. Mas �� necess��rio fazer diversas marca����es em uma linguagem figurada. Eu diria para voc��s que temos hoje o pr��-sal. Entendeu? Ent��o, o dado �� o pr�� sal. E n��s precisamos fazer o tratamento de diversas camadas, marca����es e tal para poder virar dados a informa����es da somat��ria da informa����o, conhecimento e somat��ria do conhecimento. A sabedoria, ent��o fa��a o pr��-sal, at�� virar petr��leo, e um longo caminho que as pessoas est��o abrindo rapidamente que �� interessante. O Brasil tem o maior n��mero de gdapa jur��dicos do mundo. N��o existe nenhum pa��s do mundo que inicie e tr��s tribunais produzam todas as suas decis��es j�� em andamento, formato digital, por uma mat��ria prima. Agora a intelig��ncia artificial vai chegar em dois tempos, vai resolver tudo. Cad�� o estado? Porque o dado n��o �� estruturado de forma adequada e, se tiver isso, leva tempo e exige bra��o, por isso os resultados ainda n��o aparecem. Mas vai parecer que voc�� teve uma grande parte para fazer com que os tribunais tivessem tudo isso, informa uma entidade. O rapaz foi uma experi��ncia profissional fant��stica, porque desde a primeira reuni��o de discuss��o que representa a lei federal da OAB sobre o processo eletr��nico do projeto de lei. Ainda �� interessante falar sobre um aspecto hist��rico aqui, que talvez tenha poucas pessoas que, inclusive, est�� muito bem narrado em outro livro, que eu fiz em dois mil e dez, que �� coment��rios al��m do processo eletr��nico. Quando eu conto toda a hist��ria, como surgiu o processo judicial eletr��nico? Eu tenho um relacionamento com toda a forma detalhada, que eu participo de tudo como negociador da, definindo como prerrogativas do advogado em diversas rodadas de negocia����o e tamb��m depois de ocupar uma cadeira no CNJ, perante a Comiss��o de Regulamenta����o do Processo de Sa��de, ou o processo judicial eletr��nico nascido apenas com poucas funcionalidades. A primeira vers��o era protocolo, distribui����o e publica����o de atos. Apenas isso a�� na vers��o a seguir, solu����o, n��o vai encarar o que vai fazer um projeto diferente. Fa��a um sistema que permita automatizar todas as etapas processuais. A distribui����o at�� o tr��nsito em julgado. E a��, brasileira �� usada em termos de tecnologia da informa����o. Sempre foi lan��ado, depois de renda, uma s��rie de testes assim e j�� foi levantado em uma nave que d�� sem nenhuma refer��ncia a ela, que viajou na ��poca pela OAB Federal, era o presidente da Comiss��o de Direito de Tecnologia durante dez anos . Ent��o, tive uma oportunidade, uma Espanha, uma autoria para o Canad��. Tudo fazendo pesquisa para um livro, inclusive, teve que Portugal e vi que nenhum desses tinha um projeto t��o usado quando o Brasil quisesse enfrentar uma situa����o sem refer��ncia internacional, criar um sistema que pudesse fazer com que as pr��ticas processuais pelo meio eletr��nico foram assim o novo padr��o. N��o pagamos um pre��o alto por isso, mas o resultado �� positivo, mas ainda h�� muita coisa para mim. Eu sou muito cr��tico, em v��rios aspectos relacionados �� implanta����o do processo de sa��de, entrou no Brasil. Isso se deve muito ao fato de que o judici��rio poderia dialogar muito melhor com todos os roedores do mercado. Mas ele n��o dialoga ainda no Judici��rio. Muitas vezes ele entendeu que houve uma altera����o na informa����o do Judici��rio para a informa����o da justi��a. Faz muita diferen��a antes dessa informa����o de informa����o do Judici��rio, porque �� isso. O departamento est�� preocupado em resolver problemas do tribunal, usando a inform��tica. Depois da lei, uma informa����o da Justi��a tem que informar como pr��ticas processuais n��o somente no tribunal, mas o advogado do Minist��rio P��blico da Advocacia P��blica de certa forma. S�� que eles n��o estavam acostumados a ouvir como pessoas e, por esse motivo, os sistemas n��o saiam ou ainda n��o est��o totalmente com interface adequada para os advogados, como v��rios advogados reclamem o sistema. Raz��o s�� assim, por outro lado, ou papel assim de organiza����o dos dados. Mas n��o sejamos tudo f��sico ainda perdido, tanto de informa����o. Eu falo que o papel j�� fez o seu papel. Ent��o, um simples fato. Assim, ainda que seja ruim, est�� com menos de tudo finalizado, ela olha, n��s vivemos num pa��s e vinte e sete estados j�� andamos praticamente tudo. Alguns falta Amap�� e Tocantins, um grande a grande, sacada. O que realmente aconteceu? Que bacana demais? Foi um fato que ocorreu quando a implanta����o do processo judicial eletr��nico em todos os tribunais foi implementada. Hoje, todos s��o iguais nos processos judiciais eletr��nicos, ent��o o Brasil n��o �� uma Su����a entendida. S��o vinte e sete pa��ses, dentre um pa��s s��, com realidades completamente diferentes. Posso dizer porque fiz interlocu����o e ainda faz com que os diretores de todos os tribunais conhe��am, explodam perto, participem de eventos do ano com eles e outras pessoas acompanhem essa evolu����o do mercado. Eu sou sempre aquele advogado que chega no evento, pode criticar sempre a redu����o positiva construtiva, mas n��o pode dizer outro lado do balc��o que est�� errado e eu gosto. E eu acho que essa hist��ria poderia ser escrita de outra forma. Para sintetizar a minha maior cr��tica em rela����o ao processo judicial eletr��nico, o Simples foi criado como um sistema para poder executar todo o processo digital, ent��o era muito dif��cil Nice negociar com o juiz para poder dizer a namorada. S�� a rotina de trabalho vai mudar. Agora, vamos criar um sistema que fa��a com que voc�� altere o seu Rita de edi����o para n��o causar esse arrepio que poderia, de repente, impactar o projeto. O foco era como enfrentar uma secretaria, ent��o pensava em Os tribunais eram focados em todas as rotinas processuais ou porque um minist��rio ela ingressou na ��poca. Assim, temos que terminar com in��rcia de papel que ou papel imp��e uma in��rcia, porque era como as rotinas burocr��ticas aplicadas. S�� que o processo de petr��leo focou na secretaria em grande parte da hist��ria moral. Os processos tramitam mais rapidamente a secretaria chegar mais rapidamente conclus��o l�� ficam, Ent��o, doze anos depois que a lei entrou em vigor. O preju��zo no trabalho, da mesma forma como trabalha antes, est�� estressado. N��o criou uma solu����o de apoio, suporte desses ��rg��os, magistrados e, quem sabe, pode. Vim com intelig��ncia artificial, Ent��o, essa situa����o de muito conte��do, pouco processamento, pouco suporte para obter maior celeridade ainda n��o aconteceu e isso �� causa de um certo sabor porque foi decantado. Na ��poca que n��s, nos processos ainda mais r��pidos, isso acontece na semana para todo o mundo. O processo n��o est�� andando mais r��pido. O processo est�� andando da mesma forma e cada vez mais o Judici��rio est�� perdendo espa��o nos meios alternativos de solu����o de conflitos, isso �� fato, ent��o, por esse motivo �� que horas s��o confirmadas nessa situa����o e volta a entrar em uma rota de desempenho superior. Ou ent��o, esses m��todos alternativos de solu����o, de detec����o, de estar sempre mais espa��o, muito bacana, relacionados ao seu hist��rico de objetos, disseram l��, no in��cio muito bacana, em entender os bastidores, um momento muito interessante que empolgou muito. Aprendi muito sobre a minha vida, com direito e tal. gra��as a Deus, fomos at�� a pris��o e assim continua sendo. Voc�� come��ou a escrever no in��cio do epis��dio que voc�� n��o est�� no momento em que est�� aprendendo mais sobre sua vida. Agora voc�� mencionou isso de novo? Quais s��o os seus desafios atuais? Assim que est��? Por que voc�� l�� atualmente? Que se aprende hoje, que est�� buscando e para os pr��ximos anos, como, um momento, o que realmente est�� empolgando, mais, estudando a����o, sistema novo? Que prote����o de dados pessoais est�� tutela importante, que cidad��o tem que ter um assunto mundialmente hoje, um assunto em que temos duas grandes for��as do mercado internacional no grupo Estado Global, de um lado, como grandes empresas que dominam parte da arquitetura da internet. Outro lado, os governos, cada vez mais vinculado ao acesso �� jurisdi����o, ou seja, for��a de a����o alternativa por essa experi��ncia de participa����o da audi��ncia p��blica do WhatsApp, representa o OAB Federal, onde os fundadores do WhatsApp gera presidente. Mike, �� claro para mim, pois as grandes empresas querem dizer para os governos dos estados a seguir as horas que aplicam seus direitos, a beleza aplica-se, mas n��o o mundo presencial, porque esses espa��os aqui, aqui, aqui, aqui, eu tenho um c��digo, ent��o fa��o como direito da minha maneira. Eu estava fazendo um curso de internet em dois milh��es e um. Tive como professor os caras que eu acho fant��stico. Gl��ria celeste chegou inclusive a ser candidata ao presidente dos Estados Unidos nas ��ltimas elei����es, mas morreu nas primeiras prim��rias do Partido Democrata, que passou pelo seu livro cl��ssico chamado Deloitte Sabeis Pa��s. Ele tem uma frase que �� matadora que fala assim, ou seja, quem tem um c��digo na m��o que tem mais efici��ncia econ��mica para fazer altera����es do que quem tem lei em seu favor. Ent��o, por esse motivo, temos que mudar esse equil��brio e for��a. Agora estou vendo uma mudan��a em rela����o a isso. Tomara que isso aconte��a de fato, impulsionado por situa����es que ocorrem recentemente, que s��o ou de Assange, �� mais uma cama de anal��tica, fique aqui para quem n��o assistiu ainda para esse tipo de privacidade fant��stica, saqueada na ordem e ela manda todos eles quando assunto de dados, vazamento de dados, etc. Ent��o, esse �� o momento em que mais pessoas estudam sem aspecto mundial os problemas que s��o os mesmos como um dos pa��ses. O tema por muito tempo n��o ficou ��nico como objeto de questionamento na legisla����o, n��o chega atrasado a todos os nossos vizinhos aqui no consumo, �� exce����o do Paraguai, j�� tinha uma legisla����o sobre prote����o de dados pessoais. Tudo bem, se voc�� pegar uma legisla����o, uma primeira diretiva de inova����o e cinco na Uni��o Europeia, s�� trocar Madri por Buenos Aires teve facilidade, tem uma l��ngua a seu favor. Mas isso mostra como �� que as pessoas, como �� que isso representa, esse representa o assunto em rela����o a esse assunto? Em rela����o a esse tema? E como o tempo para poder finalizar? O europeu j�� tem uma cultura jur��dica para dar prote����o a dados? Desde noventa e cinco s��o quinze anos e a lei agora foi sancionada em agosto de dois mil dezoito. N��s temos dois anos em dois anos internos, retira ou atrasa em rela����es, conhecimento, essa maturidade para prote����o de dados. Ent��o essas mudan��as est��o ocorrendo nas for��as, mas as pessoas t��m que ver com calma. Eu vejo quantas pessoas j�� est��o colocando como doutores mentem e, por esse motivo, as pessoas t��m mais paci��ncia, por que essa �� uma grande oportunidade para os pr��ximos anos do Advocacia de Lad��rio de Edital Tive o prazer de receber a Viviane tamb��m, que falou sobre a Wikipedia em um trabalho fant��stico, falou palavras parecidas com o que voc�� est�� falando E se voc�� ainda n��o execute epis��dio, recomendo fortemente para discutir o epis��dio vinte e um aqui logo de La Hoya. Ela disse muito isso. N��o tem muita gente querendo e prestando consultoria em energia, pede m��e, poucas pessoas sabem. �� uma responsabilidade muito grande e n��o �� um habeas entendido, Querem ser, mas n��o s��o, Ent��o, voc�� deve humildade eu sou humilde, eu sou humilde porque eu quero aprender todo o dia e acho que falta muito disso. N��o sei se �� um elemento de gera����o ou que seja, mas j�� passei por diversas situa����es. Eu fico pensando em curso, j�� vendemos tr��s d��cadas de dedica����o �� ��rea que eu tenho um sujeito que est�� aqui em volta menos de um ano de composi����o, se houver, entrado, entregue, bem, trabalha bem, entendido, n��o desmerece n��o, mas mais humildade, porque n��s temos muito a aprender. Defender tamb��m a nossa gera����o defende a sua causa, conforme eu concordo, cinco brincando, mas algum c��digo, sim por cento com o que est�� trazendo? Eu acho que ao mesmo tempo, como n��o h�� mar em que poucas pessoas s��o analisadas como vezes quem tem um ano de experi��ncia pr��ximo a pessoas que n��o t��m ningu��m? Essas pessoas est��o se considerando mais experiente. Veja bem-estar e ��tica na forma de abordar isso. N��o sei. Eu acho que n��s sempre temos que lembrar que a profiss��o de advogado �� valorizada pelo tempo de experi��ncia que tem. Isso n��o muda o tempo do voo. Sola de sapato gasta ao longo do tempo. Entendeu isso a��, que realmente mostra a senioridade? N��o �� substitu��do assim, porque �� um ramo novo. Ningu��m estudou, ningu��m viu isso na faculdade, ent��o j�� estava lendo tr��s livros, fez um curso de nossa m��e, em S��o Paulo. No or��amento para l�� n��o �� assim, mas muitas vezes acredita nisso Deus e o pior agora para outro, aparece quinhentos mil de pior. Um brinquedinho de pergunte em algum lugar efetivamente teve uma experi��ncia de atua����o para candidata? Assim tem. Hora, rodada n��o, mas s��o feitas aqui certifica����o. Tudo bem. Ent��o, h�� uma oportunidade de neg��cio justo, mas a situa����o �� muito mais necess��ria. �� muito mais desafiador do que parece. Se voc�� tiver experimentado uma falta de experi��ncia para pensar em que tipo de experi��ncia, essa experi��ncia efetiva s�� ser�� poss��vel depois de agosto de dois mil e vinte. N��s estamos tendo v��rios problemas. N��s temos v��rios ��rg��os controladores que j�� est��o gerando multas, etc. Mas n��s n��o temos tempo de rodar ainda, pode-se dizer que perde em rela����o a essas a����es, esse �� o ponto que eu quero deixar como uma reflex��o muito legal. Alexandre, Gostei bastante de ter tido a oportunidade de conversar com voc��. Queria saber se voc�� tem algum conselho final para os colegas, advogados e ��s vezes informado, e tamb��m um advogado com escrit��rio pr��prio at�� o escrit��rio consolidado, mas atua em outra ��rea, mas ainda n��o est�� no segmento digital de que tem indica����o para essas pessoas tamb��m era a paci��ncia muito simples, nada acontece com a velocidade da Internet, ele se dedica a estudar todo o dia e, principalmente, voc�� pode mudar, n��o �� o que est�� acontecendo no Brasil, mas como tend��ncias que v��m de f��runs, meses depois Chegamos aqui saber lidar com informa����es desapegadas Papel �� um diferencial porque na minha ��rea se eu n��o trabalhar com todas as atividades, escrit��rio como j�� faz mais de dez anos, eu n��o tive o tempo rea����o r��pida �� decis��o, que, em caso de recurso, nossa ��rea, ent��o �� uma ��rea, suspeita falar porque est�� empolgado mesmo, gosto de que eu escolho e sinto cada dia que passa mais realizado no momento em que estamos passando. Mas �� isso Eu acho que o estudo mant��m constante a atualiza����o, n��o apenas o direito, mas todas as tend��ncias tecnol��gicas est��o surgindo, o que afeta o direito e o acidente de carro, dedicar, porque as coisas v��o acontecer. Mas com paci��ncia nos que somos e sucesso r��pido, podemos subir rapidamente r��pido. Eu acho que �� muito mais dif��cil manter o alcance. Ent��o, por esse motivo, aqui, como todos os ouvintes do Porto, n��o �� como Tr��ia come��ar a interessar mais a Fran��a digital, mas observada. Essas dicas que eu acho que s��o frutos de uma experi��ncia de vida ao longo de trinta e quatro anos. Muito obrigado. Alexandre. Foi um prazer ter recebido aqui. Disse l��, no in��cio que isso ou hist��rico. E eu n��o menti todos os ouvintes. Eu tenho certeza de que valeu bastante pena. O tempo que voc��s investiram aqui, agradecemos por exibir novamente pela audi��ncia. Se voc�� gostou do epis��dio, compartilhe tamb��m com outros colegas advogados que precisam ter acesso a esse conte��do. Se n��o �� f��cil para pessoas, produz esses conte��dos como entrou. Sobre essa parte, estamos finalizando uma grava����o. J�� estou preocupado com uma edi����o que as pessoas v��o ter que fazer com a transcri����o do epis��dio. Um trabalho que as pessoas gostam muito de fazer e se tiver agregado alguma forma, voc�� tamb��m fala com as pessoas nas redes sociais. Fala que coincide com Alexandre, com certeza. Vou advogar em todos os seus canais digitais. V��o fazer mais for��a potencial para os ouvintes que est��o em quest��o, acha que seus trabalhos s��o mais uma vez brilhantes que sigam nessa faixa, est��o preenchendo uma lacuna de debate sobre temas super contextualizados. O que �� raro, uma fonte de informa����o t��o qualificada com pessoas que tiveram a oportunidade de interagir aqui onde est��o meus amigos, muitas pessoas que eu sou admira o mesmo e isso n��o tinha essas ferramentas antes, ent��o mostra como gente conte��do de qualidade e Um trabalho que as pessoas gostam muito de fazer e se tiver agregado alguma forma, voc�� tamb��m fala com as pessoas nas redes sociais. Fala que coincide com Alexandre, com certeza. Vou advogar em todos os seus canais digitais. Quando voc�� faz mais for��a, o potencial de ouvir coisas pode causar problemas, acha-se mais uma vez brilhante o que significa, e est�� preenchendo uma lacuna de debate sobre temas super contextualizados. O que �� raro, uma fonte de informa����o t��o qualificada com pessoas que tiveram a oportunidade de interagir aqui onde est��o meus amigos, muitas pessoas que eu sou admira o mesmo e isso n��o tinha essas ferramentas antes, ent��o mostra como gente conte��do de qualidade e Um trabalho que as pessoas gostam muito de fazer e se tiver agregado alguma forma, voc�� tamb��m fala com as pessoas nas redes sociais. Fala que coincide com Alexandre, com certeza. Vou advogar em todos os seus canais digitais. V��o fazer mais for��a potencial para os ouvintes que est��o em quest��o, acha que seus trabalhos s��o mais uma vez brilhantes que sigam nessa faixa, est��o preenchendo uma lacuna de debate sobre temas super contextualizados. O que �� raro, uma fonte de informa����o t��o qualificada com pessoas que tiveram a oportunidade de interagir aqui onde est��o meus amigos, muitas pessoas que eu sou admira o mesmo e isso n��o tinha essas ferramentas antes, ent��o mostra como gente conte��do de qualidade e com certeza. Vou advogar em todos os seus canais digitais. V��o fazer mais for��a potencial para os ouvintes que est��o em quest��o, acha que seus trabalhos s��o mais uma vez brilhantes que sigam nessa faixa, est��o preenchendo uma lacuna de debate sobre temas super contextualizados. O que �� raro, uma fonte de informa����o t��o qualificada com pessoas que tiveram a oportunidade de interagir aqui onde est��o meus amigos, muitas pessoas que eu sou admira o mesmo e isso n��o tinha essas ferramentas antes, ent��o mostra como gente conte��do de qualidade e com certeza. Vou advogar em todos os seus canais digitais. V��o fazer mais for��a potencial para os ouvintes que est��o em quest��o, acha que seus trabalhos s��o mais uma vez brilhantes que sigam nessa faixa, est��o preenchendo uma lacuna de debate sobre temas super contextualizados. O que �� raro, uma fonte de informa����o t��o qualificada com pessoas que tiveram a oportunidade de interagir aqui onde est��o meus amigos, muitas pessoas que eu sou admira o mesmo e isso n��o tinha essas ferramentas antes, ent��o mostra como gente conte��do de qualidade e

Alexandre:   58:48
At�� porque costumo dizer aqui, o mundo digital ����a reprodu����o do mundo presencial. S�� que com uma diferen��a tudo o que ocorre l�� �� potencialmente maior, seja para o bem, ou seja, para o mal. Ent��o, se por acaso a gente encontra um advogado hoje, que no momento que a gente vai fazer a busca do nome dele na ferramenta de busca do Google e n��o tem uma rever��ncia interessantes a falar, ou para ter uma coisa que est�� estreando, tem que chegar refer��ncia por outro meio, porque depois o m��nimo que o advogado poderia ter, a preocupa����o de ter uma primeira parte da firma de busca do Google, s�� com refer��ncias, nem outras ou positivas. E aqueles que esquecem e deixa uma refer��ncia negativa falsa, ofensiva, pior ainda. Agora, com essas estrelinhas que existe ranqueamento, ent��o as pessoas n��o percebem que s��o situa����es cujas solu����es merecem a m��xima aten����o di��ria para que qualquer excesso de liberdade de express��o possa ser enfrentada imediatamente ao longo desses trinta e quatro anos. Formado, eu posso dizer para voc�� que aprendia que quanto mais r��pido a gente reais, menos risco A gente vai ter. Ent��o, nosso escrit��rio a gente trabalha muito para n��o deixar que um fato se transforme numa crise e porque a gente sabe que a maioria dos enfrentamentos incidentes que acontece na internet tem um enfrentamento tardio e desordenado. Isso mostra que as pessoas n��o est��o preparadas para esse tipo de situa����o, mas s�� complementando ali aquela quest��o quando teve a virada do s��culo, ent��o a houve a mudan��a. A mudan��a se deu porque porque fugiram no mercado naquela ��poca. Em dois mil, final do ano, segundo semestre provedores com acesso gratuito �� internet. Ent��o come��ou a forma mercado e no que come��ou a formar o mercado n��o �� o n��mero. Vou que vai crescer mais gente. A sess��o ainda que seja uma internet discada como tinha naquela ��poca, mas vai interessando em cima desse mercado criar servi��os e obviamente os servi��os geram problemas. Os problemas s��o jur��dicos e interface com v��rios ramos. Rela����o de consumo criminal, direitos de imagem que seja, e da�� nesse momento �� que �� um divisor de ��guas do direito digital. Ele passa come��a a formar essa caracter��stica multifacetada multidisciplinar que o que prepondera hoje cada vez mais. E hoje, assim como que um escrit��rio pode, ele pode come��ar a atuar nessa ��rea. E como que o escrit��rio pode adquirir mais clientes? Na ��rea de direito digital, atuar na ��rea tem muitos escrit��rios que vem direto de tal. Como a situa����o muito simpl��ria acha que a bom voltou aqui Rousseff se v��rios ��reas h�� muito momento em direito digital tem oportunidade agora de mercado e tal. Quem sabe isso pode trazer uma receita para escrit��rio e muitas vezes, at�� porque tem uma carteira de clientes boa. Ele at�� costuma ter o resultado inicial, mas chega um momento que as crian��as t��m que sair da sala, mas n��o consegue entrar no n��vel de profundidade de assunto, de medidas sugestivas de uma consultoria para poder explicar solu����es jur��dicas barra tecnol��gicas. Ent��o, respondendo �� pergunta �� necess��rio que o escrit��rio busca de talentos no mercado que j�� vem com Denny focado tanto o direito quanto �� tecnologia. N��o h�� como voc�� enfrentar situa����es, seja nos tribunais, mas sobretudo em consultoria. Se voc�� n��o tem o interesse disputar diariamente para poder aprofundar nessas doze frentes jur��dica e tecnol��gica, e uma outra quest��o que me chama aten����o aqui Assim, pelo que voc�� trouxe ele anteriormente e me corrija se eu tiver cumprindo, liderado, mas eu estou inferior at�� ent��o o direito digital como se fosse um bra��o ali de todas as outras ��reas. Delito do direito �� revis��o vai ser um bra��o do direito societ��rio, por��m estiver tratando de rela����es societ��rias na internet. Rela����es contratuais na internet Voc�� considera que �� essencial que o profissional especialista em direito digital, ele tamb��m aprender essas outras ��reas. Ele tamb��m se espera nessas outras ��reas, porque se n��o caso contr��rio, o que foi uma pessoa que sabe muito ali sobre a internet, mas ela n��o tenha ele, o conhecimento jur��dico, os advogados, ele geralmente especialista naquela hora tem, tem toda raz��o. Engana se quem pensa o contr��rio. �� necess��rio que a pessoa que tem um talento de gostar de estudar os problemas jur��dicos que acontecem no meio digital tem tirar proveito disso contextualizando os problemas dentro da legisla����o para existente. O que que o advogado direito e tal faz muito bem ao bom advogado direito digital. Ele analisa o fato e contextualiza diretamente. N��o h�� lei j�� para existentes, muito onde internet muitas vezes e falou para por a�� a lei aqui amb��gua. Ela pode ser aplic��vel tamb��m. N��o s�� o mundo presidencial, como foi previsto na ��poca em que foi sancionada, mas tamb��m ao mundo digital. Ent��o, ele precisa sim. N��o existe essa quest��o de sou totalmente cem por cento digital. Pera��, n��o �� assim que funciona. O que funciona eu sou Direito Digital, atuou na ��rea de direito digital porque eu sei como contextualizar os problemas societ��rios a partir das empresas que atuam na internet. Mas eu tenho que ter a base de conhecimento de societ��rio, de contratos, de rela����o de consumo on line de crimes cibern��ticos. Ent��o, coordenei, durante dez anos, uma p��s gradua����o em S��o Paulo. Que que o que o objetivo que eu queria justamente, de criar um conte��do program��tico selecionando temas desses ramos tradicionais de direitos que n��o s��o tratadas na faculdade? Ent��o, como �� que era montada recurso? Isso a�� j�� era justamente os pontos. Como �� que as pessoas t��m que se come��ar a se preocupar com isso? Por mais que d�� provas, agora se estuda provas eletr��nicos digitais, mas dar contratos analisa. A quest��o de manifesta����o de vontade com contratos s��o mais, mas d�� direito consumidor. Ent��o saiba tudo sobre rela����o de consumo online. N��o se v�� que �� uma extens��o da ��rea tradicional. Eu n��o me preocupo muito. Sabe ci��ncia que �� um, �� um subproduto da ��rea tradicional ou se �� um ramo. A parte no hiper com essas coisas que eu quero dizer para os ouvintes que est��o, nos escutamos, �� que voc�� n��o pode achar que s�� o seu brilhante conhecimento tecnol��gico resolver�� os problemas. Se voc�� n��o entender de processo civil e tendo que defender uma a����o relacionado a licenciamento de software Amanda Ent��o engana se quem fica meio que inebriado s�� com essas quest��es tecnol��gicas �� um diferencial. Mas �� um diferencial que s�� se revelar�� quando for contextualizado com o ramo tradicional direito. Isso que faz a diferen��a e qual a velocidade com quais s��o as tend��ncias assim, nesse mercado para o futuro. Assim pegando toda evolu����o, diz que voc�� come��ou a atuar e a trinta e quatro anos, at�� hoje tem de diferente o que voc�� acha partida que a cinco do que h�� dez anos? Muitas coisas mudaram. Como eu disse durante muito tempo a gente praticamente dedicava quest��es de licenciamento de software, come��ando por a��. O uso n��o autorizado de imagem e som era muito chato, at�� porque era muito restrito. Eu achava que tem tamb��m na faculdade, foi oitenta e dois, tempo, trinta e oito anos. Eu achava que um dia um de todos os ramos do direito que se entrela��a com essa ��rea j�� vinha, inclusive as acusa����es de prote����o de dados acontecer l�� atr��s. Mas o Brasil foi muito lento nessa mudan��a. Voc�� ter ideia, n��s somos senten��a. Tem ser pa��ses do mundo que est��o a lei de prote����o de dados pessoais, sendo que hoje n��s j�� temos cento e vinte pa��ses. Ent��o assim a mudan��a come��ou a ocorrer, sobretudo desse divisor de ��guas que eu falei E a�� a situa����o na medida que o p��blico da internet vai aumentando, os problemas v��o aumentando e as ofertas de servi��os para os advogados tamb��m. Ent��o, veja, n��s vimos numa crescente, mas prescindindo de alguns marcos legais, esses marcos aconteceram. A gente sabe lidando diariamente com v��rios problemas jur��dicos que a grande lacuna que existia at�� ent��o era ter uma lei de prote����o de dados pessoais. O dado no Brasil n��o tinha nenhuma prote����o, embora algumas leis poderiam ser aplicadas e s��o, N��s estamos s�� dependendo dessa lei de prote����o de dados pessoais para poder resolver problemas. Existe a Constitui����o quando se viu, quando o consumidor, al��m da crian��a e do adolescente, que isso tudo �� aplicado. Por��m n��s estamos passando por impulsionamento que jamais que jamais existiu E a tend��ncia futura, no meu ponto de vista, �� enxergar o mundo como sendo um local onde o processamento de dados s�� vai crescer. O tratamento de dados s�� vai crescer porque n��s estamos passando por diversos exemplos de corrup����o. E a�� voc�� tem algumas for��as tecnol��gicas que est��o vindo por a��. N��s estamos hoje j�� prestando consultoria para algumas empresas estrangeiras de ponta, l��der de mercado em cinco, que eu acho que vai ser uma revolu����o absurda em termos de uso da internet, pela velocidade, pelo fato de a gente ter uma lat��ncia m��nima em termos de acesso de dados e, por outro lado, isso tamb��m vai impulsionar o que a internet das coisas al��m da intelig��ncia artificial. Ent��o pega esses tr��s itens para poder dizer como �� que vai potencializar, gra��as a Deus, a demanda de servi��os nessa ��rea de direito digital, As pessoas realmente investir nisso, ter talento para poder criar talento para poder lidar nessa ��rea. Ent��o as oportunidades s��o boas. Agora eu quero deixar aqui bem registrado. Uma coisa eu sou da ��poca em que digitava, j��ris, procedimento de jurisprud��ncia no computador, o meu pai chegada �� tribuna e falar para o desembargador que j�� tinha julgado assim assado em determinado assunto e pulava da cadeira Sou da ��poca que um desembargador ligava a gente um banco Primeira pelo escrit��rio do Brasil, que tem um banco de dados, jurisprud��ncia ligar para mim para o ch��o, tirando seu computador. A�� todos os meus votos de responsabilidade civil, ela imprimia neurol��gica setecentos e vinte matricial. Entregava ele pelo poder estudar, porque o pr��prio tribunal n��o tinha isso. Ent��o, a lei para caramba, em termos de pesquisa, de estudo, tudo mais. Hoje eu vejo o pessoal em regra, est�� ��bvio que tem exce����es numa zona de conforto absurda, entendeu? Hoje existe uma certa o travamento assim de achar o seguinte para a�� meu vade mexer com minha forma de pesquisar a ferramenta de busca do google ponto Entendeu pelo amor de Deus? Deu assim. Isso a�� jamais pode ser o limite de uma pesquisa, de um estudo por um advogado que queira realmente desponta na sua ��rea. Eu continuo comprando o livro todo dia. Gra��as a Deus, a gente tem uma biblioteca do escrit��rio por volta de mil livros na ��rea de edital brasileira estrangeiro e tentam motivar a minha aqui para poder tamb��m unifica����o na base operacional, para poder aprender. Ent��o essa sede de saber ela sempre que acompanhar um jovem advogado que era se interessar a pol��cia porque eu acho que tem muita coisa boa para mim por a��. Mas o sucesso tem que ver com muita paci��ncia. Existe uma falsa a compreens��o de que essas coisas, todas r��pidas, que acontece na internet, tamb��m v��o acontecer r��pido, sucesso, r��pido, ganho, dinheiro em rela����o �� carreira de advogado n��o caiam nessa armadilha. Tudo �� constru��do, tijolo por tijolo. Passo a passo �� um exerc��cio da paci��ncia. Quem n��o for paciente, n��o pode ser revogada. Ent��o pensar que as coisas v��o acontecer para o bem. Mas como, com muita perseveran��a com muita dedica����o, porque sempre o papel de advogado n��o acha que apertar um bot��o, colocar uma informa����o sobre o seu perfil na internet est�� tudo resolvido. Ent��o, at�� porque o curr��culo das pessoas na internet hoje n��o s��o formados apenas por aquilo que elas falam de si mesmo, mas, sobretudo, a respeito dos coment��rios de terceiro, que fala a respeito dela e, muitas vezes, a�� a internet guarda surpresas. Eu acho que mais do que falar hoje tamb��m �� muito que se faz �� que est�� tudo exposto, uma quest��o que a gente defende muito aqui na Flona. Aqui, na fila noite gosta muito de produzir conte��do at�� por isso que ele se pode, que a gente tem um blog E a gente sabe que eu valorizo muito e sabe, Eu acho que eu tamb��m me considero um conte��do disso, O seu trabalho que d�� para voc�� ter ideia eu fui o cara que em dois mil e quatro, criou o primeiro bloco jur��dico no Brasil chamado Direito ��s novas tecnologias. Ent��o s��o essencialmente um gerador de conte��do de v��rias formas e valoriza muito como voc��s fazem esse trabalho, porque n��o �� f��cil nem um pouco f��cil. Obrigado pelas palavras e voc�� �� um dos blocos que eu pessoalmente, sempre acompanhei E o que eu vi o que realmente criam blogs, cria um ponto que a gente cria as iniciativas que a gente faz aqui. N��o falou, por exemplo, os resultados. Eles s��o de longo prazo e eu vejo muita gente querendo capital mais clientes, sempre no curto prazo. Ent��o vou investir um milh��o de reais. Ele mim an��ncio no Instagram no Facebook fazer completa tudo assim, autom��tico, Tudo assim apertou. O bot��o resolve de certa, mas o fator humano �� fundamental. �� dif��cil a gente conseguir assim. �� importante a gente pensar golpe em solu����es curto, prazo e tem escrit��rios que v��o conseguir fazer com que isso, de certo tamb��m. Mas �� muito importante a gente pensar no longo prazo, no longo prazo e pelo que o escuto de voc��, Alecsandro vez que voc�� tem uma vis��o ao mesmo tempo pragm��tica desse lado, de que vamos com calma, as coisas demoram demandam um tempo, s�� que ao mesmo tempo de vez com uma vis��o assim otimista para o direito. Assim, nos pr��ximos dos pr��ximos anos, social, vamos ter v��rias oportunidades. Sou otimista porque �� porque eu trabalho muito. Quem fica reclamando tempo tempo na vida �� porque n��o se dedica tanto quanto a gente que est�� pegando pesado. Isso �� que faz. A gente v�� que as oportunidades est��o surgindo, ent��o em portas abertas, mas que voc�� tem que ser perseverante, tem que acreditar que os resultados ser��o alcan��ados, mas nada t��o instant��neo como as mudan��as tecnol��gicas da Internet. Estou pensando no seguinte que eu tamb��m sou otimista. S�� que como �� que vai ser otimista com esse tanto de Faculdade de Direito no pa��s com essa concorr��ncia gigante e tamb��m ao mesmo tempo com pessoas falando que os advogados v��o ser substitu��dos por rob��s que se ver sobre essas coisas que �� comum, que as pessoas dizem Olha falando primeiro, n��mero de advogados que exista Faculdade de Direito. Eu estava um m��s atr��s que conversam no Conselho Federal da OAB em Bras��lia, com o subsecret��rio geral do Today Are Adiante. Indie. Pautou um assunto que era justamente esse mercado de advogados que podem inclusive se lan��ar ao mercado agora a vig��ncia da lei de prote����o de dados pessoais. Porque eu imagino que vai surgir um contencioso muito grande em rela����o a isso. Um t��quete premiado, porque houve desvio de finalidade dos dados pessoais de uma pessoa, vai ser algo muito mais potencializado o que aconteceu quando foi em mil novecentos e noventa com a entrada em vigor do colo do consumidor. Ent��o, isso vai ter um impacto muito grande e ele me disse naquela oportunidade. Alexandre Hoje a OAB se conhece, ajudou, eu ajudei a montar o Cadastro Nacional de Advogados. Na ��poca, coordenava uma grande equipe l�� no departamento de TI. E hoje t��m um milh��o, duzentos mil advogados. S�� que e olha esse n��mero se n��o �� impressionante. Impressionante a taxa de crescimento, que na faixa de vinte e cinco a trinta por cento por ano. Ent��o est��o para um neg��cio desse. N��o existem uma classe profissional do mundo. S�� fica uma d��vida meio com ��ndia mais. Tenho minhas d��vidas que tem o n��mero de advogados, como tem se ter ideia, o mercado de certificado digital, hoje emitidos s�� pela OAB j�� est�� chegando a setecentos e cinquenta mil advogados, o juiz o Brasil, por exemplo, hoje j�� deve ter cerca de novecentos mil advogados, sete por cento. E parece da advocacia brasileira, hoje p��blico pagante do jogo Brasil e ent��o essas quest��es. Mas em compensa����o, segundo ��rea grande existem quatrocentos e cinquenta mil advogados que est��o ganhando para pagar as contas. Ent��o por que isso acontece? Porque as pessoas n��o podem ficar na vala comum, entendeu? Elas t��m buscar alguma solu����o diferenciada. N��s temos a�� a diga economia e n��s temos a�� uma s��rie de alternativas de mercado que, n��o fazendo repensar completamente o exerc��cio da advocacia. A forma de ganhar dinheiro advocacia, nos pr��ximos anos �� mudar. Como j�� mudou mais ainda. Radicalmente isso que as pessoas t��m que saber. Tem que entender para que caminho de modelos de neg��cio, que o caminho que isso vai gerar. Ent��o, a minha preocupa����o de que as pessoas n��o caiu nessa vala comum em rela����o ao segundo ponto. A sua pergunta sobre se m��quina vai substituir advogado? Eu n��o concordo com essa forma, de jeito nenhum eu estudando tem um assunto de intelig��ncia artificial. Inclusive, j�� que a arte Vital coloca muito bem minha posi����o a respeito disso. Eu acho que os sistemas de intelig��ncia artificial tem talentos que os humanos n��o t��m. Os humanos t��m talentos que os sistemas de intelig��ncia oficial n��o tem. Ent��o quem fala que n��o vai matar o outro eu n��o concordo e acho que pagaria para ver se um dia essa situa����o vai se reverter. Eu acho que o melhor dos mundos que a gente vai alcan��ar daqui para frente �� a somat��ria desses dois talentos em busca de algum resultado, mas n��o achando que uma coisa n��o substitui a outra, ningu��m vai achar que vai dar a senten��a. Automaticamente j�� pode usar a intelig��ncia artificial, por exemplo, com o suporte de apoio decis��rio do magistrado, com base na predi����o dos votos da tend��ncia com que ele j�� jogou, o que agora efetivamente isso nunca vai ser um ato isolado, automatizado, sem interven����o humana para poder fazer a valida����o final, Ent��o, h�� muito ru��do. H�� muito bases em rela����o a essas a����es, que eu acho que a gente tem que botar um pouco de term��metro a realidade de um ano. �� bom que estejam falando sobre isso. De outro, fala se muito sobre tecnologia, mais pr��tica, se pouco nossa. Se for pegar, Ent��o, em rela����o a esses assuntos e a intelig��ncia artificial, eu acho que tem muita fuma��a para pouco fogo. At�� porque n��o existe tecnologia suficiente para fazer tudo o que as pessoas dizem. N��o tem a felicidade a um ��ndice advogado, talvez de uma empresa que tem uma banda cuidado jur��dico, do Brasil, que sabe o mundo que �� o jogo Brasil e conven����o no campo pessoal de l��. Um dia depois de mais seis n��o investem em intelig��ncia artificial. A resposta foi simples aqui o pessoal acha que a intelig��ncia artificial �� editor, de ter. Se chega jogo texto l�� e pronto computador vai ter um sistema cognitivo. Vai, aprendi tal. Est�� tudo resolvido n��o s�� no Brasil, mas outros amigos que tamb��m tiveram oportunidade de fazer sistemas de intelig��ncia artificial no Supremo. Ent��o, revelaram que n��s temos hoje o dado no no sentido bruto. Mas �� necess��rio fazer diversas marca����es numa linguagem figurada. Eu diria para voc��s que n��s temos hoje o pr�� sal. Entendeu? Ent��o, o dado �� o pr�� sal. E n��s precisamos fazer o tratamento das diversas camadas, marca����es e tal para poder virar do dado a informa����o da somat��ria da informa����o, conhecimento e da somat��ria do conhecimento. A sabedoria, ent��o do pr�� sal, at�� virar petr��leo, tem um longo caminho que as pessoas est��o abreviando achando que �� interessante. O Brasil tem o maior de gdapa juridico do mundo. N��o existe nenhum pa��s do mundo que os noventa e tr��s tribunais produzem todas as suas decis��es j�� um tempo na pele, formato digital, por uma mat��ria prima. Agora a intelig��ncia artificial vai chegar em dois tempos, vai resolver tudo. Cad�� o estado? Porque o dado n��o �� estruturado de forma adequada e se tiver isso, leva tempo e exige bra��o, por isso que os resultados ainda n��o apareceram. Mas v��o parecer que voc�� teve uma parte grande para fazer com que os tribunais tivessem tudo isso, informa a entidade. O rapaz foi uma experi��ncia profissional fant��stica, porque eu tive desde a primeira reuni��o de discuss��o representando a OAB federal na na lei do processo eletr��nico do projeto de lei. Ainda �� interessante falar um aspecto hist��rico aqui que talvez poucas pessoas saibam que, inclusive est�� muito bem narrado num outro livro, que eu fiz em dois mil e dez, que �� coment��rios al��m do processo eletr��nico. Quando eu conto toda a hist��ria, como surgiu o processo judicial eletr��nico? Eu tenho um relato ali de forma pormenorizada, que eu participei de tudo como negociador do da, definindo as prerrogativas do advogado em diversas rodadas de negocia����o e tamb��m depois ocupando uma cadeira no CNJ perante a Comiss��o de Regulamenta����o do Processo de Sa��de, o processo judicial eletr��nico nasceu apenas com poucas funcionalidades. A primeira vers��o era protocolo, distribui����o e publica����o de atos. Apenas isso a�� na uma vers��o seguinte, resolveu, n��o v��o encarar que v��o fazer um projeto diferente. V��o fazer um sistema que permita fazer automa����o de todas as etapas processuais. A distribui����o at�� o tr��nsito em julgado. E a��, brasileira �� usado em termos de tecnologia da informa����o. Sempre foi e lan��amos, depois de renda, uma s��rie de exemplos assim e a�� levantamos voo numa nave que se d�� que sem nenhuma refer��ncia a ela, que eu viajei na ��poca pela OAB Federal, era o presidente da Comiss��o de Direito Tecnologia durante dez anos. Ent��o, tive a oportunidade, a Espanha, a autoria ao Canad��. Tudo fazendo pesquisa para um livro, inclusive, teve que Portugal e vi que nenhum desses tinham um projeto t��o usado quando o Brasil de querer enfrentar uma situa����o sem refer��ncia internacional, de criar um sistema que pudesse fazer com que as pr��ticas processuais por meio eletr��nico foi assim o novo padr��o. N��o pagamos um pre��o alto por isso, mas o resultado �� positivo, mas ainda tem muita coisa para mim. Eu estou muito cr��tico, em v��rios aspectos relacionados �� implanta����o do processo de sa��de, entrou no Brasil. Isso se deve muito ao fato de que o Judici��rio poderia dialogar muito melhor com todos os roedores do mercado. Mas ele n��o dialoga ainda o Judici��rio. Muitas vezes ele entendeu que houve uma mudan��a de a informatiza����o do Judici��rio para a informatiza����o da justi��a. Faz muita diferen��a antes essa informa����o de informatiza����o do Judici��rio, porque �� isso. O departamento tem preocupado em resolver os problemas do tribunal, usando a inform��tica. Depois da lei, a informatiza����o da Justi��a tem que informar as pr��ticas processuais n��o s�� do tribunal, mas o advogado do Minist��rio P��blico da Advocacia P��blica de certa. S�� que eles n��o estavam acostumados a ouvir as pessoas e, por esse motivo, sistemas n��o saiam ou ainda n��o est��o totalmente com interface adequada para os advogados, como que v��rios advogados reclamem do sistema. Raz��o s�� que assim, por outro lado, o papel assim de organiza����o dos dados. Mas n��o se fosse tudo f��sico ainda perdido, tanto de informa����o. Eu falo que o papel j�� fez o seu papel. Ent��o a simples fato. Assim, ainda que seja ruim, est�� pelo menos tudo finalizado, ela olha, n��s vivemos num pa��s e vinte e sete estados j�� rodei praticamente tudo. Some falta Amap�� e Tocantins, um grande a grande, sacada. O que realmente aconteceu? Que foi bacana demais? Foi um fato tem jogado essa sementinha a�� de implanta����o de processo judicial eletr��nico em todos os tribunais. Hoje, todos iguais s��o processo judicial eletr��nico, ent��o o Brasil n��o �� a Su����a entendeu. S��o vinte e sete pa��ses, dentre um pa��s s��, com realidades completamente diferentes. Posso dizer porque fiz interlocu����o e ainda faz com diretores de tem de todos os tribunais conhecendo, explode perto, participa de evento do ano com eles a gente acompanhar essa evolu����o do mercado. Eu sou sempre aquele advogado que chega no evento, poder criticar que sempre redu����o positiva construtiva, mas n��o pode dizer do outro lado do balc��o que est�� errado e eu gosto. E eu acho que essa hist��ria poderia ser escrita de outra forma. Para sintetizar a minha maior cr��tica em rela����o ao processo judicial eletr��nico, a Simples foi criado um sistema para poder fazer todo o tr��mite do processo digital, s�� que era muito dif��cil de Nice negociar com o juiz para poder dizer penhora. S�� a rotina de trabalho vai mudar. Eu agora n��s vamos criar um sistema que que vai fazer com que voc�� tem que mudar o seu Rita de edital para n��o causar esse arrepio que poderia, de repente, impactar o projeto. O foco era como enfrentar a secretaria, Ent��o pensamos em Os tribunais foram focados em todas as rotinas processuais ou porque a ministra ela ingresse na ��poca. Assim temos que acabar com a in��rcia do papel que o papel imp��e uma in��rcia, porque era que as rotinas burocr��ticas envolvidas. S�� que o processo de petr��leo s�� focou na secretaria em grande parte moral da hist��ria. Os processos tramitam mais r��pido a secretaria chegam mais r��pida conclus��o l�� ficam, Ent��o, doze anos depois que a lei entrou em vigor. O preju��zo trabalho, da mesma forma como trabalhavam antes, est��o estressados. N��o se criou uma solu����o de apoio, suporte desses ��rg��os, magistrados e, quem sabe, pode. Vim com a intelig��ncia artificial, Ent��o, essa situa����o de muito conte��do, pouco processamento, pouco suporte para poder fazer maior celeridade ainda n��o aconteceu e isso �� que causa um certo sabor porque foi decantado. Na ��poca que n��s, nos processos ainda mais r��pido, isso vai acontecer na semana para todo mundo. O processo n��o est�� andando mais r��pido. O processo est�� andando da mesma forma e cada vez mais o Judici��rio est�� perdendo espa��o nos meios alternativos de solu����o de conflitos, isso �� fato, ent��o, por esse motivo �� que horas consertam essa situa����o e volta a entrar numa rota de ter mais performance. Ou ent��o esses meios alternativos de solu����o, de detidos, v��o estar sempre mais espa��o, muito bacana, relata o seu hist��rico como entidade, disse l��, no in��cio muito bacana, em entender os bastidores, a um momento muito interessante que empolgaram muito. Aprendi muito sobre a minha vida, com direito e tal. gra��as a Deus, foram at�� na pris��o E assim continua sendo. Voc�� come��ou dizendo no in��cio do epis��dio que voc�� est�� no momento que est��o mais aprendendo da sua vida. Agora voc�� mencionou isto de novo? Quais s��o seus desafios atuais? Assim que est��? Por que voc�� l�� atualmente? Que se aprende hoje, que est�� buscando e para os pr��ximos anos assim, um momento, o que realmente est�� empolgando, mais, estudar a����o, sistema novo? Que a prote����o de dados pessoais est��o a tutela important��ssimo, que o cidad��o tem que ter um assunto pautado mundialmente hoje, um assunto em que n��s temos duas grandes for��as do mercado internacional no grupo Estado Global, de um lado, as grandes empresas que dominam parte da arquitetura da internet. Do outro lado, os governos, cada vez mais enfraquecidos de acesso �� jurisdi����o, ou seja, dar for��a suas leis alternativa por essa experi��ncia de participar da audi��ncia p��blica do do WhatsApp representando a OAB Federal, onde os fundadores do WhatsApp gera presidente. Mike, �� claro para mim que as grandes empresas querem dizer para os governos dos estados a seguinte horas conta que aplicar suas leis, beleza aplica, mas no mundo presencial, porque esses espa��os de tal aqui eu aqui eu tenho um c��digo, ent��o fa��o as leis da minha maneira. Eu estava fazendo um curso de internet em dois mil e um. Tive como professor os caras que eu acho fant��stico. Gl��ria celeste chegou inclusive a ser candidata a presidente dos Estados Unidos nas ��ltimas elei����es, mas morreu nas primeiras prim��rias do Partido Democrata que atrav��s do seu livro cl��ssico famoso chamado Deloitte Sabeis Pa��s. Ele tem uma frase que �� matadora que ele fala assim decoud, ou seja, quem tem um c��digo na m��o tem mais efici��ncia de fazer mudan��a do que quem tem a lei a seu favor. Ent��o, por esse motivo, n��s temos que mudar esse equil��brio e for��a. Agora estou vendo uma mudan��a em rela����o a isso. Tomara que isso aconte��a de fato, impulsionada por situa����es que a gente presenciou recentemente, que s��o ou de Assange, �� mais uma cama de anal��tica ficar aqui para quem n��o assistiu ainda para esse os fant��sticos privacidade, saqueadas na ordem e ela mandaria todos eles relacionados ao assunto de dados, vazamento de dados, etc. Ent��o esse �� o momento que mais empolga a gente a estudar no aspecto mundial que os problemas s��o os mesmos como um dos pa��ses. Esse tema que por muito tempo n��o ficou sequer sendo objeto de questionamento na nossa legisla����o, n��o chegam atrasados todos os nossos vizinhos aqui do consumo, �� exce����o do Paraguai, j�� tinha uma legisla����o sobre prote����o de dados pessoais. Tudo bem que, se pegar a legisla����o, a primeira diretiva de noventa e cinco na Uni��o Europeia, s�� trocar Madri por Buenos Aires tiveram facilidade, tem a l��ngua a seu favor. Mas isso mostra como �� que a gente, Como �� que isso essa represa, essa represa de assunto em rela����o a esse assunto? Em rela����o a esse tema? E como o tempo para poder finalizar? O europeu j�� tem uma cultura jur��dica para dar com a prote����o de dados? Desde noventa e cinco s��o quinze anos e a lei agora foi sancionada em em agosto de dois mil dezoito. N��s temos dois anos em dois anos interno, tira o atraso em rela����es, conhecimento, essa maturidade para dar como prote����o de dados. Ent��o essas mudan��as est��o acontecendo na for��as, mas a gente tem que ver com calma. Eu vejo tantas pessoas assim j�� se colocando como doutores mentem e, por esse motivo a gente tem que ter mais paci��ncia, porque essa �� uma grande oportunidade para os pr��ximos anos da Advocacia de Lad��rio de edital Tive o prazer de receber que a Viviane tamb��m, que falou sobre a Wikipedia no trabalho dela fant��stico, ela falou palavras parecidas com o que voc�� est�� falando E se voc�� ainda n��o executou epis��dio, recomendo fortemente para discutir o epis��dio vinte e um aqui logo de La Hoya. Ela disse muito isso. N��o tem muita gente querendo e prestar consultoria de energia, pede m��e, poucas pessoas sabendo. E �� uma responsabilidade muito grande e n��o de um habeas entendeu, Querem ser, mas n��o s��o, Ent��o tenham humildade eu sou humilde, eu sou humilde porque eu quero aprender todo o dia e eu acho que falta muito disso. N��o sei se �� uma caracter��stica da gera����o ou que seja, mas j�� passei por diversas situa����es. Eu fico pensando em curso, j�� vendem tr��s d��cadas de dedica����o �� ��rea que eu tenho um sujeito que est�� aqui em volta menos de um ano de formada, se achando, entendeu, entregam, bem, trabalham bem, entendeu, n��o desmerece n��o, mas mais humildade, porque n��s temos muito a aprender. Defende tamb��m a nossa gera����o a defenda defende a sua causa, conforme eu concordo, cinco brincando, mas algum c��digo, sim por cento com o que se est�� trazendo? Eu acho que ao mesmo tempo, como est�� no mar que poucas pessoas e analisaram as vezes quem tem um ano de experi��ncia perto de para as pessoas que n��o tem ningu��m? Essas pessoas est��o se considerando experiente mais. Veja bem cuidado e ��tica na forma de abordar isso. N��o sei. Eu acho que n��s temos sempre que lembrar que a profiss��o de advogado �� valorizada pelo tempo de experi��ncia que tem. Isso n��o muda o tempo de voo. Sola de sapato gasta ao longo do tempo. Entendeu isso a�� que realmente mostra a senioridade? N��o �� substitu��do assim, porque �� um ramo novo. Ningu��m estudou, ningu��m viu isso na faculdade, ent��o j�� estou lendo tr��s livre, fez um curso de nossa m��e, de S��o Paulo. No or��amento para a�� n��o �� assim, mas, muitas vezes acredita nisso Deus E pior agora para outro, apareceram quinhentos mil de pior. Um brinquedinho de pergunto algum efetivamente teve experi��ncia pr��tica de atuar para se candidata? Assim tem. Hora, rodada n��o, mas s��o fizeram certifica����o aqui acol��. Tudo bem. Ent��o, atr��s de uma oportunidade de neg��cio justo, mas a situa����o �� muito mais din��mica. �� muito mais desafiadora do que parece. Se deu porque a falta experi��ncia para acho que c�� entre n��s essa experi��ncia efetiva vai rodar apenas depois de agosto de dois mil e vinte. N��s estamos tendo v��rios problemas. Temos v��rios ��rg��os controladores que j�� est��o gerando multas etc. Mas n��s n��o temos tempo de rodagem ainda, pode-se dizer que se perde em rela����o a essas a����es, esse �� o ponto que eu quero deixar como reflex��o muito legal. Alexandre, Gostei bastante aqui da de ter tido a oportunidade de conversar com voc��. Queria saber se voc�� tem algum conselho final para os colegas, advogados e ��s vezes informado, e tamb��m um advogado com escrit��rio pr��prio vezes at�� o escrit��rio consolidado, mas atua em uma outra ��rea, ainda n��o est�� no segmento digital de que se tem de indicar para essas pessoas tamb��m era de que �� muito simples paci��ncia, nada acontece com a velocidade que ol�� na internet, tem que se dedicar a estudar todo dia e, sobretudo, se voc�� puder mudar, n��o s�� o que est�� acontecendo no Brasil, mas as tend��ncias que vem de fora, que meses depois Chegam aqui saber lidar a informa����o desapegado Papel �� um diferencial porque na minha ��rea se eu n��o trabalhasse sem papel todas as atividades, escrit��rio como j�� fa��a mais de dez anos, eu n��o tinha o tempo de rea����o r��pido de decis��o, que a caracter��stica, nossa ��rea, ent��o �� uma ��rea, suspeita falar porque estou empolgado mesmo, gosto de que eu escolhi e me sinto cada dia que passa mais realizado no momento que n��s estamos passando. Mas �� isso Eu acho que o estudo constante manter a atualiza����o, n��o s�� o direito, mas com todas as tend��ncias tecnol��gicas est��o surgindo que v��o impactar o direito e acidente de carro, dedicar, porque as coisas v��o acontecer. Mas com a paci��ncia nos esse n��s e sucesso r��pido pode subir r��pido desse r��pido. Eu acho que a grande �� muito mais dif��cil voc�� manter do que alcan��ar. Ent��o, por esse motivo aqui um corajoso todos os ouvintes do Porto, quer n��o �� a Tr��ia come��ar a se interessar mais Fran��a digital, mas observada. Essas dicas que eu acho que s��o fruto de uma experi��ncia de vida ao longo de trinta e quatro anos. Muito obrigado. Alexandre. Foi um prazer de ter recebido aqui. Disse l��, no in��cio que isso o epis��dio hist��rico. E eu n��o menti todos os ouvintes. A�� eu tenho certeza que valeu bastante a pena. O tempo que voc��s investiram aqui conosco agradece que ver�� novamente pela audi��ncia. Se voc��s gostaram do epis��dio, compartilhem tamb��m com outros colegas advogados que precisam de ter acesso a esse conte��do. Se n��o �� f��cil para a gente, produzia esses conte��dos como entrou. Sobre essa parte, estamos finalizando a grava����o. J�� estou preocupado com a edi����o que a gente vai ter que fazer com a transcri����o do epis��dio. Um trabalho que a gente gosta muito de fazer e se tiver agregando de alguma forma, voc�� fala com a gente nas redes sociais tamb��m. Fala que coincidisse com Alexandre, com certeza. Vou advogar em todos os seus canais digitais. V��o fazer mais for��a poder potencializar os ouvintes a�� do pode quest��o, acha trabalho seus mais uma vez brilhante que sigam nessa, est��o preenchendo uma lacuna de debate sobre temas super contextualizados. O que �� raro, a gente fonte de informa����o t��o qualificada com as pessoas que se tem tido a oportunidade de interagir aqui onde s��o amigos meus, muitas pessoas que eu sou f�� admiro mesmo e isso n��o tinha essas ferramentas antes, ent��o sess��o trazendo para a gente conte��do de qualidade e

Gabriel:   58:48
n��o da empresa. Obrigado Alexandre. E se algu��m quiser e os contatos deixando vai estar na descri����o do epis��dio esse epis��dio ele tamb��m est�� sendo transcrito, postado no nosso blog, uma novidade sente, todos ent��o est��o sendo transformados em artigos v��o estar l�� no siteda Fciclopi. O Objetivo E justamente para torcer Consigo consumir o Conte��do da reforma that r��pido Voc�� r��pido Voc�� prefere. Na Pr��xima quarta feira, a gente volta com Mais hum Epis��dio com Mais hum POUCO da oficial e espero r��pido Voc�� Novamente cabelo